De quê?

 

Por Maria Lucia Solla

 

flor_Fotor

 

caramba
cada dia
uma vida inteira

 

sempre estreia
nunca meio
ou fim de temporada

 

eu
sempre estrela
que de escada
basta a que tenho em casa

 

quero sim
quero tudo quero mais
quero o melhor da vida
pra ter e dar o melhor de mim
até o fim

 

pra desenterrar
dos meus desertos
o bem-querer sem medo
e o querer bem
crescido no desapego

 

dança
música
arte
quero tudo
na minha medida
desmedida
louca
inconstante
mas minha

 

desassossego

 

mas um belo dia
o quero-tudo abriu os olhos
e se assustou com o que viu no espelho
tinha virado o quero-nada
quero-tudo virou quero-nada!
fazendo bico
chorando
se envergonhando
se desesperando

 

e além disso
eu
que andava de mãos dadas com a esperança
unha e carne
corda e caçamba
não lhe ofereço mais nem a maiúscula
me afastei dela
dei um tempo
quarentena

 

e ela que fique na dela
com sua pompa e circunstância
que eu quero mesmo
é cair na real
no tempo
no amor
na vida
na escrita
no sonho
sim porque até ele
vai se encaixar na real

 

Et voilà!

 

Maria Lucia Solla é professora de idiomas, terapeuta, e realiza oficinas de Desenvolvimento do Pensamento Criativo e de Arte e Criação. Escreve no Blog do Mílton Jung

Câmara tá com a caçamba cheia

 

Lixo da Câmara Municipal SP

Por Devanir Amâncio
ONG Educa SP

O lixo que sai de uma obra da Câmara Municipal de São Paulo está transbordando em duas caçambas(20/9), em frente ao número 211 da rua Santo Antônio, entrada oficial dos vereadores. O mau cheiro está insuportável.

Um gari disse: “A gente  já varreu umas três vezes hoje ao redor dessas caçambas…daqui a pouco tem lixo no chão. Fui falar com o pessoal da portaria para retirar as caçambas. ..o homem disse: – gari , vai cuidar do seu serviço”.
 
O morador de rua Cristiano Leandro Brás, 23 anos, revirava  uma delas  em busca de pedaços de madeira para fazer caixa de engraxate.
 
“Pode me chamar de Negrinho !.. Todo mundo me chama assim.  Sou filho de Araraquara,interior de São Paulo. Estou na rua um tempão… frequento o SEFRAS (Serviço Fraciscano de Solidariedade) na  Riachuelo. Fotografar? Pode!.. Minha Ficha é Limpa. O que pode acontecer é minha família descobrir  o meu paradeiro.”
 
Agora o outro lado (publicado às 17h43)     

“A respeito da reclamação encaminhada pelo Sr. Devanir Amâncio, da ONG Educa São Paulo, esclareço:
 
As duas caçambas citadas pertenciam à empresa contratada para execução de serviço de remoção de entulho, deixado por obra em andamento na Câmara Municipal de São Paulo.
Elas foram retiradas no mesmo dia 20 de setembro que o ouvinte faz referência. Não continham lixo, somente entulho de obra.
A empresa contratada colocou uma nova caçamba. Foi advertida para que seus funcionários adotem todas as medidas destinadas a manter limpo o local ao redor da caçamba.  
 
Assessoria de Imprensa da Presidência da Câmara Municipal de São Paulo”
                                 

Foto-ouvinte: Que caçamba !

 

Enormes latões de lixo em lugar de caçambas para entulho. Alguns sem a identificação exigida pela prefeitura, todos extrapolando a lei ao deixarem o material armazenado ‘transbordar’. Foi o que o colaborador do Blog do Mílton Jung, Marcos Paulo Dias, encontrou em suas caminhadas pelas ruas de São Paulo. E resolveu denunciá-los registrando as imagens que você encontra no álbum digital.

Canto da Cátia: Pequeno conto na sala abandonada

 

180320102607

O conjunto foi comprado em 36 vezes na loja popular do bairro e combinava com a decoração simples da casa pequena da Vila Madalena. Antes de as prestações acabarem, acabou o estofado. Pegou sol, perdeu a cor, desbotou. Para receber as visitas não servia mais. Que fim vou dar ? – perguntou conçando a cabeça. Tinha pena de se desfazer dele, lembrava o namoro novo consumado no menorzinho. Na salinha dos cacarecos nem lugar mais havia. Ouviu no rádio que jogar na calçada atrapalha os pedestres e se a prefeitura pegar, vai multa. Viu a caçamba na Aspicuelta e a confundiu com coração de mãe, onde além do entulho, do resto da obra, da terra revirada, sempre cabe mais alguma coisa. E lá deixou com dó no peito e sem-vergonha na cara, as duas peças decorando a caixa de ferro.

Pequena história prá ilustrar flagrante feito pela repórter Cátia Toffoletto na manhã de quinta-feira. Se gostou – do estofado – corre lá que talvez ainda dê para salvar

Prefeitura caça caçamba clandestina e ‘prende’ 83

 

Caçamba sem licença, caçamba com cadastro vencido, caçamba mal estacionada e caçamba sem sinalização. No total, 83 caçambas foram apreendidas pelo Departamento de Limpeza Urbana, nos bairros atendidos pela Subprefeitura de Pinheiros, no sábado. Foram aplicadas mais de 160 multas e os donos destas traquitanas muitas vezes usadas de maneira irregular na cidade terão de pagar de R$ 250 a R$ 1,2 mil, além das despesas pelo transporte e armazenamento.

De acordo com dados da prefeitura de São Paulo, desde janeiro foram apreendidas 780 caçambas em situação irregular e expedidas mais de 2 mil multas. Pelo que se enxerga na cidade, tem muito mais precisando levar um susto para que a lei seja cumprida.

Nota da Limpurb diz que “as empresas que querem trabalhar corretamente devem se cadastrar no departamento e atender ao decreto que regulamenta a coleta, transporte, tratamento e disposição final dos resíduos de construção civil”. Para denunciar irregularidades no serviço de caçambas, use a Central de Atendimento da Prefeitura: 156

Prefeitura faz limpa em caçambas irregulares

Caçamba é recolhida

Um dia de passeio dos fiscais da prefeitura de São Paulo foi suficiente para encontrar 31 caçambas sendo usadas de maneira irregular na capital. Os equipamentos estavam com cadastro vencido, sem sinalização e estacionadas em locais proibidos. Foram aplicadas 72 multas em um total de R$ 43,2 mil, nas áreas atendidas pelas subprefeituras da Sé, Pinheiros, Mooca, Vila Mariana e Lapa. Levantamento feito pela Limpurb registra o recolhimento de 802 caçambas no ano passado.

Em nota a Secretaria Municipal de Serviços esclarece: “As empresas que prestam serviços de coleta de resíduos de construção civil, cadastradas em Limpurb, tem que manter as caçambas devidamente sinalizadas, com a identificação da empresa e números de telefones de emergência e da Central de Atendimento da Prefeitura 156. Além disto, devem informar os locais utilizados para tratamento ou disposição final dos resíduos, dentro ou fora do Município, os quais devem ser licenciados pelos órgãos competentes. Desta forma, o Limpurb terá como identificar se as empresas cadastradas estão obedecendo a legislação”.