Avalanche Tricolor: o desrespeito ao torcedor de futebol

 

Recebi de uma amiga, colega de profissão e gremista, mensagem que descreve o desrespeito dos organizadores dos campeonatos de futebol e dirigentes de clubes aos torcedores. A dificuldade para a compra de ingresso para as partidas, a falta de informação, o desconforto dos estádios e a agressividade de bandos organizados há muito me mantém distante dos campos – o que mais lamento é que meus dois filhos que poderiam se transformar em amantes do esporte acabam prejudicados, também, pois têm poucas oportunidade de curtir o jogo da arquibancada ouvindo o grito das torcidas, serão apenas torcedores virtuais.

 

Vamos a bronca da Fiorela Rehbein:

 

Oi, Milton,

 

Posso desabafar como boa tricolor que não costuma abandonar o barco perante as situações adversas? Fui pra Porto Alegre na quarta-feira passada, aliás fui e voltei num voo essencialmente verde, vi meu time levar dois gols em noite de casa cheia, cheguei em Congonhas e fui direto para minha empresa trabalhar o dia todo, enfim, nada foi fácil, mas pelo menos eu vi o Grêmio. Eu estive com o Grêmio e matei a saudade do Velho Casarão em seu último ano.

 

É lógico que pra quem enfrentou voo, ir pra Barueri seria fichinha…sopa no mel, apesar de toda a circunstância desfavorável. Nunca pensei em não ir. Consegui até desmarcar compromisso previamente agendado…tudo pra estar com o Tricolor nesse momento difícil. O sentimento vai além da razão…não importa se perder ou ganhar. Só que pela segunda vez aqui em São Paulo me senti desrespeitada enquanto torcedora visitante.

 

O site do Palmeiras informa que para a torcida visitante os ingressos estariam a venda em todos os postos de venda e também na Arena Barueri, no dia do jogo. Como fiquei em dúvida se nos postos de venda seria só no dia do jogo ou a partir de hoje eu telefonei para a RA Sports e eles então me informaram que, ao contrário do que estava bem claro no site, eles não estariam vendendo o ingresso nem hoje nem nunca, mas que no Palestra Itália e na Arena Barueri eu conseguiria. Telefonei então para o Palestra Itália e a funcionária me informou que estavam vendendo desde às 10h e que inclusive os ingressos estavam acabando. Perguntei especificamente mais uma vez sobre os ingressos para a torcida visitante e ela disse que confirmaria e que eu retornasse em alguns minutos. Assim feito, ela me disse que “para a torcida visitante ainda tinha, mas que era bom vir logo”. Como eu não podia sair da empresa, chamei um motoboy para ir até o estádio e comprar pra mim antes que esgotasse. E a minha surpresa foi que ele voltou dizendo que não tinha comprado porque informaram pra ele que os ingressos para a torcida visitante só estariam à venda no dia do jogo.

 

Fiquei muito indignada e tornei a ligar para o Palestra, e, acredite, a funcionária me disse que sim, estavam vendendo, ela garantia, mas que ela avisou que tinha que ser rápido pra não esgotar (??). Mesmo quando expliquei que não estavam vendendo “ainda”, ela insistiu que era um mal entendido.

 

Então, quem diria, o Grêmio fica mais perto de mim quando joga em Porto Alegre – ou no Morumbi, justiça seja feita ao SPFC, onde eu sempre consegui comprar ingressos sem problemas. No Pacaembu é a mesma falta de informação e o mesmo desrespeito que no Palmeiras.

 

Não vou mais. Nem a esse e nem a nenhum outro jogo que seja em São Paulo e não seja no Morumbi. Mas fica a frustração, confesso. A desilusão de quem esperava ver e apoiar seu time, fosse qual fosse a condição e o resultado.

 

Ninguém escuta a Fiorella…sou apenas mais uma consumidora que no Brasil será considerada palhaça por acreditar que o sistema deveria funcionar. Mas muitos escutam o Milton, então se você tiver a oportunidade de, ao menos pedir que as informações sejam fornecidas corretamente aos torcedores, eu agradeço sinceramente.

 

No mais, que o nosso Grêmio possa um dia voltar a ser ‘copero’ de fato.

 

Saudações, e uma boa semana.

 

Fiorella

Canto da Cátia: Fila para o título

Corinthians ingresso

Desde sábado já havia gente rondando o Pacaembu. Era da torcida do Corinthians, de olho na fila para a compra de ingressos à final da Copa do Brasil, quarta, contra o Inter. A multidão começou a se formar mesmo de domingo para cá. E, lógico, a Cátia Toffoletto não poderia se ausentar. Lá estava, bem cedinho, contando para os ouvintes-internautas da CBN qual o clima para a venda de ingressos. Dizem que conseguiu comprar dois bilhetes: um para ela. E o segundo ? Pra quem vai ficar ?