Avalanche Tricolor: Desculpa, Zé !

 

Grêmio 0 x 0 Coritiba
Brasileiro – Olímpico Monumental

20OCT12_GremioxCoritiba_013

 

Lembro quando o Grêmio trouxe Paulo César Lima para formar o time que seria campeão gaúcho em 1979. Famoso por seu comportamento polêmico tanto quanto pelo futebol elegante que jogava, chegou ao Rio Grande do Sul sob a desconfiança daqueles que não viam nele capacidade de oferecer ao torcedor gremista o esforço que sempre esperamos daqueles que vestem nossa camisa. Diziam que não teria força nem vontade para disputar o ríspido Campeonato Gaúcho e logo tiraria o pé das divididas e seu time de campo. Eu era adolescente e recordo do orgulho de saber que o Grêmio estava contratando um craque que havia brilhado na seleção brasileira e nos campos da Europa, onde jogou pelo Olympique de Marseille. Naquela época não era normal trazermos jogadores com este perfil, nossos principais craques com carimbo no passaporte haviam passado pela Argentina e Uruguai. Caju, apelido que ganhou pela cor que pintava a cabeleira, provou ser maior do que os críticos, participou da histórica partida contra o Esportivo, em Bento Gonçalves, única disputada no Brasil abaixo de neve, driblou quem tentou intimidá-lo pela força e conquistou o título de campeão gaúcho daquele ano. Voltou ao Grêmio, em 1983, para conquistar o Campeonato Mundial.

 

Paulo César Caju surgiu nas minhas lembranças neste início de noite de sábado, quando, aliás, assistimos a um jogo nem um pouco memorável – bem distante disto. A imagem daquele craque apareceu graças a Zé Roberto e sua performance impressionante, um jogador que consegue ser talentoso mesmo quando a mediocridade o cerca. Na estatística apresentada ao fim do primeiro tempo, nosso camisa 10 havia feito 20 passes e acertado todos, não sei quantos desses de calcanhar, desnorteando seu marcador e deixando seus companheiros em situação de ataque. A facilidade com toca na bola e como se movimenta para driblar os adversários, além da inteligência e visão de jogo, fazem dele um jogador muito diferente dos demais. Lamento apenas que não é retribuído da mesma forma por parcela de seus companheiros que deveriam pedir desculpas por não serem capazes de acompanhar o raciocínio do nosso craque.

4 comentários sobre “Avalanche Tricolor: Desculpa, Zé !

  1. A lamentar apenas a falta de jogadores a altura do Zé Roberto. Nem mesmo Elano esteve ontem em campo. E numa reta final de campeonato, deste jeito desculpa Zé, Milton, João, Pedro, Maria, Joana, Odone, Koff, Belini e todos os Imortais torcedores, nem com reza braba vai!
    É, acho que campanha política em clube atrapalha!

  2. Usava-se a expressão “tiraste da minha boca” quando a gente havia pensado,mas ainda não exprimido,algo dito pelo interlocutor. Pois hoje tiraste do meu teclado o que eu imaginava postar sob a Avalanche Tricolor.Mesmo sofrendo com o placar danoso para as nossas pretensões,comentei com a tua irmã Jacqueline,que me faz companhia à frente do televisor,como é confortante para os olhos e,como não,para o coração,grudar os olhos em Zé Roberto. Com perdão pelo lugar comum,ele é daqueles que são como o vinho:quanto mais velho,melhor!

  3. Milton, estive em Porto Alegre neste final de semana, mas não consegui assistir ao jogo Grêmio x Coritiba. Aliás, acredito que não perdi muita coisa, hehe. Não consegui pois eu estava em um curso de Jornalismo Esportivo e Análise Tática, com Eduardo Cecconi (ex-setorista do Grêmio no GloboEsporte.com e atual analista estratégico das categorias de base do Imortal Tricolor) e Nando Gross, comentarista da Rádio Gaúcha. Como não comprei ingresso antecipado (pela internet somente para sócios), cheguei na hora do intervalo, mas as bilheterias já haviam fechado. Por outro lado, fui conhecer o Olímpico no dia seguinte, o domingo da eleição de Fábio Koff. Espero que junto com ele, volte também as conquistas da Libertadores e Mundial de Clubes, voltando a figurar entre os grandes do futebol.

    Por falar em grande, passei pela construção da Arena e me emocionei. Está linda demais. Com aquele estádio, o time precisa conquistar títulos.

    Abs

    Bruno.

  4. Eu havia comentado no post anterior , que contra o Flu , o Grêmio tinha feito a melhor apresentação do ano mas devo dizer que contra o Coritiba, foi uma das piores partidas do Imortal no campeonato.Ressalve-se que a atuação do Zé Roberto foi impecável. No mais , assino embaixo o que o Gunar escreveu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s