“Ghostbusters Caça Fantasmas”: veja, mas o original é melhor

 

Por Biba Mello

 

 

FILME DA SEMANA:
“Ghostbusters Caça Fantasmas”
Um filme de Paul Feig
Gênero: Ação/fantasia/Comédia
País:USA

 

Uma respeitada cientista tem um livro de sua autoria republicado por sua colega e co-autora. Ela vai atrás desta amiga pois o livro  afirma a existência de fantasmas, coisa não muito respeitada em seu atual meio acadêmico.

 

Bom, obviamente tudo dá errado para ela que acaba se unindo a essa antiga amizade para provar a existência de fantasmas e logo depois salvar o mundo.

 

Por que ver:
É um entretenimento bacaninha sim, porém, achei fraco em alguns aspectos.

 

As piadas são feitas com uma mão muito pesada do roteiro…Sabe, daquele tipo, “gente riam, sou engraçada”…

 

Trejeitos, reboladas, caras e bocas forçadas, chegam a incomodar a ponto de dar um pouco de raiva…

 

No mais é OK e vale ver em um domingo ocioso.

 

Que fique registrado que não gostei da interpretação de ninguém…

 

Prefiro o filme original.

 

Como ver:
Relax, sem vontade de morrer de rir nem de pensar…

 

Quando não ver:
Depressivo, achando que dará altas risadas…Bom, não vai acontecer…

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung

“A Lenda de Tarzan”: um gatão criado por gorilas

 

Por Biba Mello

 

 

FILME DA SEMANA:
“A Lenda de Tarzan”
Um filme de David Yates
Gênero: Aventura
País:USA

 

Tarzan é Tarzan…..rsrsrsr.  Enfim, é a história original. Ele é um lorde inglês que por motivo de naufrágio acabou na selva e seus pais foram mortos. Ele foi adotado e criado pelos gorilas a ponto de ter uma estrutura óssea diferente da maioria dos humanos. Ele agora está de volta a Londres, como lorde, e precisa retornar à África e salvar o Congo das garras de exploradores brancos.

 

Por que ver:

 

É um verdadeiro espetáculo de efeitos especiais, mas não sem fundamento, lógico…Um sujeito voa com cipós, luta com gorilas, anda com uma manada de guinus…

 

O roteiro é bacana e próprio de uma grande super produção…

 

Os personagens coerentes e ninguém esta over ou fora de contexto, porém sem nenhum brilhantismo.

 

O destaque especial, portanto, fica para o corpo escultural do Tarzan, o ator Alexander Skarsgard….Sorry meninos… Para suavizar, digo que a Jane é uma gata também…

 

Não vou entrar “numas”de discutir a história original x momento político atual.

 

Alguns sites questionam isto e acho que levantar a questão racial, paternalista e machista pode ser feito usando, quem sabe, uma sequência… Gostei do fato da história original não ter sido modificada e acharia legal levantar os assuntos em questão em outra fita… Uma Jane mais emponderada? O negro como o salvador da pátria? É, seria bem bacana sim…

 

Eu gostei do filme e acredito que vale como entretenimento. Sempre fui fã do Tarzan e costumava assistir com meu avô,portanto me trouxe boas memórias.

 

Como ver:

 

No fim de semana. Acho forte para vermos com crianças menores, mas acredito que uma de 10 já seja madura para tal. A censura é 12, achei exagerada, mas fica a critério de vocês.

 

Quando não ver:

 

Tá no começo de namoro? Tá meio gordinho? Se incomoda com isto? Então, escolha outro filme pois o Tarzan é viril demais, gatão demais…hahahahahahahahahahah

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung

“Como Eu Era Antes de Você”: para amar a nossa própria vida

 

Por Biba Mello

 

 

FILME DA SEMANA:
“Como Eu Era Antes de Você”
Um filme de Thea Sharrock
Gênero: Drama
País:USA

 

Will, um playboy gato, bem sucedido, esportista, tipo a reencarnação do Jonh Jonh Keneddy, sofre um acidente e vira tetraplégico. Sua nova condicão o torna uma pessoa depressiva e cínica, fazendo seus pais contratarem Louisa, uma moça divertida e simpática para alegrá-lo.

