Congestionamento: não saia de casa com ele

 

Por Carlos Magno Gibrail

http://www.flickr.com/photos/olhopreto/

O Movimento Defenda São Paulo, o prof. Cândido Malta e o vereador Ricardo Teixeira, tem idéias e sugestões semelhantes sobre um dos problemas principais da cidade de São Paulo. Para resolvê-lo só falta combinar com os russos.

Os russos são os cidadãos paulistanos e os governos Municipal e Estadual.

É o que depreendemos da entrevista de Ricardo Teixeira, que não é o da CBF, mas do PSDB, dada ao jornalista Milton Jung, e da conversa que tivemos com o arquiteto Cândido Malta e a arquiteta Lucila Lacreta do MDSP.

Teixeira insiste no benefício aos alternativos meios de transporte, depois de punir os automóveis com dois dias de rodízio. Última medida que efetivamente reduziu o congestionamento.

– Reescalonamento de horários; transporte solidário, faixas exclusivas para motocicletas melhorando as 600 mil viagens diárias; faixas exclusivas para bicicletas nas 300mil viagens diárias, incluindo estacionamento; tarifas mais baixa para táxis.
– Proibição de estacionamento para automóveis e aumento do rodízio de um para dois dias da semana.

Lucila enfatiza a posição do MDSP que mira nos transportes coletivos, na continuidade dos planos tipos corredores de ônibus e transportes em trilhos, bem como na desistência das obras paliativas que ignoram a demanda reprimida.

O Professor Malta lembra o trinômio problemático da cidade, ou seja, o congestionamento, as enchentes e a habitação. Além de interdependentes, bem atual, na medida em que ontem tivemos colossal paralisação da cidade revertendo no final do dia a zero km de congestionamento, graças a tragédia anunciada mais uma vez da enchente que viria e mataria mais alguns paulistanos. Enquanto Prefeito e cidadãos, míopes ou estrábicos dirigem as análises para dispersas soluções. A busca de votos por um lado e a ignorância pela ilusão de ótica e pelo egoísmo leva a uma necessidade de conscientização da população ludibriada pela propaganda do carro e dos candidatos. Senhores absolutos.

Cândido Malta enfático sobre a impossibilidade da solução pelo transporte individual traz o seguinte raciocínio aritmético usado pelos técnicos: dado os 600mil veículos vendidos anualmente na cidade e considerando 5m para cada carro, precisaríamos de 125 avenidas Paulista com quatro faixas para abrigar esta quantidade. A demanda reprimida coloca apenas 25% destes carros na rua e ainda assim precisaríamos de 31 avenidas Paulista.

A limitação é inevitável, pois o número de carros é maior do que a oferta de espaço. A solução está menos nos números que são irrefutáveis mas que por razões emocionais ou mesmo de desconhecimento não estão sendo digeridos pela população.

O pedágio urbano uma das alternativas é veementemente rechaçado pelos cidadãos que insistem no direito de ir e vir, de carro. Como se este estabelecimento democrático tivesse sido criado na época do automóvel, ou como nascêssemos de carro.

No momento em que a Economia brasileira e a paulista dão sinais de força e crescimento não é admissível apostar apenas no tempo de maturação para que população e governo se dêem conta de que congestionamentos de trânsito podem brecar o progresso. Precisamos de ordem, ordem e progresso.

Carlos Magno Gibrail é doutor em marketing de moda, às quartas escreve no Blog do Mílton Jung e sabe que o congestionamento custa bem mais caro que o pedágio.


Visite a galeria de fotos de Olho Preto, no Flickr

17 comentários sobre “Congestionamento: não saia de casa com ele

  1. A teoria de que o caos chega em um ponto que acaba por “colocar e resolver”
    Viu só como o trânsido depois do caos ontem como melhorou?

    Caos Urbano
    Dillema
    Composição: Pablo

    Caos urbano

    Caos urbano e violência nas ruas
    Vidas e liberdade entregues ao medo
    Homens sem consciência estão sem direção
    Pederam o rumo transtornando a nação

    Rios de sangue correm neste silêncio
    Silêncio forçado a qualquer momento
    Homens sem consciência estão sem direção
    Pederam o rumo transtornando a nação

    O que perdi? o que restou?
    das tentativas de mudar!!!
    Consertar o hoje, melhorar o amanhã
    O caos urbano está me sufocando!!!

    O que perdi? o que restou?
    das tentativas de mudar!!!
    Consertar o hoje, melhorar o amanhã
    O caos urbano está me sufocando!!!

  2. Carlos Magno,

    Podemos creditar uma parcela de todos esses problemas à solidão dos intelectuais técnicos. Especialistas de todas as áreas dão suas brilhantes opiniões e possíveis soluções para todas nossas confusões urbanas. Porém, seus discursos solitários nos meios de comunicação, apesar de apoiados e aplaudidos pelos expectadores e jornalistas, são ignorados por nossos governantes.

    Por se tratarem de “elite”, a união desses “super-técnicos”, juntamente com suas entidades de classe, afim de pressionar nossos governantes por uma administração mais eficiente em todos os quesitos, não teria bons resultados?

    Sejamos justos com a OAB, pois, sempre se manifesta em defesa do país e do cidadão. E as outras entidades, não saem do casulo por que?

    Com certeza teriam apoio jornalístico e os governantes pensariam melhor antes de projetarem barbaridades.

  3. Alexandre Taleb, é isso aí, e as pessoas continuam saindo no mesmo horário do congestionamento, com ou sem alternativas.
    O Ricardo Semler tem algumas boas saidas, como horário e escritórios flexiveis.
    Talvez por isso é que o livro dele tem o titulo de VOCÊ ESTÁ LOUCO

  4. Estou esperando o dia que, as pessoas vão tirar seus carros da garagem e, automáticamente ficar parado em frente a mesma.

