Comunicar para liderar é destaque na estreia de O Inédito Viável na internet

 

 

O consultor Emerson Wesley Dias é autor do livro “O Inédito Viável” que se transformou em programa na internet. Tive a oportunidade de participar da estreia do canal dele no You Tube quando falei sobre comunicação, carreira, negócio, jornalismo e cidadania. A base da nossa conversa com o livro “Comunicar para liderar” que escrevi em parceria com a fonoaudióloga Leny Kyrillos.

Ribeirão Preto tem talk show e lançamento do livro”Comunicar para liderar”

 

Comunicar Para Liderar capa

 

(texto publicado no site MaxPress)

 

A Revide – revista de maior circulação em Ribeirão Preto e região, com edições semanais gratuitas, há trinta anos no mercado – promove no dia 19 de agosto (sexta-feira), às 19 horas, no Hotel Mont Blanc (Avenida Maurílio Biagi, 1577) palestra e lançamento do livro “Comunicar para liderar”, da editora Contexto, com os autores Mílton Jung e Leny Kyrillos. Durante o encontro Jung que é jornalista e âncora da Rádio CBN e Leny, escritora, fonoaudióloga e comentarista da Rádio CBN, vão abordar os ensinamentos que trazem na obra sobre a comunicação e maneira de falar, passando pela importância de se expressar bem, até a liderança.

 

Segundo Jung, a publicação era um projeto que ele e Leny desenhavam há pelos dois anos. “Tínhamos o desejo de reunir as informações que levantamos no decorrer de estudos para compartilhar com as pessoas e ajudá-las a se transformarem pessoal e profissionalmente”, comenta. Leny afirma: – “Eu e o Milton compartilhamos várias oportunidades de trabalho em conjunto e trocas de ideias produtivas. Construímos, ainda, uma relação de muita harmonia e respeito”, diz.

 

Sobre a parceria com Leny, Jung comenta que teve início no fim dos anos 90. “A nossa primeira experiência foi com os trabalhos de observação que a Leny fez na TV Cultura, onde eu era âncora do Jornal da Cultura. Depois, passamos a ser convidados para os mesmos eventos, quando tivemos a oportunidade de trocar informações e experiência. Com o tempo surgiu uma sinergia de ideias e propósitos. Construímos não apenas uma relação profissional, nossas famílias passaram a conviver e nos transformamos em grandes amigos”, explica.

 

“A velocidade com que a informação circula, a maneira como é compartilhada e o fácil acesso para todo cidadão provocaram uma revolução neste cenário. Nas últimas três décadas, segundo estudos, quintuplicou a quantidade de mensagens que uma pessoa recebe no decorrer de um dia. Isso significa que, para os produtores de informação, torná-la relevante é um desafio a ser enfrentado. Hoje, os meios de comunicação não têm mais o monopólio da informação. Todos somos emissores de mensagens e temos ferramentas para fazê-las ir ainda mais longe. Aos profissionais, cabe usar experiência, conhecimento e criatividade para se diferenciar dos demais”, analisa Jung sobre as mudanças do jornalismo nos últimos 30 anos.

 

Para Jung adaptar-se as novas exigências foi um dos desafios que enfrentou na comunicação nas últimas três décadas. “Estar atento as novidades que a tecnologia nos proporciona no campo da informação e saber equilibrar dois conceitos básicos no jornalismo: agilidade e precisão. Todas as vezes que abrimos mão da precisão em nome da agilidade, pagamos com o que há de mais caro na nossa vida de jornalista: a credibilidade”, exemplifica.

 

“A comunicação é fundamental em todas as circunstâncias da nossa vida pessoal e profissional. É a competência que nos permite trocar ideias, expressar sentimentos, ensinar e aprender. Ao nos comunicar, construímos percepção e o outro reage imediatamente. No nosso dia a dia, vale a pena trazermos para nós a autonomia de produzir a reação que precisamos ou queremos”, exemplifica Leny sobre a oratória.
O trajetória de Leny na Rádio CBN começou quando por intermédio de seus atendimentos aos profissionais do veículo. “Em 2014 surgiu o convite para fazer um piloto com o Carlos Sardenberg e a experiência tem sido bastante positiva”, comemora.

 

Isabel de Farias, diretora da Revide destaca que receber Mílton Jung e Leny Kyrillos nas comemorações dos 30 anos da revista é um presente. “Eles são profissionais de destaque na comunicação. Além de falar dessa incrível ferramenta vão lançar o livro ‘Comunicar para liderar’. O bate-papo será uma experiência engrandecedora para todos”, finaliza.

 

O evento faz parte das comemorações do trigésimo aniversário da Revide – revista de maior circulação em Ribeirão Preto e região, com edições semanais gratuitas, dentro do ciclo de palestra que acontece mensalmente, sempre relacionadas à comunicação.

