De saúde e da falta dela

 


Por Maria Lucia Solla

O assunto da saúde não se esgotou em mim, e de asas abertas aterrissei na conclusão de que os problemas não vieram para ficar; sou eu que, encantada neles, não os estou deixando ir.

Chegando lá foi fácil. Foi só olhar com atenção, que apareceu a solução. Para conquistar a saúde, e mantê-la companheira, é importante manter longe o estresse; viver expontaneamente. Entrar, aceitar, levar o que interessar. Importante deixar que a tristeza chegue, entre, cumpra a missão, e parta, retomando a estrada.

Vivemos agarrados a necessidades que nem são nossas de verdade e vamos com elas na enxurrada. Temos horror da ideia de mudar; temos medo de viver. É por isso que sofremos e esperneamos quando elas são ameaçadas: porque somos escravos delas. Não somos nós que as temos, são elas que nos possuem.

A guarda incansável delas tomam tanto tempo que nem temos tempo de sentir a segurança da própria vida; do simples existir. Nos deixamos sem tempo para amar, para exercitar a ternura no olhar. Deixamos de exercer o verdadeiro abraçar.

Por nós passa despercebida a perfeição do vai e vem da vida. Do bom que vai e vem, como faz o ruim também.

É como se uma nesga de consciência se fizesse consciente em mim. Relembrei que a vida é colcha de momento, de alento e desalento, e é assim que ela é feita; é assim que é perfeita. Tudo sempre novo de novo: encontro, desencontro, encanto, desencanto, claro, escuro, ganho perda, alto, baixo. Onde está o recomeço que eu não acho?

vi que é urgente que a gente se separe
da mágoa da dor da perda da posse e do queixume
e que faça isso ligeiro
antes que a dor se avolume

entendi que é urgente
largar mão da certeza
para arrebanhar mais saúde
mais beleza

manter domados egoísmo e ambição
para manter sadio o coração

entendi que é urgente mudar
não ser dono da verdade
e se dar conta de que sem o outro
a gente é só
metade

Saber falar e calar, reconhecer que depois de cada ação vem a reação.

e que se deve perdoar
bem antes de pedir perdão

é preciso afastar a maldade
abrir o coração de verdade
e de viver ter muita vontade

O que falta pra eu chegar lá é falar de tudo isso com mais humor, maior leveza; é de ver menos a feiúra e mais a beleza!

Quando eu mudar, a saúde com certeza vai voltar e venho aqui correndo te contar.

Maria Lucia Solla é terapeuta, professora de língua estrangeira e realiza curso de comunicação e expressão. Aos domingos, escreve no Blog do Mílton Jung

30 comentários sobre “De saúde e da falta dela

  1. Oi menina , cá estamos em nosso encontro semanal , e como
    sempre falas de algo que também sinto. Concordo que muitas vezes deixamos a saúde escoar por nossas mãos , simplesmente , por dedicar muita atenção e preocupação ao
    irrelevante . Mas com é dificil fazer diferente , bjs Maryur

  2. OLÁ QUERIDA!
    Saúde mais do que nunca, neste meu momento, tem se tornado o foco de atenção da minha vida. Tudo passa e vamos valorizar a nossa. Grande beijo e até a volta. Com muita saúde, paz e amor. Nos vemos em agosto.
    Sandra Tenório

  3. tchan! bom dia! 🙂

    adorei a coluna de hoje.
    sim, concordo, somos responsáveis pela nossa felicidade de forma geral.
    no final dos dias, já com a cabeiça deitada no travisseiro, o resumo ideal do dia é adoemecer com a fisionomia rindo… tranquila… feliz! nem tudo são flores, mas tudo se torna em oportnidades de sermos melhor. conosco e com o mundo!
    valeu a reflexão.
    super beijo,

    suzi.

  4. Sandra linda!

    Vem na onda; puxa lá de dentro!
    Aproveita este meu momento de cabeça pra fora.
    Quando eu estiver com ela submersa de novo na densidade da matéria social, você me puxa.

    beijo e boa semana,
    ml

  5. Suzi,

    bem-voltada!

