Quintanares: Verão

 

 

 

Poema de Mário Quintana
Interpretação de Milton Ferretti Jung
Publicado em Antologia Poética

 

No capinzal, o meu cabelo cresce;
Pende, polpa madura, o lábio teu no fruto;
Todo o calor te diz: “Amadurece
Mais, ainda mais e tomba!”
Eu não espero
Vento nenhum que te derrube, eu quero
que tombes, doce e morna, por ti mesma, onde
mais sejas desejada e apetecida… vem!
Faremos
De verdura acre
E doce polpa
Manjar que reses lamberão
E virão farejar os animais noturnos

 

Antes de que nos sorva, lentamente, o chão…

 

Quintanares foi ao ar, originalmente, na rádio Guaíba de Porto Alegre

Conte Sua História de SP: a advogada negra que a cidade escolheu para ficar

 

Por Graça Barbosa
Ouvinte-internauta da CBN

 

 

É até difícil de começar… porque quando no Nordeste estava, só ouvia falar de São Paulo como uma cidade de assaltos, violência, … confesso que muito temia, mas a minha euforia de conhecer acabou sendo maior que o medo!

 

Meu pai me trouxe dizendo que lá em Pernambuco, em um município de nome Mariana ou Manari, não tinha futuro pra mim. Eu já nem morava lá! Coisas de pai.

 

São Paulo me aguardava com muitas alegrias e também dores e, com certeza, tive alguns amores, uns felizes outros não… mas aqui estou desde 26 de Janeiro 1996.

 

O primeiro acontecimento foi a morte trágica dos Mamonas Assassinas e os temporais de verão, que naquele janeiro destelhou o barraco da minha irmã. Isso, sim, foi um grande trauma. Queria voltar no dia seguinte para o nordeste, pois lá eu tinha uma casa segura para dormir, mas meu pai não deixou. Bendito seja o meu pai por não me deixar voltar!

 

Acabei me apaixonando por tudo aqui. Vivi momentos de muitas alegrias por onde passei e, também, muitas tristezas, mas aqui estou.

 

Já trabalhei de tudo desde que cheguei: empregada doméstica; lojas de CD, onde conheci meu segundo pai que me ajudou muito aqui em São Paulo e agora está em outro plano: viva, João Gordo!

 

Há dois anos fui até despejada, mas como um milagre fui admitida para trabalhar em uma universidade e ganhei 100% de bolsa de estudo. Hoje estou matriculada e daqui cinco anos São Paulo terá a advogada negra que ela escolheu para ficar.

 

Graça Barbosa é personagem do Conte Sua História de São Paulo. A sonorização é do Cláudio Antonio. Conte você também a sua história de São Paulo. Escreva para milton@cbn.com.br e leia outros capítulos da nossa cidade no meu blog miltonjung.com.br

Eletropaulo fala de verão atípico para falta de luz e demora no atendimento

 

B60UtSAIcAAMDVs

 

Escrevo este texto um dia após ter enfrentado 10 horas seguidas sem energia elétrica em minha casa, local, aliás, onde também exerço parte das minhas atividades profissionais. E escrevo com a ansiedade de que a chuva não retorne à cidade de São Paulo com a força e o vento que têm caracterizado este verão, pois se isto ocorrer na Zona Oeste provavelmente haverá outra interrupção e novo prejuízo à produtividade. Desde o início de dezembro de 2014, registrei 12 protocolos por falta de luz, só neste ano foram quatro, os dois últimos, nos dias 11 e 12 de janeiro. É de causar indignação. Sentimento, aliás, compartilhado com quantidade enorme de paulistanos, pelo que percebo nas mensagens que recebo no Jornal da CBN.

 

Na noite de segunda-feira, havia ao menos 800 mil pontos sem energia elétrica na capital, e a cidade acordou, na terça-feira, com cerca de 540 mil sem luz, segundo informação da própria Eletropaulo. Houve casos de pessoas que chegaram a ficar quase 20 horas às escuras, alguns tendo de fechar seu comércio e outros perdendo comida armazenada na geladeira. A maior parte se sente desassistida pela concessionária ao ligar para a empresa e ser recebida apenas no atendimento eletrônico.

 

Confesso a você que pouco me importa se falo com alguém ou não, desde que o registro automático de minha reclamação gere conserto imediato. Por isso, prefiro enviar SMS para o número 27273 com a palavra Luz e o número da minha instalação (que você encontra na conta de luz). Esta é a mensagem que identifica falta de energia na sua casa ou no trabalho. Assim que você envia o SMS, a empresa retorna com o número do protocolo e uma previsão de restabelecimento de energia. Curiosamente, no início de dezembro, recebi mensagens falando em 2h40 e 3 horas para o conserto. Desde lá, porém, ninguém mais arrisca um prazo: “será efetuado o mais breve possível” diz o texto.