 

Para participar é preciso doar dois litros de leite que serão destinados ao Núcleo Dom Bosco. A troca pelo convite pode ser realizada na Revide (Rua Heitor Chiarello, 882), de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

 

Serviço
Palestra e lançamento do livro “Comunicar para liderar”, com Mílton Jung e Leny Kyrillos
Data: 19 de agosto (sexta-feira)
Horário: 19 horas
Local: Hotel Mont Blanc (Avenida Maurílio Biagi, 1577)
Entrada: dois litros de leite que serão destinados ao Núcleo Dom Bosco. A troca pelo convite deve ser realizada na Revide (Rua Heitor Chiarello, 882), de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

Mundo Corporativo: Vania Ferrari fala de bizarrices corporativas

 

 

“As pessoas não se metem na área das outras, mas deveriam”. Essa é uma das sugestões da consultora Vania Ferrari para que o ambiente de trabalho seja mais produtivo. Para ela, é preciso que se gere a cultura da colaboração dentro das empresas e haja menos regras impedindo a criatividade. Vania foi entrevistada pelo jornalista Mílton Jung, no Mundo Corporativo, da rádio CBN, quando falou de experiências que viveu dentro de grandes corporações e dos projetos de treinamento que realiza há dez anos. Recentemente, ela lançou seu segundo livro: “Crônicas do bizarro mundinho corporativo”(Editora Texto&Textura).

 

O Mundo Corporativo pode ser assistido, ao vivo, às quartas-feiras, 11 horas, no site cbn.com.br. O quadro é reproduzido aos sábados, no Jornal da CBN. O quadro tem a colaboração de Alessandra Dias, Douglas Matos e Debora Gonçalves.

Características essenciais para ser um líder comunicador e o caminho para o diálogo qualificado

 

BIBLIOTECA

 

“O grande líder é aquele que exerce papel transformador. A força verdadeira da liderança é a capacidade de promover e multiplicar mudanças positivas. E, para isso, é preciso gerar laços de confiança — com suas equipes, pares, gestores e clientes -, que são desenvolvidos através de um instrumento básico: a comunicação” — Claudia Sender, presidente Executiva da TAM

 

A obsessão por fazer da comunicação um instrumento de transformação das pessoas e a crença de que os novos líderes necessariamente terão de desenvolver esta habilidade, levaram a fonoaudióloga Leny Kyrillos e eu a escrever o livro “Comunicar para liderar” (Contexto), que ganhou o prefácio de Claudia Sender, da TAM.

 

Com a ideia de compartilhar com você parte deste conhecimento, aproveito o espaço para reproduzir trecho de um dos capítulos no qual tratamos da importância de ser líder e apresentamos dicas para desenvolver um diálogo qualificado e as características para quem pretende ser um líder comunicador:

 

Temos a convicção de que a comunicação é arma poderosa e definidora para o tipo de líder que você pretende ser. Encontramos sustentação para essa ideia no pensamento do historiador Plutarco que, ao traçar o perfil de personalidades grego-romanas, na obra Vidas Paralelas, escreveu:

 

“Muitas vezes uma pequena coisa, a menor palavra, um gracejo ressaltam melhor um caráter (éthos) do que combates sangrentos, batalhas campais e ocupações de cidades”.

 

Ele conseguia entender muito mais o líder pelos sinais que emitia do que pelas vitórias que conquistava. Precisamos, portanto, desenvolver nossa capacidade de se comunicar, emitindo os sinais certos e adaptando-os ao estilo de liderança que buscamos, tendo como prioridade obter o comprometimento dos liderados por meio da autoridade e não apenas pelo poder. Seja um líder comunicador!

 

O diálogo está na base deste modelo de liderança que defendemos e precisa ser entendido em sua plenitude. É comum traduzi-lo como sendo a conversa a dois. Os dicionários assim o definem mesmo porque passou a ter esse significado.

 

Na sua origem grega, porém, temos “diálogos”, sendo que “dia” — que também se encontra em dialética — significa “através”, “passagem” ou “movimento”. Enquanto logos é “palavra”, “razão” ou “verbo”. Conclui-se que diálogo é uma corrente de sentidos e significados que são compartilhados na busca de algo em comum. E compartilhados não apenas a dois, mas com todos.

 

Lembre-se: jamais traduza diálogo por duelo. Pelo diálogo, devemos encontrar convergência na equipe e capacitá-la a alcançar os objetivos traçados, movê-la em um mesmo sentido, ou seja, motivá-la.

