de absinto

 

por maria lucia solla

Create your own slideshow - Powered by Smilebox
Make a Smilebox slideshow

 

somos vítimas de um mal olhado com vistas grossas
mal de proporção aflitiva
que causa dano à saúde individual e à coletiva
dano que dilacera cofre público e privado
que afasta o aspirante a bom do teu lado

desmancha casamento destinado a durar mais e quiçá para sempre
e arranca de nossa mão o que a vida oferece toda faceira de presente.

mal silencioso
sorrateiro
disfarçado
matreiro

encaroça o teu angu
empana o sol e traz para o prato
o camarão empanado nu e cru

mata mais e causa muito mais dano do que gripe aviária suína vaquina e passariina
e nem se fala nele
a gente se distraí criticando botando culpa olhando para o lado de fora que não está menos feio menos violento e nem menos bolorento que o lado de dentro

ou olhando por outra lente
o lado de fora está tão violento sujo mal administrado e vilipendiado
quanto o lado de dentro
uma confusão danada
e a gente distraída vai deixando pra lá
empurrando a vida com a barriga lipoaspirada

é o mal de conto de fadas
exposto ao qual fomos paridos educados e programados
mal que frequenta mesa cama e banho
que cria um banzé tamanho
nos rouba o alimento o sono e o prazer
deixando-nos de mão amarrada sem ter nada o que fazer

percebe
para um pouco e pensa

você tem à frente uma vida imensa
um dia da tua vida não vale mais nem menos do que toda a vida intensa do teu bisavô

para um pouco o que está fazendo e vem me escutar
o que pode acontecer é não gostar e me desligar

a mulher busca marido-príncipe-encantado
que a venha resgatar das mazelas da vida e das garras do anti-herói malvado
mas exige que conserve sua porção sapo bem dosada
porque afinal de contas o sedutor é o batráquio
e nele ela está viciada

e chega o príncipe lindo cheiroso gostoso montado
num pimpante cavalo branco malhado
invocado
príncipe de cavalaria
e ela não sabe o que fazer com o cocô da montaria

cravo e rosa hoje vendem página sangrenta de jornal
e gozam sucesso póstumo na mídia virtual

ali babá e seus ladrões têm marca recorde
a cada soar de violão
a cada acorde

o que tenho a dizer é isto
apaga tudo aquilo em que acreditava até agora
aperta o reset
e te prepara para o mundo novo que já chegou

deleta
resseta
arrasta para a lixeira
ultrapassa finalmente a fronteira

e diz comigo

meu Deus meu amigo
afaste de mim o absinto
e não permita que eu deixe de sentir o que hoje eu sinto

maria lucia solla é terapeuta e professora de língua estrangeira, aos domingos escreve no blog do mílton jung de forma maíuscula mesmo quando tudo é escrito em em minúsculo

6 comentários sobre “de absinto

  1. Tchan!!!
    Tia Lú… tocaste num ponto, em que para mim, a vida exige exercício diário: apertar no resset diariamente e permitir seguir em frente com as boas sensações dentro da gente.
    Mas também não podemos esquecer de fazer a reflexão dos conteúdos antes deste ressetar… pelo menos para os casos que se repentem com certa frequencia.
    Ui… começo de domingo complexo este hein! 🙂
    Aqui tá um sol maravilhoso. E aí?
    Super beijo,
    Suzi.

  2. Suzi, pequena minha,

    põe tua cabecinha pra descansar.
    Na dúvida, deleta, e se deletar tudo, sem nem olhar o que tem dentro da caixa, melhor ainda.
    Não vai servir. Garanto, meu anjo.

    É cada passo novo que importa; cada emoção, cada intuição e, principalmente a intenção. A intenção, já há algum tempo, é a mola propulsora da vida. E nossa intenção precisa de treino. Ainda anda solta, desembrestada, dirigida por movimentos cegos.

    Análises, discussão de relação de todos e em todos os níveis, são boas para nada.

    Quem precisa de palavra quando você pode ouvir cada célula do outro?
    O som vem coroar, nunca consertar.

    Bem, mas hoje é domingo e vamos pegar leve, certo?

    Vou levar a valentina dar uma volta e volto, viu?
    E o que seria dessa sentença aí de cima se não fosse o “v”?

    Amo você.
    Beijo,
    tia lu

  3. Malu,

    Vejo seu texto como uma provocação para que se faça o exercício subversivo da alma…haha!

    Quem tem coragem de encarar este perrengue? Talvez uns dois cálices de absinto ajude, né?

    Como já lhe disse em seu outro texto, me fiz este teste e não me arrependo de nada. Muito pelo contrário, me fez muito bem.

    Não devemos desprezar o gostinho de um dia poder peitar os Gurus especialistas em como encarar os difíceis da vida, com a seguinte pergunta: Qual seu conselho para encarar meu extremo bem estar? Hahahaha!

    Beijos

  4. olá,

    muito complicado procurar pelas próprias respostas, é mais fácil comprar dos gurus.
    Como se isso fosse possível.
    Estou loucamente procurando pelas minhas, e a culpa em parte é sua Malu.
    Estou sempre por aqui.

    abração

  5. Sérgio,

    Gosto da culpa que você atribui a mim.
    Sei que não é politicamente correto, mas me envaidece, e meu coração agradece.
    Continua buscando; compre não!
    Beijo e até domingo,
    ml

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s