 

Hoje, após muita insistência, a Eletropaulo elegeu o vice-presidente de operações, Sidney Simonaggio, para das as explicações ao cidadão paulistano, em entrevista ao colega Thiago Barbosa, no CBN SP. Sontaggio disse que a Eletropaulo tem dos melhores desempenhos no setor com menos de quatro dias sem energia por ano e religação em até 1,8 horas, em média, para cada instalação. O cenário atual é bem diferente como podemos constatar na minha, na sua, na nossa casa. Mas a Eletropaulo tem uma justificativa: vivemos um período atípico com uma condição de chuva de verão que nunca se experimentou, com ventos que passam dos 80km/h, derrubando quantidade enorme de árvores e atingindo a rede elétrica.

 

Para atender este momento de emergência, a empresa diz ter cerca de 2 mil pessoas trabalhando na operação, sendo que funcionários de diferentes setores foram deslocados para atuar na rua e religar a luz “o mais breve possível”. Simonaggio diz estar incomodado com o fato de a empresa não ter condições de fazer previsão de restabelecimento de energia de forma mais exata. Diz que isso ocorre porque em muitos casos o conserto não depende apenas da Eletropaulo, já que para as equipes acessarem a rede é preciso retirar árvores e outros obstáculos.

 

Em relação a investimentos para amenizar o drama do paulistano, Simonaggio informou que, desde 2010, é realizado trabalho de reestruturação da rede com implantação de equipamentos que podem ser acionados à distância. Por exemplo, foram instalados 3 mil religadores que podem ser ligados ou desligados da central de comando, assim como foram trocados os reles de 1.750 circuitos de distribuição. Além disso, teriam aumentado as ações na área de manutenção da rede. Mesmo assim, alertou: “contra queda de árvore não tem rede nova ou rede velha, rede boa ou rede ruim, ela causa a destruição”.

 

A solução estaria em lei municipal em vigor em São Paulo, projeto que começa a tramitar no Senado e discussão pública na Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica. O que os une: a migração da rede aérea para subterrânea. O que impede que avance: ninguém quer pagar a conta. A rede subterrânea é de 10 a 20 vezes mais cara do que a aérea. Em São Paulo, ficaria 16 vezes mais cara. Já se fez o cálculo de que cada quilômetro instalado sairia por R$ 6 milhões. A Eletropaulo sugere que as prefeituras assumam parte do custo, porque 70% do valor são obras físicas, que sejam criadas linhas de financiamento e deixa muito claro que a conta luz vai ficar mais cara.

 

Dadas todas as justificativas, fica apenas uma certeza. Na próxima chuva a luz vai acabar e “o restabelecimento será efetuado o mais breve possível”. Basta saber o que significa breve para a Eletropaulo.

As consequências do calor de Porto Alegre

 

Por Milton Ferretti Jung

 

Porto Alegre,neste verão,está rivalizando com as cidades mais quentes do mundo. Equipara-se,no mínimo,com algumas da Austrália,Namíbia e outras caniculares. Não lembro de ser obrigado a enfrentar aqui os dias – e as noites,como não – sequer parecidas com a deste mês de janeiro. E olhem que moro em POA faz 78 anos,isto é,a vida inteira,tirante apenas a primeira semana depois do meu nascimento, que ocorreu em Caxias do Sul. Quem tem condições, não deixa de ligar o ar-condicionado,mesmo que o aparelho nem sempre vença a exagerada temperatura que precisa combater.

 

Na última terça-feira, não consegui digitar o texto postado pelo Mílton neste blog.A CEEE,sei lá se por ter acontecido excesso de condicionadores e outros que tais, ligados ao mesmo tempo, na capital gaúcha,deixou a rua na qual moro com meia fase de energia por longo período. E o computador,sem contar com o wi-fi,não serve para nada. O meu filho,então,que me desculpe pelo atraso na entrega do texto que marca o meu retorno das férias, que gozei enquanto ele viajava para os Estados Unidos. A propósito,não deixem de ler as histórias contadas pelo “âncora”do blog. Apreciei-as todinhas. E não se trata de corujice.

