Poluição visual na Marginal: um susto e uma esperança

 

Por Carlos Magno Gibrail

 

16078804173_12c65e8352_b

 

A utilização da parceria com as empresas privadas para financiar melhorias para a cidade sempre foi um tema destacado na fala de João Doria, como candidato e como Prefeito de São Paulo.

 

Esta proposição, dada a competência empreendedora do prefeito e de sua facilidade em aglutinar os mais destacados empresários do país, poderia criar uma expectativa mercantilista na administração de Doria. E até ameaçar a Cidade Limpa.

 

Entretanto, logo que assumiu, a Administração Doria lançou a bandeira da Cidade Linda. Tão louvável quanto a Cidade Limpa. Foi uma importante sinalização em termos de preservação e de preocupação com o meio ambiente paulistano.

 

Surpreendentemente agora o Prefeito vem a público para referendar a notícia de que irá flexibilizar a Lei Cidade Limpa, para efetivar as reformas necessárias e as melhorias devidas nas Marginais.

 

Um susto e tanto se considerarmos que a Lei Cidade Limpa é hoje um marco na imagem de São Paulo. Tanto no âmbito nacional como internacional, tendo se alinhado como um modo paulistano de tratar o visual urbano. E que tem sido copiado por cidades até fora de nossas fronteiras.

 

leicidadelimpa-03

Imagens publicadas na revista VejaSP comparando antes e depois da Cidade Limpa

 

De outro lado, se considerarmos a competência do Prefeito em sensibilizar os grandes empresários, a implantação desta parceria terá significativa adesão, o que aumenta a apreensão.

 

Nesta altura, fui até a idealizadora da Cidade Limpa, a arquiteta Regina Monteiro, e, do susto, passei à esperança.

 

Regina Monteiro é hoje Assessora do Presidente da SPUrbanismo e está incumbida de fazer o Plano Diretor da Paisagem de São Paulo. Cargo e função que recebeu recentemente do Prefeito João Doria ao procurá-lo e externar a sua preocupação com a cidade neste aspecto de paisagem urbana.

 

Mérito para Doria que soube atribuir importante cargo e função a quem já mostrou que sabe idealizar e realizar leis e obras para beneficio de São Paulo.

 

Carlos Magno Gibrail é mestre em Administração, Organização e Recursos Humanos. Escreve no Blog do Mílton Jung, às quartas-feiras.

Ciclovia na Marginal: um ano depois, uma reunião

 

Ciclovia na Radial LesteClique nesta imagem e veja outras fotos da ciclovia na Radial Leste feitas por Luis F. Gallo

 

Há duas semanas, o CBN SP procura o Governo do Estado para saber como está o projeto de construção de uma ciclovia na Marginal Pinheiros, prometido há quase um ano em entrevista ao programa pelo secretário-adjunto de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo, Ricardo Toledo. Do Palácio dos Bandeirantes e da Secretaria Estadual de Saneamento e Energia soube-se que não havia sido feito até então. Houve, inclusive, tentativa de entrevista com a secretária Dilma Pena, mas a falta de informação sobre o assunto fez com que ela não aceitasse conversar como programa.

Por isso, fiquei surpreso ao ver que o secretário chefe da Casa Civil do Governo de São Paulo, Aloysio Nunes Ferreira, e o secretário municipal dos Esportes, Walter Feldman, divulgaram nota, nesta quinta-feira, convidando ciclistas para encontro no qual será apresentada proposta de projeto de uma nova ciclovia na cidade, segunda-feira, 05.10, às duas e meia da tarde, com a presença do arquiteto Ruy Ohtake, no Palácio dos Bandeirantes.

Espara-se que a disposição dos dois secretários tire do limbo projeto que havia sido anunciado em 15 de outubro do ano passado, pouco antes da eleição municipal e gerou expectativa em ciclistas que pedalam entre os carros e todos os dias correm risco de vida, saindo da zona sul da capital em direção aos bairros mais centrais. A ciclovia ligaria o autódromo de Interlagos ao Cebolão e seria construída entre a pista da marginal que segue em direção a zona sul e o rio Pinheiros. Naquela época falou-se que até 2010 o primeiro trecho estaria entregue.

Em agosto, a partir de estudo realizado pelo cicloativista Henrique Boney, informamos aqui no Blog que a cidade tem 367 quilômetros de ciclovias, previstas nos Planos Regionais Estratégicos, não realizados (leia sobre o assunto). Curiosidade maior: a da Marginal Pinheiros que ameaça sair agora não faz parte dos planos, assim como a da Radial Leste (foto) que se iniciou mas ainda não acabou.

Reportagem de hoje da Folha diz que a CPTM promete ciclovia na Marginal Pinheiros em quatro meses e projeto já está em andamento.