    Vale o que disse para a Maryur.
    Tocar na mesma orquestra é harmonizar.
    É reconhecer o som de cada fonte.

    beijo e boa semana,
    tl

  6. ai Mike Lima

    Lembra que um dia disse que quando jovens, zero bala, muitas vezes sem nos darmos conta “entramos em overspeed”.
    Mas não estamos nem ai ne?
    O negócio até então, meter os pés pelas, mãos, manetes full no batente!
    E vamo que vamo la para os 50000 pés!
    Uma veznha outra entrar em overspeed, que mal faz?
    Só que:
    Existe um processo irreversível, fatalmente irá acontecer na estrutura, depois de “alguns overspeed”.
    A temível famosa fadica de material!
    Com o decorrer “das viagens” vamos tendo que “trocar partes”, remendar aqui, ali, até que a estrutura chega em um ponto, onde não será mais possivel passar por nossos “upgrades”, remendos, troca de peças etc.
    Obsoletos!
    E vamos então, até onde aguentar, ficar nas velocidades mais seguras, mais baixas, em niveis mais baixos, assim ão ficaremos muito pré-ocupados” com proveis incidentes ou acidentes de percurso.
    Seremos então acada vez mais cautelosos, cuidadosos, atentos aos rangidos e barulhinhos da estrutura, por mais simples que possam nos parecer.
    Um simples rebite com um microscópico defeito poderá se tornar o caos em toda a estrutura.
    então minha cara:
    Atention please.

    e novamente o seu txto de hoje realmente salutar!

    Bjus
    Alpha India November.
    Cavok!

  7. Querida amiga,

    Adorei, e do fundo do coracao espero que voce cuide com muito cuidado da sua, de todas as formas, sejam as espirituais, sejam as que envolvam o cotidiano. Beijos,

  8. Oi Malú,

    Sempre que puder cuide da sua saúde como eu faço! Saia à noite para jantar, abraçar os amigos e quebre uns pratos em algum restaurante grego para espantar os males.

    À propósito: me chame que irei sempre junto para tirar o estresse como diz você!

    Beijos.

  9. Malu, querida!!

    Que brilhante texto!! Adorei o trecho: “relembrei que a vida é colcha de momento, de alento e desalento, e é assim que ela é feita…”. Quanta delicadeza!! Parabéns!! Nesse mundo do consumo, tudo nos impele a sair de nós mesmos e exercitar o “ter” em vez do “ser”. É no reencontro com nós mesmos e com o outro que “é”, independentemente do que “tem”, que podemos exercitar a saúde da alma e, consequentemente, a saúde física e mental. Beijos, com carinho, da Dani.

  10. Dani,

    Que bom ter você aqui!
    Também é muito bom ter o meu trabalho acarinhado no abraço de quem o recebe assim: com amor.

    beijo e boa semana,
    ml

  11. A máquina humana pede socorro, vem pedindo faz tempo. Não é de hoje que se morre em vida ou que se vive quase morto. Pior quando esse esforço e sacrifício é feito em nome do que não se pode lever consigo a parte alguma além de aqui. Muita entourage e pouco saber de sí, o grande mal do Homem, não é Malu?
    Mas não é da natureza humana fazer-se pouco importante. Somos importantes e nos valorizamos quando procuramos nos conhecer. Pra ter vida em abundancia.
    bjos Malu.

  12. sérgio,

    fala baixo; pshhhhhhh!
    Se os bonecos ouvirem vão se preocupar.

    Everything is gonna be all right.

    Tutto andrà benissimo!

    Vou plugar em você na quarta-feira.

    beijo,
    ml

  13. sérgio,

    ê pontinho delicado você foi escolher.
    interessante, rico e profíquo.

    boa ideia para um texto!
    e muita; muuuuuita reflexão.

    beijo e boa semana,
    ml

  14. Agora eu entendi como você está vendo as coisas de uma maneira mais otimista.
    Espero que esse olhar dance ao som de Beatles e depois se atire numa poltrona de corações, mas que, dessa vez, ele possa sentar! hahaha
    Beijos

  15. Malu,

    Som na Caixa:

    O Contrário de Nada É Nada
    Os Mutantes
    Composição: (Sérgio Dias / Túlio Mourão)

    Muito tempo eu andei contra o vento
    Mas agora é hora e mudar
    Pois o contrário de nada é nada
    E assim não se sai do lugar
    Quando a cuca da gente se enrola
    E se pergunta de que lado vai ficar
    Eu sei que Deus está em todas as coisas
    Mas contra não está
    Se os gregos e troianos atacam
    E seus pés já não tem onde pisar
    E se você quiser saber onde eu fico é só me escutar
    Rock’n’roll yeah! Rock’n’roll yeah!
    Rock’n’roll yeah! Rock’n’roll yeah!
    Quando a mente está em pleno silêncio
    Não esta nessa, e muito menos naquela
    É ai que você pode então escolher
    Quem conhece bem o branco e o preto
    Já viveu e já morreu no caminho
    Está pronto para as cores do sol receber

  16. bruno,

    excelente ideia: She loves you yeah yeah yeah! No som do disco de vinil, please.

    e depois, cansada e feliz, sentar na poltrona de corações.

    beijo e boa semana,
    ml

  17. beto,

    bem lembrado!

    Mutaaantes, é isso.

    E quem é que diz que filosofia se faz só com o senho franzido???

    Já compartilhei no Facebook.

    tks.

    Beijo e boa semana,
    ml

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s