 

Está ficando difícil de se entender o que provoca os exageros climático que estão acontecendo no mundo. Normalmente,Porto Alegre é uma cidade quente no verão,mas,repito,acho que nunca com temperaturas tão altas como agora. Enquanto isso,nos Estados Unidos,o frio e tempestades de neve açoitam várias regiões. Três mil voos,repetindo o que já havia se verificado, não puderam decolar na quarta-feira. Aliás,o avião que levaria meu filho e sua família a Vermont,uma estação de esqui,esteve entre os que não decolaram,há duas semanas, por força do péssimo tempo. Compreendo a frustração deles. É bom lembrar,porém,que mais tem Deus para dar do que o diabo para tirar.

 

Em fevereiro,entro em férias na Guaíba e vou com Maria Helena para Tramandaí, litoral gaúcho. Espero que o vento, que costuma soprar no próximo mês,não nos maltrate à beira do mar. Outro problema, que afeta os veranistas das nossas praias, é música,geralmente em altíssimo volume,tanto a rodada por automóveis estacionados nas ruas próximas do oceano quanto a que parte de vizinhos importunos. E não adianta apelar para a Brigada Militar. Ao mesmo tempo,as operadoras de telefonia,entra veraneio,sai veraneio,e a conexão 3G,no litoral,fica cada vez pior.Também não dá para entender por que a ANATEL não as obriga a investir nos principais balneários gaúchos.

 


Milton Ferretti Jung é jornalista, radialista e meu pai. Às quintas-feiras, escreve no Blog do Mílton Jung (o filho dele)

Destaques Brasil primavera-verão 2013

 

Por Dora Estevam

 

Lançamentos que agitaram a semana dos lojistas. O varejo agradece. Foram muitas as marcas que rechearam as araras com as novas peças. E tem muita roupa bonita.

 

A moda está bem divertida: metálicos, franjas, cores vibrantes como os fluors, sandálias de tiras, super femininas, estampas (aliás, força total para os famosos conjuntinhos) e muito brilho; estampas étnicas e geométricas, sem contar as rendas e o couro.

 

Como eu gosto de dividir com você as novidades da moda, separei alguns vídeos de marcas bem legais que nesta semana fizeram eventos e desfiles para avisar as clientes que o novo já chegou. Varejo, e-commerce e atacado, todos abastecidos para atender a demanda desta temporada.

 

Vamos começar com a marca fast fashion Pop Up Store, da Fabiana Justus, apostou nos metálicos, tricôts, néons e nas franjas para a nova estação. Confira no vídeo gravado com exclusividade pela e-commerce OQVestir, no evento Fashion Day In, empresa virtual que agrega várias marcas nacionais. O desfile foi transmitido simultaneamente para a loja do Shopping Market Place, em SP. Confira!

 

 

A marca sofisticada Daslu apresentou o desfile num cenário primaveril, flores e mais flores alegraram o ambiente. Convidadas ricas e bonitas, o público perfeito para consumir a marca. Destaque para os conjuntos estampados e para os fluors. Veja o desfile de apresentação da grife, que também apostou na transmissão simultânea direto do Shopping Cidade Jardim para o novíssimo JK, SP. Play!

 

 

A estilista Adriana Barra também lançou o verão 2013 no mercado, em grande estilo. As estampas exclusivas são meticulosamente escolhidas pela estilista, ela coloca a peça no corpo para dizer exatamente onde cada estampa deve ficar. Este foi um making off da campanha dela que separei para você. Veja!

 

 

Se o varejo conseguiu abastecer as araras para receber o verão, apostando nas grandes vendas e demandas, o atacado também (além de entregar no prazo) já abasteceu os showroons com estoques para a reposição das lojas. É o caso das marcas que atuam no Itaim, bairro conhecido por confecções e atacadistas em SP. A Seventy Nine, marca para mulheres maduras, tem grades de numeração e cores de lindas camisas e regatas de seda, vestidos e saias fluidas, ela apostou nas cores clássicas como o branco, marinho e preto, com pitadas de cores atuais como azul klein, terrosos e estampas étnicas.

 

 

A Nem (também para mulheres clássicas e contemporâneas) apostou nos fluors verde e amarelo, nos terrosos, estampas em animal print e nos brilhos para a noite. Veja na entrevista que fiz com uma das proprietárias da marca a empresária Eloísa Pêra.

 

 

Neste post eu coloquei algumas marcas que particularmente tenho gostado de ver as novidades e acompanhar a movimentação. São marcas relativamente básicas e fáceis de encontrar em lojas paulistanas. Espero que tenham gostado das marcas.

