A gratidão e os lírios do campo

Por Simone Domingues

@simonedominguespsicologia

 

“Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos…”

Beto Guedes

 

Em setembro inicia-se a primavera no hemisfério sul, simbolizando para muitos um novo tempo, momento de renovação e esperança. Depois do inverno, de dias cinzas e curtos, a primavera surge com as flores que nascem nos parques, nos campos, que dão colorido à vida e desabrocham indicando que um novo ciclo começa. Cerimônias para celebrar o começo das estações são  realizadas desde a antiguidade e, na primavera, os rituais eram forma de agradecer por tudo o que a terra oferecia aos povos e para pedir prosperidade para o novo período. O aumento da incidência de luz solar e a gratidão estão entre os fatores que acarretam estados de humor positivos. 

 

Diversos estudos têm mostrado a associação entre a maior incidência de luz natural e o aumento da produção de serotonina — neurotransmissor associado à regulação das emoções e do humor —, bem como a importância da gratidão na redução dos sintomas de depressão e ansiedade, promovendo mudanças a longo prazo na atividade cerebral.

 

A gratidão pode ser compreendida como uma emoção positiva após alguém ter feito algo por nós ou ter nos presenteado. Porém, numa perspectiva mais ampla, a gratidão é considerada como uma emoção, uma atitude e um estilo de vida. Oferece oportunidades para nos apropriarmos das experiências de maneira positiva, reconhecendo a qualidade das coisas, das pessoas e de quem somos.

 

Há quem pergunte: ser grato é fechar os olhos para as coisas ruins? Claro que não! As coisas ruins realmente existem –- e muitas para as quais infelizmente não conseguiremos ser gratos. Mas não é apenas sobre julgar algo como bom ou ruim. É sobre reformular as experiências que poderiam ser negativas, identificando as suas dimensões positivas, com foco naquilo que se considera importante, significativo.  A máxima do copo meio cheio…

 

Na obra “Olhai os lírios do Campo”, Érico Veríssimo narra a história de Eugênio, para quem a felicidade estaria associada aos bens materiais. Ele se envergonhava da família ao invés de ser grato pelas oportunidades que ela o oferecia. Abandonou a possibilidade de um amor em troca de prestígio e de dinheiro. Com o tempo, após conquistar tudo aquilo que um dia julgara relevante, percebeu que, ainda assim, não era feliz, uma vez que sua verdadeira felicidade residia nas coisas simples e cotidianas que já possuía, como a sua filha e o seu trabalho.

 

É isso… A gratidão não está relacionada com o que se tem. Mas como se vive. Não é uma busca por ter mais, mas é cultivar o que se tem. É cuidar dos relacionamentos interpessoais e ter consigo um relacionamento menos crítico, menos punitivo e com mais autocompaixão.

 

Que a chegada de setembro nos permita, como propôs Beto Guedes, inventar uma canção que venha trazer sol de primavera. Assim como faziam os nossos antepassados, que possamos celebrar um novo ciclo, sendo gratos pelo o que a natureza nos oferece, pelos nossos, por nós mesmos. Distantes da busca excessiva por coisas insignificantes, estejamos mais próximos daquilo que nos é essencial. Talvez assim possamos ver como crescem os lírios do campo.

 

Simone Domingues é Psicóloga especialista em Neuropsicologia, tem Pós-Doutorado em Neurociências pela Universidade de Lille/França. Ao lado de Abigail Costa é responsável pelo Canal no You Tube “Dez por cento mais”. Escreveu este artigo a convite do Blog do Mílton Jung.

3 comentários sobre “A gratidão e os lírios do campo

  1. Que lindo texto, Simone D!
    Quanto mais nos distanciamos da natureza que existe em nós, afinal somos animais, queiramos ou não, mais nos distanciamos das coisas realmente de valor que trazem alegria, não infinita, mas absorvida em cada momento bom com muita gratidão diante de nossa finitude.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s