 

Por que ver:

 

É uma comédia romântica? HUMM, não! Está mais para um “híbrido” de comédia romântica e drama pesado… Pesado pois discute a eutanásia…

 

O filme nos coloca na situação da personagem várias vezes e nos faz amar nossa própria vida! É muito louco o efeito que a desgraça alheia causa em nós.

 

Os personagens são razoáveis, em especial o Sam Caflin, que consegue fazer sem tropeços a transição do papel de galã para tetraplégico. Ponto para ele.

 

Roteiro um pouco previsível, apesar do final…Não vou contar, juro!

 

Vale o entretenimento.

 

Como ver:

 

Acho melhor ver sozinho(a).Eu chorei horrores.

 

Quando não ver:

 

Bom, vou pegar o gancho da pergunta acima…Não veja com muita gente…Vai passar vergonha…

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung

 

Amanda Knox: assista e diga qual é o seu veredicto?

 

Por Biba Mello

 

 

FILME DA SEMANA:

 

“Amanda Knox”
Um filme de Brian Mcginn / Rod Blackhurst
Gênero: Documentário
País:USA/Dinamarca

 

A americana Amanda chega a Perugia, Itália, para  intercâmbio e conhece Meredith, sua colega de quarto. Poucas semanas depois, Meredith é assassinada. Amanda e seu namorado, Raffaele, são os principais suspeitos de um crime brutal. Muitos detalhes de um verdadeiro conto ao estilo Sherlock Holmes, vão te fazer pirar.

 

Por que ver:

 

Pessoal, este documentário teve uma importância a mais para mim pois eu morei em Perugia… É uma cidade medieval, linda, com uma vida cultural agitada,alegre, no coração da Úmbria, cheia de estudantes, enfim o lugar perfeito para ser intercambista.

 

Quando este assasinato aconteceu, pegou-me de surpresa pois jamais pensaria que algo parecido pudesse acontecer.

 

A linguagem do documentário é super estética e moderna, vale a pena! Amei!

 

O conteúdo não fica atrás e nos conduz através do raciocínio das autoridades e dos próprios suspeitos, que participaram ativamente das gravações.

 

Muitas perguntas não respondidas, muitas convicções quebradas…Convido você a dar seu veredicto aqui nesta coluna…Eles são ou não culpados?

 

Eu tenho o meu,  mas prefiro ouvir  você antes, e ai?

 

Como ver:

 

Com a cabeça aberta a muitas possibilidades. E claro, pronto para dar seu veredicto aqui!

 

Quando não ver:

 

Se você é daquela pessoas que quer sempre estar certo, não importam os argumentos…sua convicção mudará algumas vezes durante o doc, portanto sabichão, não assista!

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung

A informante: na tela, um escândalo da ONU

 

Por Biba Mello

 

 

 

FILME DA SEMANA:
“A Informante”
Um filme de Larysa Kondracki
Gênero: Drama
País:Alemanha e Canada

 

Baseado em fatos reais. Fala a respeito de um dos maiores escândalos envolvendo a ONU.

 

Kathy é uma policial super esforçada que, para ganhar um dinheiro extra, aceita uma missão complicada de pacificadora na Bósnia, em sua reconstrução pós-guerra. O que ela não espera, é dar de cara com uma quadrilha que envolve toda corporação, até o mais alto escalão da ONU. O filme fala de tráfico humano e exploração sexual, que beneficia esta rede criminosa.

 

Por que ver:

 

Além do assunto ser de extrema relevância, trata-se de uma história real que muitas vezes nos parece tão distante. Mal percebemos que tais atrocidades podem estar acontecendo no nosso quintal…

 

O roteiro e atuação são impecáveis, precisos.

 

É um filme forte! Esteja preparado.