 


Dora Estevam é jornalista e escreve sobre moda e estilo de vida no Blog do Mílton Jung, aos sábados

É tendência que não acaba mais

 

Por Dora Estevam

Enquanto durarem Primavera e Verão, até 2012, você vai ver muito destas tendências nas vitrines. Cedo ou tarde. Cedo porque no Brasil está uma mania de lançar o Verão antecipado (2012 em 2011) e fazer liquidação antes de acabar o ano. E quando o ano começa, o cliente do varejo vai às lojas e já encontra roupa de Inverno. Aliás, nem deveria se chamar Verão 2012, no Brasil, e sim 2011. Foi apenas uma crítica, um desabafo.

Dito isso, prefiro acompanhar os desfiles internacionais – hoje podemos vê-los todos na internet – e acreditar no calendário deles. De todas as marcas quese apresentaram nos últimos meses, consegui separar com ajuda das agências de noticias de moda e revistas internacionais as peças que vão virar hit, ou mania, ou a expressão que você achar melhor para definir esta situação.

O discurso mais ouvido nos últimos tempos, tanto por editoras e consultoras brasileiras como as de fora, é que hoje em dia se usa de tudo, não tem mais aquela coisa definida de comprimento de saia, por exemplo. Usa-se de tudo. O que continua valendo é o bom senso de usar o que lhe cai bem, uma roupa com a qual você se identifica. É mais ou menos aquela coisa antiga de dizer que tal roupa tem a sua cara. É feio mais vale.

Então é assim: pode usar saia micro? Pode.
Pode usar saia longa? Pode.
Pode usar saia midi? Pode.
É por ai.
Bom, vamos às fotos:

Inspiradas em pin-up, água, impressões Africanas, tons pastel, descubra o seu estilo.

Aqui a inspiração no branco monocromático que vem com tudo para as próximas estações. A moda do branco se estende para outras áreas também: automobilística e decoração.

Lembra que falamos dos tons pastel? Rosa clarinho, verde água e azul bebê… para quem quer suavizar a energia dos blocos coloridos. Givenchy, Louis Vuitton e Balman usaram nas coleções.

E tendência minimalista? Lembra? Pois, também reapareceram nas coleções da Lanvin, Givenchy e Roberto Cavalli. Aquele estilo que tem base essencial de se vestir como os homens: tipo blazer-jaqueta nas composições. Como é Verão eles aparecem sem as mangas, sem os bolsos, mas com detalhes de costuras aparentes. Um olhar perfeito para a androginia.

Jaquetas, serão muitas, nos tecidos mais inusitados.
Notaram os tamanhos das saias?

O duo preto e branco também está de volta. Será uma ótima opção para a noite. É uma tendência unânime entre as marcas Christian Dior, Gucci e Stella McCartney. Sofisticação com descrição. Um contraste que será bem-vindo.

Bloguetes, eu adoraria ficar falando das outras tendências que são pelo menos mais 10, mas, ficará para a próxima. Aliás, nos últimos posts falamos das músicas badaladas nas passarelas e da maquiagem que será usada neste verão. Agora sãoas roupas. Tudo perfeito para você passar a Primavera e o Verão em alto estilo.

Aproveite este sábado!

Dora Estevam é jornalista e aos sábados escreve sobre moda e estilo de vida, no Blog do Mílton Jung

Quando a chuva vier

 

Céu em São Paulo

Lembre-se desta imagem sempre que a chuva vier neste verão. Por mais estragos que sejam cometidos pela quantidade de água e descaso do homem, a vida sempre está pronta para recomeçar. A foto é do nosso colaborador e ouvinte-internauta Luis Fernando Gallo.

Maquiagem na cor do verão

 

Por Dora Estevam

À espera do verão (pois, até agora o tempo não se definiu), as mulheres ficam de olho nas tendências de maquiagens para colorir os rostos na próxima estação. Tem as que gostam de cores claras e as que gostam de marcar bem com cores fortes.

Os produtos de maquiagens para o verão já estão disponíveis e se bobear a mulher vai sair da loja com a maleta cheia de itens para todos os momentos. Vão comprar até o que não precisam.


 
Bege, nude, coral ou vermelho e pink são as cores destacadas nos últimos desfiles internacionais para verão 2011.
 
Particularmente, eu gosto muito da boca escura, mais para o vermelho. Sempre gostei, fica mais chique, requer mais cuidados, mas o efeito na mulher é, sem duvida, de uma beleza incomparável. Dependendo do momento, este efeito assume até ares de nobreza.
 
O pálido também é muito bonito. Rosáceos ou nudes para usar no dia a dia são sempre bem-vindos, ficam chiques e não atrapalham nas relações de trabalho. São discretos e fáceis de retocarem, se preciso for.
 