 

FAÇA VOCÊ MESMO

 

O caminho por um diálogo qualificado:

 

1. Reaprender a ouvir
2. Ouvir é tão importante quanto falar
3. Exercitar a paciência
4. Saber perguntar
5. Não demonstrar pressa
6. Atenção na linguagem não verbal
7. Identificar as necessidades do outro
8. Buscar pontos em comum
9. Criar vínculos que fortaleçam as relações

 

O ambiente corporativo ensina que a busca pela motivação passa pela forma como os líderes enxergam as intenções dos seus funcionários em relação a empresa. Por exemplo, é preciso entender que as pessoas lutam pelo seu próprio sucesso. Então, você tem de mostrar o que elas ganharão se estiverem motivadas.

 

Max Gehringer, consultor de carreira e comentarista da rádio CBN, diz que é errado imaginar que os empregados serão convencidos a trabalhar mais e melhor porque o sucesso da empresa resultará no sucesso deles. É o contrário: o sucesso de cada um dos profissionais é que fará o sucesso da empresa. Portanto, mude seu discurso, troque a ordem de sua fala e você mudará a forma das pessoas agirem. É isso mesmo! A comunicação oral influência fortemente o ambiente de trabalho, os relacionamentos pessoais e o negócio em si.

 

Apesar de as facilidades proporcionadas pelas ferramentas eletrônicas, estas jamais serão tão eficientes quanto a comunicação pessoal, cuja abrangência envolve não somente o sujeito, mas também todo o ambiente corporativo.

 

A oralidade está na essência de uma comunicação interna eficiente, pois permite a troca de olhar, a cumplicidade e um entender que não se concretiza, por exemplo, no e-mail. Apesar desse ganho, a comunicação oral é muito mais difícil de controlar, pois depende basicamente da subjetividade dos interlocutores.

 

O mais importante, diante dessa verdade, é termos noção de como nosso estilo próprio, nossas características pessoais são fundamentais para constituir a imagem de líder. Reforçar nossos pontos positivos, tirar partido deles e corrigir ou atenuar os negativos é o caminho para definirmos nosso estilo, e é isso que realmente se valoriza hoje em dia.

 

Agora, temos de compreender que algumas qualidades são desejáveis e, se não as identificarmos em nosso perfil, temos de incluí-las no processo de aprendizagem que nos transformará em um líder comunicador:

 

FAÇA VOCÊ MESMO

 

Características essenciais para um líder comunicador:

 

1. Conhecimento do tema a ser tratado
2. Criatividade
3. Poder de síntese
4. Voz bem colocada
5. Clareza na articulação
6. Uso adequado dos recursos vocais
7. Bom vocabulário
8. Postura e atitude pró-ativa
9. Boa expressão corporal e facial
10. Uso adequado dos gestos

 

O livro Comunicar para liderar está disponível também em e-book e pode ser encomendado na página da Editora Contexto

CBN Salvador promove concurso com o tema “Comunicar para liderar”

 

291e1fb30b

 

Ouvintes da rádio CBN em Salvador estão convidados a participar de concurso cultural no qual devem criar uma frase com as palavras comunicar e liderar. Todos os participantes que fizeram o cadastro no site da emissora estarão concorrendo a sorteio de um exemplar do livro “Comunicar para liderar”, que escrevi em parceria com a fonoaudióloga Leny Kyrillos.

 

A promoção antecede o lançamento e talk show sobre o livro que realizaremos no dia 16 de outubro, na próxima sexta-feira, a partir das 18 horas, na Livraria Cultura, do Salvador Shopping.

 

Se você mora em Salvador e região metropolitana, entre no link a seguir e deixe a sua frase. E, claro, já colocoque na sua agenda nosso compromisso na próxima sexta-feira. Até lá.

 

Promoção para ganhar o livro “Comunicar para liderar”

Mundo Corporativo: Ricardo Jucá mostra como fazer acontecer na sua empresa e na sua carreira

 

 

“Fazer acontecer é entregar resultados, apesar das barreiras, com as pessoas e de forma ética”. Assim o consultor Ricardo Jucá explica, de forma objetiva, o grande desafio dos profissionais em construir estratégias para executar aquilo que planejou na sua empresa e na sua carreira. Nesta entrevista, ao jornalista Mílton Jung, no programa Mundo Corporativo, da rádio CBN, Jucá ressalta a necessidade de se focar nas coisas realmente importantes para garantir que o resultado desejado seja obtido e, para que este caminho seja seguido, ele sugere que se defina de forma clara e disciplinada o que está sendo feito para alcançar estes objetivos. Ricardo Jucá é sócio da Atingire, uma empresa de educação corporativa, e autor do livro “A pirâmide do fazer acontecer” (Papirus/7 Mares).

 

O Mundo Corporativo vai ao ar às quartas-feiras, 11 horas da manhã, no site http://www.cbn.com.br e o programa é reproduzido aos sábados, no Jornal da CBN.