 

Como ver:

 

A noite, com ou sem amigos…É um filme soturno e denso… Dolorido. Como estava me recuperando daquela travada absurda na coluna, foi perfeito, me achei a pessoa mais sortuda do globo e parei de reclamar da sorte…rsrsrsrsr

 

Quando não ver:

 

Quando estiver em uma vibe alegrinha…Vai ser um tapa na cara da felicidade…

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung

“A Girl Like Her”: para refletir sobre o bullying e nossas crianças

 

Por Biba Mello

 

 

FILME DA SEMANA:
“A Girl Like Her”
Um filme de Amy S. Weber
Gênero: Drama
País:USA

 

Jessica e seu melhor amigo resolvem gravar tudo o que se passa com eles e fazem isto até ela tentar suicidio por não aguentar o bullying de Avery, a garota popular…

 

Concomitante a isto, uma equipe de cinegrafistas está fazendo um documentário e escolhe alguns ”personagens” para ajudar a contar o dia a dia desta escola pública que acaba de ser eleita “escola modelo”.

 

Por que ver:

 

Nunca, em tempo algum, achávamos que o bullying fosse tomar as proporções que está tomando nesta era digital…

 

Antigamente,quando sofríamos com isto, era tudo mais brando, mais humano, se é que dá para falar sobre isto nestes termos…

 

Além do assunto ser de extrema relevância, o filme tem uma narrativa interessante que mistura algumas linguagens de câmera tais como: documentário, blog, câmera escondida…Achei diferente…Um diferente bom, e bem pensado. Pontos para a direção.

 

Como ver:

 

Indiquei este filme para a reitoria da escola de meu filho. Acho obrigatório a qualquer escola que queira abordar o tema sem meias palavras…Recomendo fortemente que pais e filhos assistam a este filme juntos também. Bom para quem sofre bullying, ensinamento para quem o faz.

 

Quando não ver:

 

Não recomento para crianças com menos de 8 anos (a censura diz que é para 13), tirem suas conclusões quanto a maturidade de seus filhos, e assistam antes de mostrar aos menores.

 

Pena que é forte para menores pois percebo que crianças na idade do meu filho(5 anos) já praticam bullying!!! Pasmem!

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung

“Stranger Things”: um terror, uma declaração de amor e está no Netflix

 

Por Biba Mello

 

 

FILME DA SEMANA:
“Stranger Things”
Uma série original Netflix dirigida pelos Duffer Brothers
Gênero: Terror/suspense,drama
País:USA

 

Quatro garotos, no melhor estilo ”Goonies”, são amigos inseparáveis. Um belo dia, um deles som, e estranhos acontecimentos assustam moradores da cidade. Um detetive determinado a resolver o caso misterioso envolvendo uma importante central de pesquisa nos conduz a uma trama inteligente .

 

Por que ver:

 

A série é uma declaração de amor à decada de 80, além de evidentes referências cinematográficas e literárias da época como Stephen King, Spilberg ,Amazing Stories, Conta Comigo e, provavelmente, outras que eu  não tenha “pescado”.

 

O elenco é muito carismático, bem dirigido e as atuações muito dignas de nota, em especial a menina que faz o papel da “Eleven”.  Ela se chama Millie Bobby. Que loucura os tempos de interpretação desta criança! Perfeita, maravilhosa! Corro o risco de dizer que é a mini Meryl Streep!

 

O roteiro sem monotonia cativa do primeiro minuto ao último.

 

Como ver:

 

À noite, no melhor clima “terror”possível. Não é aquela pegada “O Exorcista” que envolve espíritos na trama, pois aí eu não teria visto: morro de medo!

 

Quando não ver:

 

Não recomendo para crianças. As chances de pesadelo são enormes!

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung

 

Os suspeitos: um filmaço!

 

Por Biba Mello

 

 

FILME DA SEMANA:
“Os Suspeitos”
Uma série de Dennis Villeneuve
Gênero: Suspense
País:USA

 

Keller é um pai de família bem bacana. Sua vida é feliz e tranquila. Um dia resolve fazer uma visita a um casal de amigos. Sem que eles percebam, a filha de Keller desaparece. A polícia e Keller acham um suspeito, mas por falta de provas o deixam ir. Keller não se conforma e resolve fazer sua própria investigação com a ajuda de seu melhor amigo; e sequestra o suspeito.

