Cocô de cachorro, quem pega ?

 

Por Dora Estevam

Passeando com Gisele

A cena é a seguinte: a babá leva o cachorro em lugar de um bebê, passeia lentamente, aos passos do cachorrinho, é claro. Cumprimenta as pessoas das lojas, o porteiro, alguém mais que não identifiquei. Enquanto isso o cachorro aproveita para dar uma cheiradinha na grama, que lhe parece familiar. Para e pumba: cocô na calçada.
 
Quem pega? É pegar ou largar.
 
A moça não pode fazer feio na frente do amiguinho, então recolhe a caca, põe num saquinho de plástico, amarra bem amarradinho e depois, e depois … tchan tchan … atira ao pé da primeira árvore que encontra pela frente.
 
Situação como esta que vi dia desses acontece diariamente por todas as ruas dos bairros residenciais  da cidade. O caso desta moça foi apenas um exemplo, são muitas as pessoas que passeiam com seus cães e não pegam a sujeira. Fica lá aquele cocô na calçada que você é obrigada a desviar para não se sujar. As calçadas com grama ficam  insuportáveis, tem que andar pela rua. Nas residenciais misturadas com comércio, então, é uma constante briga entre lojistas e passeadores de cães.
 
O problema é do dono do cachorro, e pronto!
 
Incrivelmente é do conhecimento de todos que o caso virou Lei e se não recolher o cocô e jogá-lo na lata de lixo é multa (na incerta).
 

Elegância de Sienna Miller

Tenho falado aqui na coluna sobre comportamento, moda, beleza e estilo de vida. Sempre na intenção de inspirar e não criticar. Mas eu não posso deixar de falar da falta de educação destas pessoas que continuam agindo de má fé.
 
Eu não posso acreditar que o dono ou a dona de um animal de estimação não tenha consciência  que o bicho também faz as necessidades  dele e estas não são feitas em privadas, mas em quintais e gramas, muitas do vizinho.
 
Da mesma maneira que você passa no Pet Shop para fazer compras para o seu doguinho deveria aproveitar para se informar qual a melhor saída na hora de recolher o que ele deixa pra trás.
 
A vergonha e falta de educação é você largar a sujeira na calçada achando que com a primeira chuva vai tudo embora. Ou colocar em saquinhos plásticos e abandoná-lo no pé da árvore. Quem vai pegar aquilo? A faxineira da loja ou do salão de beleza, é isso?

Sem contar que aquele saquinho deve demorar anos para se dissolver na natureza (outra questão que já foi tema de debate aqui neste blog) – ou seja, deixarão de herança uma montanha de plástico recheada de cocô de cachorro.

As fezes na rua podem trazer muitas doenças através das moscas que atraem. E você não vai querer que a sua família seja contaminada por isso, vai?
 
Para você que tem animal em casa, certifique-se de que a pessoa que esta saindo com ele recolhe a sujeira e a despeja no lixo da sua casa. Melhor ainda, dê você mesmo o exemplo e mostre qual o procedimento correto.
 
Seja um fiscal da sua calçada e se vir alguém cometendo esta falta de educação não deixe de alertá-la.  
 
Tenha um bom e elegante passeio com o seu dog!

Dora Estevam é jornalista e escreve sobre moda e estilo de vida no Blog do Mílton Jung

17 comentários sobre “Cocô de cachorro, quem pega ?

  1. Prezado Milton Yung,

    Na década de 80, o vereador José Índio Ferreira do Nascimento, elaborou um Projeto de Lei, obrigando aos proprietários de cães, a levarem consigo: saco plástico e pá para a remoção das fezes de cachorro. Conclusão: o vereador Zé Índio, foi alvo de gozação na Câmara Municipal de São Paulo.

    Abraços,

    Nelson Valente

  2. Não custa nada levar junto um saco plástico para recolher os dejetos dos nossos amigos de quatro patas.
    Acontece que muitos proprietários, empregados de proprietários são porcos, relaxados, sem o minimo de edicação e civilidade.
    Mas por onde andam os fiscais da prefeitura para multar os porcolinos?
    Só o Kassab Sabe.
    E nem precisa carregar uma pá para recolher os dejetos.
    Basta virar o saquinho para o avesso recolher usando-o como se fosse uma luva e pronto!
    Sem contar que existem pessoas que recolhem com saquinhos mas depois jogam os saquinhos em cantinhos, floreiras, nas bases de arvores.

  3. Pois é caro Nelson, com Lei ou sem Lei as pessoas precisam ter educação e saber que o cocô do cachorro deve ser levado para a casa, isso se não encontrar um lixo adequado para jogá-lo. Imagina, quem deixa a sujeira na rua pode sujar muito mais por ai.
    Abraço e obrigada pela visita.
    Dora

  4. O problema não é só esse.Agora temos 02 (dois) problemas.
    Além do cocô dos cachorros deixados nas calçadas, os proprietários ou “passeadores” de cachorros colocam as fezes do animal (quando recolhem) em embalagens “plásticas” que não se deterioram tão facilmente.
    Resumindo: teremos problemas ambientais por muito mais tempo.As pessoas deveriam recolher as fezes dos animais utilizando-se de papel que é biodegradável. (simples e ecologicamente corrento).

