São Paulo 455: Ônibus que fizeram a história da maior cidade do Brasil

Toda terça-feira, você acompanha neste espaço, a história do transporte de passageiros contada pelo colega da CBN Ádamo Bazani. Nesta semana, para comemorar os 455 anos de São Paulo, nosso busólogo e colaborador buscou no seu baú de fotografias imagens que representam oito importantes capítulos dos ônibus na capital paulista.

1911

1911 – Inicia-se o serviço de auto-ônibus na capital paulista pela empresa Companhia Transportes Auto Paulista. Foi utilizado um veículo Saurer, com capacidade para 25 passageiros. O serviço não tinha horários nem itinerários fixos

1936

1936 – Várias empresas começam a desbravar bairros em São Paulo, como a autoviação Jabaquara. Inaugurada por Artur Brandi e pelos Havelange, foi uma das maiores empresas de então, e se transformou na Cometa, em 1949. A imagem mostra um dos ônibus de sua frota , um GMC diesel de 39 lugares

1947

1947 – Em 12 de março, a prefeitura de São Paulo transfere o patrimônio da São Paulo Tramway Light and Power Company Limited, referente a transportes coletivos para a CMTC – Companhia Municipal de Transportes Coletivos. Em 18 de junho, a CMTC é autorizada a funcionar pelo Decreto-Lei 987 do prefeito Christiano Stokler das Neves. Em 1o. de julho, o patrimônio da São Paulo Tramway Light and Power Company Limited é oficialmente transferido para a CMTC que inicia as operações. Em 1949, a CMTC implanta o sistema de troleibus com 30 veículos importados dos EUA e Inglaterra, colocando em funcionamento a linha Largo São Bento-Aclimação

1958

1958 – A CMTC, Villares e Massari fabricam os primeiros troleibus brasileiros. Alguns destes veículos operaram até meados dos anos 80, como na foto.

1977

1977 – Através de um decreto municipal, a cidade de São Paulo é dividida em 23 áreas de operação atendidas por empresas particulares de ônibus contratadas pela CMTC. As linhas circulares e diametrais passam a ser exclusividade da CMTC. Na foto um Caio Gabriela da Viação Bola Branca

1989

1989 – Jânio Quadros coloca em São Paulo os primeiros ônibus de dois andares, fabricados pela extinta carroceria Thamco e motorizados pela Scania que ficaram pouco tempo por causa do tamanho e da falta da estrutura da cidade

1994/1995

1994/1995 – A CMTC deixa de ser operadora para ser gerenciadora e surge a SPtrans. O sistema passa a ser operado por 47 empresas municipais

2000

Anos 2.000 – O sistema é reorganizado e passa a operar por consórcios, de empresas e cooperativas. Aumenta o número de ônibus articulados e a cor da frente de cada veículo, indica a região que ele serve, como este Caio Mondego articulado, parado no ponto quase em frente à Rádio CBN na Rua das Palmeiras.

18 comentários sobre “São Paulo 455: Ônibus que fizeram a história da maior cidade do Brasil

  1. Milton,
    Nas fotos o sistema parece tão bom. Eu que fui de ônibus pra escola todo dia, conheço outro ponto de vista, o de dentro, cheio, correndo muito mais do que o limite dado pela razão e com cobradores recebendo pra você passar “por baixo” e.
    Ah, tem um pontinho que indica o milhar no subtítulo “Anos 2.000″… merece tirar!
    Abraço,
    Paulo

  2. Mais uma vez Parabens ao Adamo e ao Milton pelo excelente trabalho revivendo e relembrando a São Paulo dos Bons tempos, tempos da minha infancia aonde ” corria pra sentar nos bancos proximos ao motorista” só para ver como ele “operava” aquelas maquinas fascinantes de direção dura e freios barulhentos e quem nao se lembra dos tic-tacs do onibuls eletricos quando faziam “ar” para seus compressores, aquele ruido alternado com o “silencio” do carro movido a eletricidade, era o “maximo” nos fazia adormecer com aquele barulhinho
    abraços
    Vitor Matos

  3. Milton e Adamo belo trabalho sobre os transportes da Cidade de São Paulo, aliás é o que mais tem em São Paulo são histórias do transporte. Como um Paulistano, vivenci boa época dos ônibus que rodaram por esta grande cidade seja no Centro ou seja na Periferia.
    Abs,
    William de Queiroz
    Guarulhos/SP

  4. Parabéns amigos.

    “Viver o que foi vivido; Ver o que foi visto; e Rever o que foi feito, o quanto evoluímos e o quanto ainda podemos caminhar pra frente”.

