Conte Sua História de SP: és imensidão espraiando diante dos meus olhos!

 

Por Vera Carreiro
Ouvinte da CBN

 

 

São Paulo, cidade gigante em todos os sentidos: no tamanho, nas oportunidades, na emoção, no coração! São Paulo, a cidade que palpita, estertora, estrebucha, não para, não dorme!

 

São Paulo da miscelânea cultural, dos imigrantes, dos migrantes, dos poetas, dos cantores, dos artistas.

 

São Paulo dos contrastes, dos mendigos, vagabundos, trabalhadores, adultos, crianças, jovens e anciãos, ricos, pobres, arrogantes, humildes, mansa, embrutecida, alegre, triste, evoluída, estagnada, muito bela, muito feia!

 

São Paulo de todos os matizes, de todas as misturas, de todos os superlativos, de todos os diminutivos, de todos os problemas e todas as soluções. Se fosse escrever sobre todos os teus atributos, precisaria de um livro imenso, do teu tamanho, por isso, simplesmente me aterei à impressão, causada em mim, ante teus pés: Nossa! Como és Grande! És o mundo dentro de uma cidade!

 

És imensidão espraiando diante dos meus olhos! Sinto que minha visão é pobre e diminuta perto do teu tamanho. Cidade a perder de vista, com teus arranha-céus, praças onde cantam bem-te-vis e sabiás, ruas estreitas, avenidas largas e modernas, a maior frota de carros e veículos já vista, pessoas de todos os tipos e lugares se misturando, um formigueiro sem tamanho! O bonito e o feio se confundem em ti.

 

És hospitaleira, recebendo a todos com enormes braços abertos, oferecendo teu abrigo, teu sustento, tuas facilidades, teus horizontes, tuas oportunidades infinitas e, ainda, teus viadutos e marquises aos desabrigados.

 

E, por seres assim, tão mãezona, é que abrigas também o lado menos bonito da cidade. É porque teus tutelados menos nobres não te honram com trabalho, disciplina, boas ações, bons sentimentos e versam para o crime, a desordem, a ociosidade, a delinquência, o estelionato, etc.

 

És concomitantemente rica e pobre. Proporcionas, a cada um, o que procura ou faz por merecer: ao rico de ideais, de vontade e trabalho, a riqueza; ao pobre de ideais e de vontade, a pobreza.

 

Ofereces a oportunidade reivindicada a qualquer pessoa, sem distinção, nem discriminação, como um imenso coração de “mãe”!

 

Vera Carreiro é personagem do Conte Sua História de São Paulo. A sonorização é do Cláudio Antonio. Para participar desta série, envie seu texto para contesuahistoria@cbn.com.br

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s