Do casual ao cocktail, as maquiagens são essenciais em qualquer look. Elas são as melhores companheiras das mulheres. Sem restrições a idade é só usar e estar pronta para todos os momentos.

Algumas diriam que não usam porque têm alergia. Antes que isso aconteça devo adiantar que hoje em dia existem produtos para todos, todos os tipos de peles: é só procurar uma especialista para te ajudar.
 
As melhores marcas pensam nas clientes com peles sensíveis e lançam produtos adequados a elas, tem até pincel feito com pelo de cabra.
 
Uma personagem da televisão que está fazendo muito sucesso com o visual marcante é a Melina da Passione. Ela usa a boca colorida, sempre nos tons avermelhados e rosas. É um tipo de maquiagem mais fashion e ao mesmo tempo clean. Mesmo que ela esteja com uma roupa mais clara o destaque vai sempre para o make que usa. Bem divertido!

 
Então, querida leitora, não fique ai parada com a cara lisa, sem maquiagem, lembre-se que o seu rosto reflete o que você é. Da neutralidade, do romantismo ao brilho da noite você deve refletir nos melhores momentos da sua vida.
 
Dora Estevam é jornalista e escreve sobre moda e estilo de vida, aos sábados, no Blog do Mílton Jung
 

Depois da primavera, o verão.

 

Por Abigail Costa

Primavera

Mulheres, está chegando a nossa hora. A alta temperatura é um convite à pele bronzeada, roupas mais justas e curtas. Sem culpa.

Por que tive que comer feito uma louca no inverno?

Daquelas noites regadas a vinho(s) tinto, com foundes…. restaram lembranças, quase todas numa espécie de cinturão emoldurando parte do quadril.

A propaganda da academia me oferece um desconto e promete me deixar com o corpo esculpido como o de uma menina de 20 e poucos anos. (o corpo juvenil é por minha conta).

Entro numa sala cheia de aparelhos, daqueles que só quem tem intimidade liga, coloca o banco na posição correta, ajeita o encosto, e desliga. Não basta ter coordenação motora, sinto a necessidade de um livro por perto.

Ela me chama a atenção. Sim, a menina de 20 e poucos anos estava se exercitando.

Minha nossa! O corpo é daqueles que TODA a mulher merece ter ainda que por pouco tempo. O rabo de cavalo preso no alto da cabeça acompanhava as passadas largas, passadas não, a guria desfilava.

Pra ela, nada de agasalhos pretos (tradicional malha dos fora de peso pra se auto-enganar e imaginar que nada está sobrando – todo mundo sabe que o pretinho é básico e disfarça sim os quilos a mais. Mas na sua cabeça disfarça?) A menina usava laranja e marrom, um conjunto estiloso. Desses agarrados que faz muitos marmanjos se perderem na contagem dos abdominais.

Olhei, analisei. Definitivamente, eu assim como ela em alguns meses ? É melhor não me enganar.

Aceito a sugestão de uma amiga.

“Tenho um personal trainer, vai te dar a maior força”.

Força. É disso que a gente precisa pra recomeçar.

Passadas as apresentações, medidas, (aí que vergonha! Cintura…cm/ coxa…cm/ braço…. Sabia que até isso engorda?). Os números? Bem, é melhor deixá-los de lado.

Estou lá, firme e forte. O dia mal começou e eu meio sem rumo de tanto baixa-levanta-solta-vira. Ainda bem que a coordenação é dele.

Hoje, amanhã, semana que vem…. E eu lá, firme e forte.

(A figura da moça não me sai da cabeça).

Um belo dia, depois de uma certa intimidade com o professor, entro no assunto… “Então, bonito o corpo dela, não? E que barriga é essa?”
Ele responde sem rodeios: – “Barriga de plástica”; – “Peito de prótese, de quem nunca amamentou”.

Não deveria. Sei que posso ser mal compreendida…. Mas confesso, não queria mais aquele corpo.

É ele quem agora fala – fala não, elogia.

Sabe que pela sua idade, pelos filhos, pelo sei-lá-mais-o-que (só gravei o que realmente me interessava) você está maravilhosa, e ainda vai melhorar mais!

Eu?

É. Você.

Dá pra duvidar de alguém que tenta te deixar em forma e consegue melhorar sua auto-estima?

Eu respondo: claro que não!

Em caso de dúvida, aqui vai a recomendação:

Contrate um personal trainer. De preferência jovem, bem disposto…. Hã ! cheio de músculos, também. No mínimo, faz bem para os olhos.

Em tempo: minhas medidas já são outras…

Abigail Costa é jornalista e volta a escrever no Blog do Mílton Jung, só estava precisando retornas às aulas de ginástica.