    A saída vai ser gardar novamente o carro e seguir a pé! Ai talvez esses seres motorizados vão começar a se mobilizar, ou seja, deixar esse conjunto de lata na garagem.

    Governo!!!

    Ajuda também né… Sem opções de transporte publico, fica dificil deixar o carro em casa!!!

  5. Morei no litoral por uns tempos em Bertioga e quando tive que retornar a São Paulo, depois de uns dias, me vi totalmente “um peixe fora dágua” dentro de um automovel na cidade.
    Não me acostumei mais dirigir em São Paulo
    Decidi então vender o carro, estudei uma forma de trabalhar em casa, perto de casa, pois as minhas atividades permitem, graças a internet e os softwares existentes hoje em dia.
    Passei a utilizar do péssimo transporte publico este por sinal a cada dia pior, taxis, a pé, quando preciso realizar uma viagem vou de onibus, avião ou alugo um automovel.
    Acabei de crer que para mim, autromovel NUNCA MAIS em São Paulo.
    Moticos:
    -Trânsito caotico
    -Custo para manter um automovel, por mês esta por volta de mil reais por mês ou mais, 12000 por ano!
    -Sem nos esquecer o que o “feliz proprietario” de um automovel no país, evidenciando o estado de São Paulo que cobra a maior taxa tributaria do pais do “feliz proprietario” de um automovel.
    IPVA, LICENCIAMENTO, SEGURO OBRIGATORIO, SEGURO DO AUTOMOVEL, MULTAS, PEDAGIO, CONTROLAR(VISTORIA ANUAL ANTIPOLUIÇÃO), M.U.L.T.A.S, ICM, IPI, ISS, IVA, IR, MANUTENÇÃO(TROCA DE PEÇAS), COMBUSTIVEL, ESTACIONAMENTOS, ZONA AZUL,

    Será que esqueci de mais alguma coisa?

  6. Carlos Magno,
    “…cidadãos que insistem no direito de ir e vir, de carro…”
    Essa paixão do brasileiro por carros é um caso sério. Moro num condomínio popular e vejo alguns vizinhos com carros que custam uns 70-80% do valor do apto, só falta colocar aquele adesivo “a inveja é…”.
    Enquanto isso escolhem a escola do filho pelo valor da mensalidade e não pela qualidade da instituição, e bem que periodicamente podiam usar o carro pra um motivo mais nobre, comparecendo nas reuniões do colégio.

  7. Tinha um canditato que em suas campanhas eleitorais dizia que o “Aerotrem” era a solução para São Paulo! Não por acaso, uma parceria entre Prefeitura e Estado decide adotar o sistema “Monotrilho” para concluir o “Fura-Fila” de um certo ex-prefeito. Só mudaram os nomes, mas o sistema é o mesmo!
    Os vários segmentos da sociedade precisam se mobilizar, porque se for deixar só para governante, a coisa não flui, ou flui apenas em momentos pré-eleitorais… Seja monotrilho, ciclovia, metrô… e uma outra coisa, tirar a frota velha de circulação como incentivo para troca de carro, a exemplo do que fazem na Europa. E talvez o mais difícil – uma vez o transporte público funcionando bem – é convencer o motorista a deixar o carro em casa!

  8. Beto, como explicar que engenheiros tivessem construido o tunel da Faria Lima com a Av. Cidade Jardim? Resolveu alguma coisa? O tunel termina num semáforo.
    Como explicar que tenham olvidado da demanda reprimida ao executar as obras das marginais?. O Kassab é engenheiro e economista, será que não conhece esta questão de demanda reprimida?

  9. Daniel Tomazeli Aveiro, já existem inumeros predios comerciais que as pessoas ficam aguardando por longo tempo para poder sair á rua.
    É curioso também sob o aspecto do espirito de manada, pois basta aguardar um pouco mais e a rua já estaria em melhores condições de tráfego. Mas a maioria prefere ficar dentro do carro "curtindo" o congestionamento.

  10. Carlos,

    Demanda Reprimida?

    È um bom título para um livro.

    Vc e o Milton estão esperando o que? Material vcs tem bastante. Ainda por cima pode ser floreado com textos na Maria Lucia Solla.

    Ano que vem, cobra-los-ei (risos)

  11. Hilton, as soluções existem, não há como continuar não só a não executá-las como também continuar fazendo o que não resolve.
    É realmente preciso a participação da população e do Governo.
    E, não há como desvincular o trinômio muito bem apontado pelo Professor Cândido Malta, enchentes,congestionamento e habitação.

  12. Milton
    Não sei se você já divulgou; por via das dúvidas e por (acho) uma boa razão, estou usando esse seu espaço.
    Um promotor público Promotor Saad Mazloum, disponibiliza um blog prá queixas sobre o funcionamento do transporte por ônibus na cidade.
    O endereço é http://www.onibus.blog.br .(é o blog do ônibus da promotoria de justiça do patrimônio público e social da capital – SP).
    Vc sabia que as linhas de ônibus que têm ponto inicial/final em estações de trem encerram suas operações pelo menos uma hora antes do último trem partir/chegar da estação de metrô?
    HIPÓTESE:
    Você pega o último trem da estação Sé à meia noite, e quando chega, por exemplo, à estação Ana Rosa não tem ônibus (integração) que o leve prá casa? (as linhas poderiam disponibilizar mocroônibus no lugar dos grandes veiculos em horário de menor demanda…)
    Daí, você é obrigado a usar seu carro o dia inteiro nesse trânsito caótico, só porque não vai ter como voltar prá casa se usar o Metrô em seu pleno horário de funcionamento…
    Não existe mais integração metrô/ônibus?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s