Vacina contra gripe suína não é para todos médicos

 

A distribuição da vacina contra a gripe suína tem causado confusão entre os profissionais de saúde que trabalham em instituições privadas. Médicos, enfermeiros, dentistas, atendentes e demais profissionais da área reclamam que os postos de saúde públicos não fornecem a vacina sob a alegação de que estas se destinam apenas aqueles que trabalham no local.

O Ministério da Saúde, consultado pela produção do CBN São Paulo, diz que se a restrição ocorre é de responsabilidade da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. No mesmo comunicado, alerta que a vacina não é para todo e qualquer profissional de saúde:

“Não há nenhuma recomendação para que os trabalhadores de serviços de saúde se vacinem apenas nos locais onde trabalham. Nem de que sejam vacinados apenas trabalhadores do setor público. Ao contrário, a vacina é para trabalhadores de serviços públicos e privados, sem distinção. E se forem do setor privado, não tem nenhuma distinção ou restrição quanto ao regime de contratação do trabalhador. Esta é aparentemente uma decisão da empresa, sem respaldo nas orientações do Ministério da Saúde. O caso deve ser discutido com a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. São as Secretarias que organizam a vacinação nos estados. Mas tem outro ponto, que precisa ser esclarecido: as pessoas têm confundido que a vacina é para todos os profissionais de saúde. Não é e em nenhum momento o Ministério da Saúde disse que era. O tempo inteiro temos falado “trabalhadores de serviços de saúde envolvidos diretamente na resposta à pandemia” ou seja, envolvidos diretamente no atendimento dos casos suspeitos de gripe. ”