Mundo Corporativo: transformação digital cria empregos novos, diz Fernando Martins

 

 

“Cada tecnologia de automação elimina emprego. Isso não há dúvida. Mas ela também gera novos empregos. Então, a gente tem o desafio, não é de manter as pessoas no emprego de pouca utilização do cérebro …. é de capacitar essas pessoas para que elas possam ser, dar a manutenção nesses sistemas” —Fernando Martins, consultor em transformação digital

O impacto provocado pela transformação digital nos negócios e na vida das pessoas é inevitável e a velocidade com que isso tem ocorrido é cada vez maior. É preciso saber tirar proveito desse processo, com as empresas aprendendo a trabalhar com o enorme volume de dados gerados e os profissionais buscando o caminho do conhecimento em áreas e funções que não possam ser simplesmente substituídas por uma máquina.

 

O consultor de transformação digital Fernando Martins fala dessas mudanças em entrevista ao jornalista Mílton Jung, no programa Mundo Corporativo, da CBN. Ele foi CEO da Intel por pouco mais de 19 anos e tem se dedicado a fomentar negócios com potencial para crescimento no cenário digital.

 

Um dos setores que têm se beneficiado do uso da inteligência artificial no Brasil é o agronegócio e várias têm sido as experiências desenvolvidas no campo que trazem maior eficiência ao produtor rural, conta Martins.

 

Um exemplo que ele apresenta é das máquinas computadorizadas que espalham esterco na terra onde será realizado o plantio. Uma função que era realizada por pessoas sem a precisão necessária para tirar o maior proveito do produto. Se por um lado esses trabalhadores perderam sua utilidade, por outro o agricultor precisou contratar especialistas em mecatrônica.

 

Para Martins são forças econômicas que estão causando essa transformação digital no mundo, a começar pelo fato de o custo computacional ter diminuído muito:

“Quanto custa tirar um foto no celular? Custa nada. Em 1984, custava U$ 100 armazenar uma imagem dessas em uma hard drive que custava U$ 2 mil e tinha capacidade de armazenar 20 megabytes; hoje, você consegue armazenar dados cada vez maiores, dados interessantes que antigamente você não conseguia armazenar”.

O Mundo Corporativo pode ser assistido, ao vivo, às quartas-feiras, 11 horas da manhã, pelo Twitter (@CBNoficial) e pela página da CBN no Facebook. O programa vai ao ar aos sábados, às 8h10, no Jornal da CBN, e aos domingos, às 10 da noite, em horário alternativo. O programa tem a colaboração de Guilherme Dogo, Rafael Furugen, Isabela Ares e Débora Gonçalves.

Raio derruba avião ?

Informação de Armando Italo que escreve sobre aviação, aos sábados, no Blog do Milton Jung:

Inicialmente podemos tecer somente algumas suposições aos ouvintes, como mostra a ilustração abaixo, porém nada definitivo ou afirmativo sobre as possibilidades e as causas que levaram a mais este triste e lamentável acidente com o Airbus A330 da Air France. Uma conjunção de fatores pode ter contribuído para o acidente, incluindo o mau tempo e a possibilidade de um raio.

Os raios ou descargas elétricas “podem danificar a fuselagem de um avião, como perfurações”, atingir sistemas de comunicações e eletrônicos. Em 8 de dezembro de 1962, um raio atingiu um Boeing 707 da Pan Am sobre Elkton, estado de Maryland. A descarga provocou uma faísca que incendiou o vapor do combustível em um dos tanques, causando uma explosão que derrubou a aeronave. Pelo que sei este tipo de avião é monitorado 24 horas pelo fabricante via satélite. Quem sabe se o fabricante possa nos informar com mais precisão os motivos que poderia ter causado mais este acidente?

Veja este video mostrando um raio atingindo um 747 durante a decolagem.

Nada aconteceu, pois a carcaça metálica da aeronave não permitiu que o campo elétrico penetrasse no interior. Esse fenômeno é conhecido como Gailoa de Faraday. O que aconteceu com o airbus A330 pode ter sido infelizmente uma fatalidade.