    Coleciono as matérias de vocês com a mesma garra de antigamente, quando, ainda criança, colecionava álbuns de figurinhas.

    Kaio

  5. Prezado Milton:

    Seu ouvinte assíduo, cumprimento-o pelo seu excelente blog, que agora contempla o assunto dos transportes em São Paulo e sua história, um de meus assuntos prediletos.
    Sugiro ao busólogo Ádamo Basani que fale um pouco da Lapa Auto Onibus Ltda, que foi sediada na rua Barão de Jundiaí, 123, tel. 5-0292, com as linhas: Lapa/ Pça do Patriarca (depois Pça Ramos de Azevedo) 35 e 36; Perdizes / Pça do Patriarca, 37; Cons.Brotero/Pça do Patriarca, 38 e 39; Bom Retiro / Lgo S.Bento, 70 e 71; Barra Funda/Lgo S.Bento, 73; Casa Verde/Lgo S.Bento, 74 e 78; Pacaembu/Pça do Patriarca, 106. Tenho de cór a maioria dos itinerários. Número de ônibus da empresa, em 1947: 140, de várias marcas. A Viação Jabaquara, no mesmo ano, tinha 212.

  6. Faltou o legendário MB O362 monobloco, com a pintura azul e bege da CMTC. Foi marcante pra juventude de muita gente nos anos 70 e 80! No mais o post está lindo!

  7. Caros Mílton Jung e Adamo Bazani, uma verdadeira viajem ao tempo, imagens que nos trazem tantas recordações de nossa maravilhosa metrópole. E uma das fotos, aquela do ônibus de 2 andares me fez lembrar o Ilustre Prefeito Jânio Quadros, que naquela época havia ido à Inglaterra e voltou com essa novidade. E o interessante é que pelo que ouvia dizer na época, esse ônibus deveria operar na linha terminal Santo Amaro – Praça da Bandeira, com intinerário pelo Corredor das Avenidas Santo Amaro e Nove de Julho, o que não foi possível devido à altura do ônibus ser incompatível com o túnel que passa por baixo da Av. Paulista. Foi então modificado o intinerário para a Av. Brigadeiro Luís Antônio e o ponto final foi a Praça da Sé. Coisas de Jânio. Abraços
    Cristiano Bacelar Couto.

  8. Faço curso de Gestão em Transporte Terrestre e gostaria de agradecer, por seu trabalho informativo, foi muito util e importante para elaboração e apresentação de seminario academico, referente a historia do transporte em São Paulo.

  9. Só há um erro.
    Os ônibus de dois andares, salvo engano meu, foram implementados em 1987 e não em 1989.

    Aliás, em 1989 Jânio Quadros nem era mais o prefeito de São Paulo, e sim Luiza Erundina.

    A informação 1989 está errada.

  10. Muito legal!Só é pena o sistema em sp não funcionar direito…Sou motorista de ônibus e acho que São paulo não suporta mais o número de carros em suas ruas…Mas gosto de rever a história do transporte coletivo em sp,visto que eu andei muito de ônibus(Jurema) com meu pai quando ele era motorista da mesma empresa!

  11. Milton, sua excelente postagem peca por uma informação extremamante errada. Quando você fala do ano de 1936, a foto que ilustra a matéria é de um onibus montado sobre chassis International KB-5, que só foi fabricado entre 1947 e 1949, e evidentemente, não se trata de um onibus GM Diesel.
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s