Avalanche Tricolor: vamos ter de ganhar a Libertadores, fazer o quê?!?

 

Athletico 2×0 Grêmio
Copa do Brasil — Arena da Baixada/PR

 

 

Gremio x Athletico-PR

Geromel em campo, em foto de LUCASUEBEL/GRÊMIOFBPA

 

 

Havia enorme expectativa de uma disputa regional do fim da Copa do Brasil, mas logo no início da noite o Grêmio não cumpriu a sua parte. Jogou menos do que costuma, abaixo de suas qualidades e aquém do necessário. Mesmo assim, segurou o resultado negativo possível até o fim, apesar de ter perdido um de seus principais jogadores no começo do segundo tempo. E de estar diante de um adversário competente, competitivo e empurrado por seus torcedores

 

 

Teria tido a oportunidade de mudar a história da decisão se, nos primeiros minutos de partida, o árbitro não tivesse tido sua visão embasada pela prepotência. Ao não ter visto em campo o pênalti que favoreceria o Grêmio, foi forçado a olhar a tela do VAR. E mesmo que a cena se repetisse várias vezes diante dos seus olhos, com a bola sendo desviada pelo braço do marcador dentro da área, insistiu no erro. Nenhum dos comentaristas de árbitro que ouvi na TV e no rádio foi capaz de concordar com ele.

 

 

Prejuízo anotado, temos consciência de que o futebol gremista não foi aquele que nos levou a sequência de títulos nestes últimos três anos. Mesmo assim, o destino nos ofereceu a oportunidade de mudar a história dessa semifinal na cobrança de pênaltis. Em uma série na qual os cobradores demonstraram muita qualidade. Alguém haveria de errar. Erramos nós. 

 

 

É hora de deixar a ferida secar, recolher os trapos e se concentrar no próximo desafio. Eis aí  uma vantagem de ser torcedor do Grêmio: estamos sempre prestes a mais uma decisão.

 

 

Fora da Copa do Brasil, o que vamos fazer? Ganhar a Libertadores, ué! A gente pode,.

 

Bola pra frente!

 

Avalanche Tricolor: Luan voltou a sorrir

 

Grêmio 2×1 Athletico PR
Brasileiro — Arena Grêmio

 

 

Gremio x Athletico-PR

Luan comemora, em foto de LUCASUEBEL/GRÊMIOFBPA

 

Eita, coisa estranha esse campeonato! Dia desses falei com você, caro e raro leitor desta Avalanche, que ainda me acostumava com o fato de ter de assistir a alguns jogos em horários diferentes, como o do sábado passado que foi às nove da noite, além de termos partidas disputadas quase todos os dias da semana. Não é que nesta 16a rodada do Brasileiro, descobri que também passamos a ter jogos sábado pela manhã?!? Ainda bem que não era o do Grêmio.

 

A rodada mal começou e deparei com outra novidade: jogo de bola só na internet —- exclusiva no site GloboEsporte.com. Por falta de atenção minha, passei a correr as centenas de canais disponíveis na televisão e nada de aparecer a partida do Grêmio. Clica aqui, corre canal ali, acessa o PPV —- aquele que eu pago para ver, mas não tive direito de ver —- e só depois de a bola já ter começado a correr na Arena lembrei que o adversário dessa tarde tem um imbróglio qualquer com a emissora que detém os direitos de transmissão (ou quase todos) do campeonato.

 

Corri no computador e conectei na TV tão rápido quanto pude. E logo descobri que o ataque do Grêmio foi bem mais rápido do que eu e em três minutos já havia aberto o placar, depois de pressionar a defesa adversária, provocar o erro, Luciano roubar a bola e deixar Luan na cara do gol. Ainda bem que a mesma internet logo tinha à disposição o gol gremista para ver e rever quantas vezes eu quisesse. E gostei muito de ver Luan marcando e comemorando aquele gol que o consolida como goleador da Arena e o coloca na privilegiada posição de já ter mais gols com a camisa do Grêmio do que o próprio Renato.

 

Dizem que Luan pode ir embora. Dizia-se o mesmo há exatos dois anos quando o meio-campista estava no auge de sua performance. Ele preferiu ficar, mesmo com as ótimas propostas que surgiam. Quis ser campeão mais vezes pelo Grêmio, conquistar a Libertadores, ser o Rei da América, disputar o Mundial e deixar seu nome na história. Luan conseguiu.

 

Neste ano, seu desempenho ficou abaixo de sua capacidade. Foi para o banco, entendeu que o momento não era dele. Treinou muito, recuperou-se fisicamente e tem se esforçado além da conta em toda a oportunidade que recebe. “Titular” do time alternativo, Luan enfrenta a dificuldade imposta por uma equipe que não tem o mesmo entrosamento da principal. Mas sabe que precisa passar por esse momento para voltar a ser o jogador que aprendemos a admirar em campo.

 

Se esses serão os últimos dias de Luan com a camisa do Grêmio, saberemos em breve. Se realmente o forem, o jogo deste sábado já valeu a pena, pois fiquei feliz em ver o sorriso dele na festa que fez pelo gol marcado e na festa que recebeu da torcida pelo jogo jogado. E mais uma vez Renato foi genial ao sacá-lo do time minutos antes de a partida se encerrar dando-lhe o direito de ouvir seu nome ser gritado pelos torcedores enquanto deixava o gramado.

 

Valeu, Luan!