Avalanche Tricolor: imagine quando o Cabrito chegar !

 

Grêmio 5 x 1 São José
Gaúcho – Olímpico Monumental

 

 

Depois de ver a seleção brasileira perder para a Inglaterra na preliminar, a expectativa era saber como o Grêmio, com seu time principal, se comportaria no jogo de fundo. Pela primeira vez, Luxemburgo escalaria, na Taça Piratini, os titulares – ou aqueles que estariam em condições de jogar. A estratégia de levá-los a campo, após garantirem a presença na fase de grupos da Libertadores, faz parte do “projeto” do tricolor para este início de temporada, como o técnico lembrou na entrevista antes da partida. Estava mesmo na hora, pois se não temos o Estadual como prioridade, neste momento, também não podemos deixar os adversários se distanciarem muito para que a classificação à próxima etapa não fique ameaçada. E o de hoje era o líder da competição, com melhor campanha e nenhum gol tomado até aqui. O cenário era perfeito, pois a partida aconteceria no Olímpico Monumental, estádio que ganhou sobrevida para que a Arena seja resguardada e usada apenas nos jogos de maior público, ao menos até março.

 

O Grêmio, ao contrário do Brasil, não frustrou nossa expectativa. Marcou no ataque, sufocou o adversário, tocou bola com rapidez, driblou como quis e goleou, além de ter retomado seu lugar entre os quatro classificados da chave. Zé Roberto, o rapaz de 38 anos, desfilou sua elegância em cada passe e chute a gol. Fez dois. Yuri Mamute, o garoto de apenas 17, jogou como gente grande ao entrar no segundo tempo e fazer parceria com os titulares. Comemorou seu primeiro gol no time principal. Elano até errou pênalti, mas mostrou que não desiste enquanto a bola não entra. E Facundo Bertoglio, de volta, fez o mais lindo de todos os seis gols da partida com dribles desconsertantes. Houve outros que não marcaram mas jogaram muito bem e para não estender a lista vou resumi-la ao nome de Pará, que fez aquilo que esperamos de um ala moderno, foi ao ataque, superou o marcador, cruzou e fez assistências.

 

Nesta noite de quarta-feira, o Grêmio foi perfeito. Imagine quando o Enrico Cabrito chegar !

3 comentários sobre “Avalanche Tricolor: imagine quando o Cabrito chegar !

  1. Com notícia (vide a ilustração desta Avalanche) e time líder invicto (leia São José),não se brinca. O Grêmio gozou com a “barriga”gerada pelo falso Cabrito (ou seria ca-Brito?) jogou com seriedade contra o Zequinha. Que me desculpem os autores dos quatro gols,mas foi do quinto que eu mais gostei. Torcedor não é burro e,por isso,sentia saudade do Bertoglio,mal visto apenas pelos apressadinhos de plantão.

  2. Antes do gol de Bertoglio, o mais bonito até então era o quarto do Grêmio, segundo de Zé Roberto, chutaço sem pulo. Mas aí veio o Facundo, recuperando-se de lesão, e que recuperação!

    Wellington vem aí para reforçar o ataque (sinceramente, acho que o time tinha outras carências, mas ele mostrou ser goleador na Rússia), por outro lado, lamento a saída do André Lima. Poderia não ser um brilhante jogador, mas vestia a camisa do time como poucos.

    Espero que a diretoria consiga inscrever a tempo, tanto Wellington, quanto Adriano que veio do Santos, para a Libertadores.

    E ficou claro, pelo menos pra mim, que se tivesse jogado com os titulares domingo no GREnal, a vida dos vermelhos seria muito mais competitiva.

    Abs!

Deixe uma resposta para Milton Ferretti Jung Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s