Avalanche Tricolor: Que noite !

 

Grêmio 1 x 2 Pelotas
Gaúcho – Olímpico Monumental

dsc_9380_l

A noite em que até o capitão Vitor se atrapalhou e não defendeu nenhum pênalti. A noite em que o maestro Douglas errou mais passes do que acertou. A noite em que Jonas não foi o peladeiro com que nos acostumamos e sumiu em campo. A noite em que o juiz decidiu apitar todas contra nós. Esta noite só podia ser aquela em que deixaríamos para trás nossa invencibilidade e nossas marcas históricas.

Porque esta noite em algum momento teria de chegar. E como esta era inevitável que fosse agora, em tempo de se recuperar, pensar, treinar e se preparar para a decisão do Campeonato Gaúcho, para a qual estamos convocados antecipadamente – não esqueça disso, caro corneteiro de plantão.

Somos craques em desmentir os astros, em driblar o que nos haviam preparado de pior, portanto temos apenas que nos resignar e aprender quando algo como o que ocorreu nesta noite se concretiza.

Somos o Grêmio e sabemos como ninguém que o destino não é uma história acabada, nós é que temos de escrever seu último capítulo e isto só é feito por aqueles que não desistem nunca, que não vencem na véspera.

Lição aprendida, bola pra frente, pois somos nós os Imortais !

Avalanche Tricolor: De volta !

Maylson na Avalanche Foto: Nauro Junior/ClicRBS

Pelotas 2 x 3 Grêmio
Gaúcho – Pelotas

Os cronistas passaram a semana falando que estavam com saudade do futebol e não viam hora de a bola rolar depois de pouco mais de um mês do fim do Campeonato Brasileiro. Mesmo aqueles que não admiram mais as competições estaduais declaravam sua ansiedade. Confesso que não compartilhei com eles este sentimento.

Início de temporada para mim é sempre modorrento, mostra times que pouco se parecem com aqueles que seus técnicos sonham e suas torcidas encontrarão nos momentos decisivos. A turma ainda sente dor nas pernas pois iniciou há pouco a recuperação de um físico desgastado das férias e parte do público está mais preocupada com o sol na beira da praia do que com os jogadores em campo.

Sentei diante da televisão para assistir à estreia do Grêmio no Campeonato Gaúcho sem muita pretensão e com a preguiça que o fim de semana abafado de São Paulo me proporcionou. Logo me surpreendi com a quantidade de pessoas nas arquibancadas do “caldeirão de Pelotas” – neste caso o exagero não é meu, o nome está assim grafado na cobertura esportiva do Portal Terra. Nenhum site soube me informar com precisão, mas o estádio com cerca de 22 mil lugares estava lotado. Alguns gremistas ficaram do lado de fora com ingresso nas mãos (o velho desrespeito ao torcedor). Era ânimo de mais para mim que deitado em uma lounge acompanhava a bola tropeçar nos buracos do gramado.

A partida não negava minhas expectativas, apesar do esforço imposto pelo adversário motivado pela volta à primeira divisão e treinando há 45 dias. O Grêmio com pouco mais de uma semana de trabalho não deveria se expor tanto, afinal nossa meta há muito é reconquistar o mundo e pra isso temos o desafio da Copa do Brasil. É lá que se inicia o caminho para Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

O Grêmio, porém, não é time de fazer pouco caso quando veste a camisa tricolor. E está sempre preparando uma surpresa ao seu torcedor, articulando uma façanha incrível ou um fato capaz de nos fazer tirar o esqueleto do sofá. Não foi diferente nesta tarde, na Boca do Lobo.

Após permitir uma dupla vantagem para o adversário no primeiro tempo, voltou a campo disposto a por ordem nas coisas. Com a cabeça no lugar e o entorpecido Jonas em campo, partiu para o ataque e de lá não saiu mais até virar o placar. Além dos “veteranos” de clube – como o próprio Jonas, mais Souza, Maylson e Adílson -, os estreantes Leandro, Hugo e Borges esboçaram talento.

Para a estréia, uma vitória de virada que misturou competência e raça é sinal de que teremos bons motivos para festejar nesta temporada.

O Imortal Tricolor está de volta !