 

Por que ver:

 

Ai, papai! Se segura, pois o “trem é forte”!

 

Digo de boca cheia: este é um suspense dos bons. Não entrega o ouro e brinca com o espectador do início ao fim.

 

Roteiro, direção e interpretação perfeitos.

 

Em resumo: filmaço.

 

Como ver:

 

Com amigos no fimde semana pois vai demorar para que você consiga dormir depois. Adrenalina vai a mil.

 

Quando não ver:

 

Acabou de ter filho? Hummm … não é um filme, digamos, recomendado. Vai te deixar em uma paranóia do tipo “querer andar com a criança na coleira”…rsrsrsrs

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung

Olhos da Justiça: não veja

 

Por Biba Mello

 

 

FILME DA SEMANA:
“Olhos da Justiça”
Uma filme de Billy Ray
Gênero: suspense,drama
País:USA

 

Uma investigadora da sessão antiterrorismo do FBI tem sua filha assasinada. Seu colega dedica 13 anos de sua vida a achar o assasino e finalmente consegue fazê-lo.

 

Por que (não) ver:

 

Gente, confesso que eu não sabia que se tratava do remake do filme “Segredo de Seus Olhos”, e só ao final que percebi e fiquei bemmmm P da vida, pois sinceramente não chega aos pés do original.

 

Esta é uma crítica para você nem perder seu tempo, uma vez que o filme com o Ricardo Darin é infinitamente melhor.

 

Meu marido e eu nos esforçamos heroicamente para não dormir .

 

Julia Roberts, ok; Nicole Kidman, também, ok…

 

Como ver:

 

Alugue outro filme. A menos que você não goste de filmes que não sejam americanos ou ingleses. Meu marido, por exemplo, tem bastante resistência em assistir a qualquer filme que a língua não seja o inglês.

 

Quando não ver:

 

Sempre! Veja o original que é um filmaço.

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung

Drop Dead Diva: série pra ser vista e se aceitar

Por Biba Mello

 

 

FILME DA SEMANA:

 

“Drop Dead Diva”
Uma série de Josh Berman
Gênero: Comédia/ Fantasia
País:USA

 

Uma linda e fútil modelo e uma brilhante e gordinha advogada morrem no mesmo dia e na mesma hora. No céu, a modelo aperta um botão de “retornar” e acaba entrando no corpo da advogada, assumindo sua vida , seu QI e seu guarda roupas.

 

Por que ver:

 

É uma série muito divertida e leve que realmente merece ser vista.

 

A princípio nossa tendência é pensar : “meu Deus já imaginou reencarnar em uma super gordinha, sendo que seu corpo original é deslumbrante. Nossa deve ser desesperador”.

 

Outro pensamento que nos ocorre: “pronto, agora a alma da modelo vai fazer esta gordinha emegrecer e assim tudo vai dar certo”.

 

Mais um: ”não é possível que o antigo amor da modelo vá se apaixonar por alguém com esta aparência”…

 

A medida que a série passa, percebemos que esta frivolidade deixa e muito de se tornar importante. Nos conectamos de tal maneira com a personagem que começamos a achar a Jane (a gordinha) muito mais legal que a antiga modelo (Deb). E chegamos a conclusão de que preferímos “ser”a Jane do que a Deb.

 

Uma reflexão bem bacana sobre auto-aceitação e o que é realmente importante na vida.

 

Como ver:

 

A qualquer horário e de preferência com aquela menina adolescente que não se aceita. A mensagem é tão bacana e tocante que vale a pena.

 

Quando não ver:

 

Se você quiser dormir cedo. Será inevitável assistir a mais de um episódio por vez.

 

Biba Mello, diretora de cinema, blogger e apaixonada por assuntos femininos. Dá dicas de filmes e séries aqui no Blog do Mílton Jung