Avalanche Tricolor: começo encorajador e rejuvenescedor, no Gaúcho

 

Esportivo 0 x 2 Grêmio
Gaúcho – Bento Gonçalves (RS)

 

 

O Grêmio foi a Montanha dos Vinhedos – estádio com nome mais pomposo do que sua estrutura – com um time muito jovem, garotos que até ontem tinham a ambição de conquistar a Copa São Paulo de futebol júnior; havia outros que acabaram de chegar ao clube, talvez ainda sem acreditar na rara oportunidade de sair de uma equipe da quarta divisão do campeonato brasileiro para integrar um elenco disposto a ganhar a América. A esses juntaram-se dois ou três nomes um pouco mais conhecidos do torcedor. E todos foram entregues ao comando de um técnico, Mabília, que sequer havia tido a chance de treinar os profissionais ainda. Um cenário que se construiu graças ao encavalado calendário do futebol brasileiro que, como costuma dizer minha mãe, precisa colocar Porto Alegre dentro de Canoas. Aos que leem esta Avalanche distante do Rio Grande do Sul cabe a explicação: Canoas é cidade metalúrgica ao lado da capital gaúcha que tem pouco mais de 320 mil habitantes, enquanto Porto Alegre, abriga cerca de 1,4 milhão.

 

Se a tarefa de encaixar as competições estaduais, nacionais e sul-americanas no período de um ano é praticamente impossível, nós sabemos bem que para o Grêmio tudo é pode acontecer. Por isso, mesmo com a equipe principal treinando em Quito, no Equador, há uma semana, para iniciar a disputa da Libertadores, o espírito tricolor se fez presente em Bento Gonçalves. Pequenos e grandes guerreiros apareceram com a camisa do Grêmio, demonstrando talento, garra e precisão, apesar de desentrosados. Dos baixinhos, Gustavo Xuxa foi o maior, tendo sido caçado boa parte do jogo por seus marcadores. Dentre os grandes, Lucas Coelho foi o melhor, revelando personalidade ao partir para cima da defesa, força para driblar os zagueiros e um pé certeiro no chute. Fez o primeiro gol e permitiu, com um desvio de cabeça, que o segundo fosse marcado por Paulinho, este da lista dos recém-chegados.

 

Claro que esta é a primeira partida oficial do ano e pouco pode significar para o restante da temporada. Nossas atenções estão todas voltadas para quarta-feira quando teremos o primeiro dos muitos desafios da Libertadores. Mas para um campeonato que começa quando ainda estamos nos espreguiçando das férias e sem o mesmo glamour do passado, o que vimos no fim da tarde deste domingo foi encorajador. Diria mais: rejuvenescedor.

4 comentários sobre “Avalanche Tricolor: começo encorajador e rejuvenescedor, no Gaúcho

  1. Lucas Coelho, um nome para membros da diretoria (e os adversários) ficarem de olho. Bom jogador, com personalidade, chute forte,exatamente como descreveu.

    Começar um campeonato, qualquer que seja, é sempre muito bom (nossos co-irmãos do Beira-Rio não podem dizer o mesmo), mas claro que nossas atenções estão voltadas para quarta-feira, e na próxima, dia 30, também.

    É o planejamento de uma temporada inteira que está em jogo. Quis o destino que um clube forte (talvez o mais difícil como adversário nesta primeira fase) caísse diante do Imortal. Acredito muito mais no Tricolor e tentarei manter os pés no chão, sempre com muita esperança pelo que virá durante o ano.

    Abs

  2. Bruno,

    Criamos esta situação ao não nos credenciarmos a vaga direta da Libertadores, no Brasileiro de 2012. Agora, é superar-se em campo antes mesmo de agregar as contratações mais importantes da temporada.

  3. E chegou o momento esperado de 2013! Que venha a LDU e em seguida os outros times. Serão derrotados e no primeiro ano da Arena levantaremos a taça do tri da Libertadores.
    Um bom 2013 a nós gremistas. Times temos e prova disso o o início do Gauchão.

  4. O time que o Grêmio mandou para a Copa São Paulo de Futebol Júnior foi heróicos. Na segunda fase da competição ficou restrito a quatorze jogadores e Mabilía,o técnico,retornou a Porto Alegre com os que foram chamados para integrar a equipe que começou o Campeonato Gaúcho…e ganhou do Esportivo. O Grêmio teria chegado ao hexagonal da Copa São Paulo se não tivesse ficado tão desfalcado. Valeu,porém,o sacrifício, desde,claro, que a gente creia nos jovens que vimos em ação. Agora,confiemos nos titulares contra a LDU e a altitude,essa pior inimiga do que a equipe adversária.

Deixe uma resposta para Bruno Zanette Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s