#ComunicarParaLiderar: sessão de autógrafo vira sessão de fotógrafo

 

IMG_3909

 

O fenômeno dos smartphones, esses equipamentos capazes de nos oferecer acesso a Deus e todo mundo, tornou a fotografia algo corriqueiro, pois basta apontar a lente do celular e tocar a tela para o registro digital ser armazenado. Poucos segundos depois, a cena já está à disposição para compartilhar com os amigos – e os nem tanto – nas redes sociais. Nesse último mês, em que dediquei parte do meu tempo para lançamento do livro “Comunicar para liderar” (Editora Contexto), escrito em parceria com a colega e fonoaudióloga Leny Kyrillos, ficou evidente que as sessões de autógrafos de antigamente já não são mais as mesmas. Poderiam quase que serem substituídas por sessões de fotógrafos, pois não há um leitor que se satisfaça com a dedicatória à caneta. A assinatura vem sempre seguida do pedido de autorização para um ‘selfie’, mesmo que o ‘selfie’ não seja propriamente ‘selfie’, pois, na maioria das vezes, o celular é entregue a alguém mais próximo que se propõe a tirar a foto. E, ainda bem, sempre aparece alguém disposto a colaborar, até porque depois será a vez dele fazer o mesmo pedido.

 

Comunicar_1_Fotor_Collage

 

No sábado, estivemos em Campinas, onde recebemos uma quantidade enorme de leitores e ouvintes, na Cultura, do Shopping Iguatemi, e realizamos um ‘talk-show’ para, em seguida, atendermos ao público que se dignou a permanecer por algumas horas em uma inalcançável e, pela paciência dos presentes, também, incansável fila, que se iniciou no piso térreo da livraria, subiu dois lances de escada para terminar diante da mesa na qual Leny e eu recebíamos os convidados. O roteiro era muito parecido, graças ao carinho de cada pessoa que nos deu o privilégio da presença: um gesto de gentileza, a troca de palavras sobre o trabalho e a vida, a dedicatória personalizada, o autógrafo e, claro, a fotografia. Tira foto de um lado, ajeita o cabelo do outro, levanta para sair melhor na imagem, senta para dar espaço a todos da família, às vezes é preciso repetir a cena porque a luz não ficou boa ou o ‘fotógrafo’ de plantão se atrapalhou nos botões. No fim e ao cabo sempre tem alguém que comenta, como que criando uma cumplicidade:, “vocês devem estar cansados de tanto autógrafo e foto, não?”.

 

Digo a todos e reforço neste texto: não! Com certeza, nada daquilo que temos de fazer para receber os leitores é capaz de nos cansar. Tudo gera prazer, nos oferece alegria e satisfação. É maravilhoso ouvir a história de cada um, a forma como as pessoas entendem as mensagens que transmitimos e o desejo de compartilhar estas sensações. Como aconteceu nesse sábado, há momentos de muita emoção e outros em que a vontade é de levantar e abraçar a todos que estão por lá. Ouve-se algumas coisas incríveis como o menino que, apesar de muito novo, curte estar sintonizado na rádio, o senhor que quer me conhecer porque admira o trabalho de meu pai, a moça que reconhece a inteligência da minha colega de livro pelos trabalhos científicos publicados, sem contar a enorme turma que nos tem como companheiros de viagem todas as manhãs. Houve amigos, como o Cláudio Vieira, que vieram de São Paulo para nos prestigiar, e outros que não nos conheciam pessoalmente mas que fizeram questão de se apresentar como gremistas que são, caso do Danier, que seguidamente deixa seus recados neste Blog.

 

IMG_3906_Fotor_Collage

 

Tenho um certo pudor em me apresentar como escritor, apesar deste ser o terceiro livro que escrevo, sem contar as participações em outros trabalhos, pois creio que haja pessoas muito mais bem preparadas para ocupar esta função, mas a relação com o leitor durante essas sessões é estimuladora. Tem-se vontade de estar lá no dia seguinte para encontrar a todos novamente ou correr até a próxima cidade para um novo lançamento, mais um tempo dedicado ao bate-papo, à dedicatória, ao autógrafo e, claro, à fotografia, porque esta é sagrada.

 

Até o próximo lançamento ou até o próximo “selfie”!

Comunicar para liderar: dicas para que a sua mensagem inspire e transforme as pessoas

 

 

A importância da comunicação e algumas dicas para desenvolver esta habilidade estão neste vídeo no qual a fonoaudióloga Leny Kyrillos e eu apresentamos o livro “Comunicar para liderar” (Contexto). Lembrando que, neste sábado, nós estaremos, ao vivo, no auditório da Livraria Cultura, do Shopping Iguatemi, na cidade de Campinas, a partir das 17 horas, quando teremos um talk-show seguido de sessão de autógrafos.