  5. Dora: difícil educar o povo. Como enfiar na cabeça de nossos concidadãos que a rua , a calçada, os jardins não são para depósitos de dejetos? Antigamente não encontrávamos cestas para o lixo nas ruas de Sampa. Hoje, pelo menos no meu bairro, não se passa uma quadra sem se ter uma, mas também observo todo o tipo de lixo nas calçadas e ruas. Aproveite e dê uma olhadinha no rio Pinheiros…..quantas garrafas boiando naquela coisa preta que pode ser tudo, menos água.
    Acredito que se deva fazer uma campanha publicitária a nivel nacional, redescobrindo o “Sugismundo”, por exemplo.
    Amanhã, aniversário de São Paulo, seria um bom dia para iniciarmos a nossa campanha.

  6. .
    &ntão, como fazer, rsrs…

    Bem, penso eu [de vez em quando], que campanhas voltada principalmente para crinças, pois estas serão o futuro…

    porém, se VC pensa um pouco, imagina, como deve ser esta criança aprender a ter respeito, porém, quando sai para passear com o pai e/ou a mãe, avó, etc…,

    vê aquela pessoa deixar o seu cachorro cagar nas calçadas e que se fo.., rsrs os demais neste planeta, ou no bairro…

    Ai entra a multa, derepente, grana, afinal o que seria do ESTADO sem a grana dos cidadãos, pórem, se eu fosse juiz, daria serviços comunitários diversos, desde que houvesse uma forma de estar sempre se verificando [policiando]…

    Fuiiiiiiiiiiiiiiiiii,…
    .
    ass: Douglas The Flash
    .
    R18x2dc1D.R!*x224Jan20111806ISeg24111TcJspM1fj5180408
    .
    eujafuiprejudicadoporservicospublicos.wordpress.com
    .

  7. Sabe Valter eu tenho duas cadelas em casa e ao recolher o cocô nós costumamos colocá-los em jornais antes de ir para a lixeira. É que se o saco de lixo rasgar a caca não cairá sobre o pobre homem do caminhão de lixo. O papel é bem mais prático em casa.
    Abraço e obrigada pela visita.

  8. Marcelo, eu tenho vergonha até de jogar cabelo fora do carro. Tenho visto senhoras de todas as caras atirando coisas para fora da janela do ônibus ed o carro…elas atiram sem dó. Além da falta educação elas são porcas mesmo.
    Ui!
    Bjs

  9. É verdade Carlos, a questão das câmeras mais uma vez, pode até inibir. Mas assim como não respeitam vagas para deficientes e idosos eles também vão continuar desrespeitando os cidadãos com esta atitude. Lamentável.
    Bjs

  10. Pois é, Dora, infelizmente temos humanos muito mais “cagões” que os cachorros que passeiam com eles…. isso porque muitas vezes as pessoas tem nojo de pegar o cocô de seus cãezinhos…. ou acham que isso não é problema deles…. ou, como você disse, que a chuva vai levar embora…. Isso é muita falta de educação, isso sim!!! Quando eu morava no Real Parque, havia uma casa com placas espalhadas por todo o muro: “Não deixe que se cachorro defeque em minha calçada” – “Junte as fezes do seu cão. Minha calçada não é banheiro” e por aí afora…. E o pior que nem isso funcionava…. continuava lá a calçada cheia de caca….
    O que falta para a grande maioria é educação. Sem isso, continuaremos sendo sempre mais animais que os nossos animais….
    Beijo!!

  11. Pois é d. Mônica, é a pura falta de educação. Além de burros que olham a placa e nâo entendem o que está escrito – tipo analfabeto funcional (ainda finge q nâo é com ele (a)). Só pode ser isso.
    Na frente de casa tinha cocô todos os dias na grama. Perguntei de quem era ninguém soube dizer. Eu falei que ia colocar a câmera direcionada para aquele canto. Nunca mais apareceu o cocô.,Devia ser gente próxima.
    Bjs

  12. Sim Douglas, o pai que faz o certo consegue passar para o filho (a) a boa educação. Mas se for um pai tipo porcalhão ele vai achar engraçado e rir das pessoas que limpam as ruas. Vai achar que está levando vantagem. Se puder dar um toque e explicar a situação será bem melhor para todos.
    Tks

  13. Realmente é péssimo pisar no cocô de nossos amiguinhos, mas os culpados não são eles e sim nos mesmo. A ideia de usar saquinho plastico é muito boa, mas não pode ser um saquinho plastico qualquer tem que ser um ecologicamente correto. Eu passei o dia inteiro vendo videos e lendo sobre isso, fiquei com varias ideias na cabeça, mas o que eu mais me chamou a atenção foi um vlog chamado temporada fora, além de ele falar sobre nossos amiguinhos comicamente ele fala sobre a nossa educação.
    http://temporadafora.com/vlog/episodio-2-campos-minados

  14. Realmete cda vez mais nossas calcadas estao cheias de coco de cachorro;os nossos oceanos estao uma verdadeira sopa de lixo e as pessoas,nao estao nem ai,eu vi esses videos e achei super legais!!

  15. Pois é! Isso é o que tento buscar e entender, o quê essas pessoas tem na cabeça ou na mente, onde você perceber que as calçadas dessas pessoas não tem cocô de cachorro. São uma verdadeiros sem noção. Fora quando esses imbecis e estúpidos levam cachorro pra praias. A lei deveria ser enérgico com esses tipos de pessoas imundas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s