Conte Sua História de SP 463: o cheiro das coxinhas na padaria da Consolação

 

Por Miguel Chammas

 

 

Primeiramente, Escola Técnica de Comércio Frederico Ozanan; depois Colégio Comercial Frederico Ozanan – boate Ozanan para os detratores. Reduto e fonte de ensino para todos os alunos.

 

Fui admitido em suas fileiras nos primórdios da década de 1950 para cursar o antigo Admissão. Fui aluno, atleta, diretor do Grêmio, fundador e membro da fanfarra, diretor artístico do GATO, membro efetivo de diversas comissões pró-formatura, professor substituto de Contabilidade Básica e, finalmente, diplomando do Curso Técnico de Contabilidade, em 1965.

 

Comecei minha vida na escola quando ela estava na Praça Franklin Roosevelt, 123, e a acompanhei até meados de 1967 já na Rua Augusta 423.
Eu era de família humilde e mesmo antes da conclusão do curso básico, por necessidade de trabalhar, estudava no curso noturno. Para economizar, minha ida para a escola ao fim do expediente de trabalho era metade a pé e a outra, andando.

 

O grande obstáculo que eu tinha de vencer, diariamente, era o quarteirão entre as ruas Caio Prado Jr. e Marquês de Paranaguá. Nessa esquina, pouco antes da escola, estava, ou melhor, ainda está a Rotisserie Bologna. O aroma de seus quitutes nos encontrava metros antes de seus portais. Ato contínuo, inebriados pelo cheiro, consultávamos nossos bolsos, quase sempre vazios, na busca de alguma moeda que nos permitisse saciar nossa gula com mordidas nas coxinhas de paladar inigualável. O tamanho não era nada avantajado, mas ganhavam da maioria das coxinhas vendidas na velha Sampa. Secas de gordura, com um creme consistente e saboroso, e um pedaço considerável de frango.

 

Era o alívio da nossa fome durante os estudos da noite. Isso quando encontrava algum dinheiro no bolso.

 

Quando os trocados não nos permitiam fazer loucuras gastronômicas, nos contentávamos em entrar na loja e sentir o cheirinho das tais coxinhas de frango. Pra disfarçar, íamos ao balcão da sorveteria, abríamos a torneira e tomávamos um copo d’agua estupidamente gelada.

 

Triste consolo para este pobre estudante!

 

Miguel Chammas é personagem do Conte Sua História de São Paulo. A sonorização é do Cláudio Antonio. Vamos juntos comemorar mais este aniversário da nossa cidade. Envie seu texto para milton@cbn.com.br. 

3 comentários sobre “Conte Sua História de SP 463: o cheiro das coxinhas na padaria da Consolação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s