Pequenos empreendedores dominam o e-commerce no Brasil

 

Por Carlos Magno Gibrail

 

4296909171_34545056d8_z

Mercadão de São Paulo está no e-commerce, foto de Luis F Gallo/FlickrCBNSP

Pesquisa SEBRAE e E-Commerce Brasil* indica que 90% do comércio eletrônico brasileiro estão sendo realizados por pequenas empresas. Empreendimentos com vendas de até R$ 3,6 milhões anuais. Um mercado cuja previsão de faturamento para este ano é de R$ 52 bilhões, atingindo  crescimento de 8% sobre 2015, enquanto o PIB deverá retroceder 3,3%.

 

A base da pesquisa considerou a seguinte estruturação dos negócios:
Somente e-commerce 15%
Loja física e e-commerce 13%
Pretendem abrir e-commerce 12%
Somente loja física 31%
Nenhuma das anteriores 28%

 

Dentro desta base 53% correspondem a E-commerce puro e 47% a loja física e e-commerce.

 

Em princípio, o tamanho do mercado real e potencial não condiz com a pouca participação das grandes empresas. As poucas que atuam apresentam os melhores desempenhos.

 

A taxa de conversão é de 2% para as grandes e 1,5% para as pequenas. Enquanto 51% das pequenas tem lucro e para as grandes são 80%.

 

Ao mesmo tempo o comércio eletrônico tem evoluído apresentando índices menores de trocas e apontando ações de melhoria competitiva focadas em mix de produtos, atendimento, preço, entrega e acessibilidade. Exigências que a escala maior poderia apresentar vantagem.

 

Dentro deste princípio, a SOKS, criou uma plataforma para atender em 2D e 3D as lojas do Mercado Municipal de São Paulo, que servisse de modelo para grandes corporações.

 

Hoje estão no ar o Don Mercatto, o Shopping Piratas, o Shopping TV Record, e em desenvolvimento o Shopping TV Cultura. Esta tecnologia possibilita infinitas formas de comunicação e vendas, incluindo licenciamento de produtos inerentes a programas e artistas.

 

A trajetória da SOKS, segundo seu fundador e CEO, Antonio Mesquita, contabiliza R$ 43 milhões investidos, e sete anos de trabalho contatando empreendedores de Shopping Centers e de Comunicação para convencê-los desta oportunidade que a pesquisa SEBRAE evidencia. Embora com uma modesta taxa de conversão tendo em vista a efetiva taxa potencial de sucesso.

 

Mesquita, sem esmorecer, atenta também para o setor público ao propor a gestão tecnológica comercial do Mercado Municipal de São Paulo. Licenciar a marca do Mercado e todas que ali operam, vender tudo para todos e remunerar a Prefeitura.
Um avanço

 

Carlos Magno Gibrail é mestre em Administração, Organização e Recursos Humanos. Escreve no Blog do Mílton Jung, às quartas-feiras.

 

*Pesquisa SEBRAE/E-Commerce Brasil
Pesquisa quantitativa, 2781entrevistados em junho de 2016, obedecendo ao código de ética ABEP Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, e ICC/ESOMAR Code on Marketing and Social Research

Empreendedorismo: qual foi o erro que você cometeu?

 

 

O CBN Young Professional, quadro que apresento na rádio CBN, é espaço destinado a conversar com jovens empreendedores, uma turma que fez sucesso muito cedo com suas ideias e sonhos. Em todas as entrevistas que realizei até aqui fiz questão de perguntar a cada um deles qual o erro que teriam cometido nesta curta carreira que poderia se transformar em referência aos demais. Afinal, nossa carreira é construída com base nos acertos e nos erros. As respostas são bem interessantes e as lições, também: se quiser conferir algumas dessas entrevistas, entre aqui.

 

No Papo de Professor, promovido pelo Sebrae, fui perguntado sobre o fato de as histórias de empreendedores geralmente serem contadas pela ótica dos vencedores: daqueles que fizeram sucesso na sua carreira,alcançaram resultados e conseguiram destaque. Queriam saber se esse olhar não geraria distorção ou ilusão nos que pretendem se lançar como empreendedor.

 

Nossos erros nos ensinam muito, desde que tenhamos humildade para reconhecê-los. Entender as falhas cometidas por outros também nos permite enxergar novos caminhos a serem percorridos. É sobre isso que falo no vídeo acima. Clica lá, assista e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

 

Aliás, qual o erro que você já cometeu na sua carreira?

 

Para ver outros vídeos sobre empreendedorismo, clique aqui.

Empreendedorismo: cuidado com o empreendedor-pipoca

 

 

No Brasil, boa parte das pessoas que envereda pelo caminho do empreendedorismo, o faz por necessidade. Na falta de emprego ou dificuldade para juntar um pouco mais de dinheiro, sai em busca de opções, abre seu próprio negócio e fica na torcida para que tudo dê certo.

 

Claro que a possibilidade de sucesso em casos como esses é pequena, pois se não houver planejamento, estratégia, informação precisa e paciência, o empreendedor tende a encontrar mais problemas pela frente.

 

Com a crise atual e diante das promessas de resultados rápidos, algumas pessoas saem de um negócio para o outro sem pestanejar, podendo gerar ainda mais prejuízos a si mesmo e a seus parceiros.

 

No Papo de Professor, do Sebrae, falei sobre o empreendedor-pipoca, esta figura que está sempre correndo atrás de nova aventura na esperança de que um dia encontrará o negócio certo. É impaciente, ansioso e, muitas vezes, ganancioso. Tem um perfil de altíssimo risco. Muito cuidado!

 

Para saber minha opinião sobre o assunto assista ao vídeo acima.

 

Veja aqui outros vídeos sobre empreendedorismo.

Empreendedorismo: seja empreendedor no emprego que você tem

 

 

Abrir o seu próprio negócio a partir de ideia inovadora. Essa é a visão mais tradicional que temos do empreendedorismo. Porém, há algum tempo já percebemos a necessidade de  as empresas criarem ambientes que incentivem o desenvolvimento de uma consciência empreendedora entre seus colaboradores, dando-lhes liberdade para criar e encorajado-os a implantar ideias próprias.

 

Falei sobre o tema em um dos vídeos do Papo de Professor, promovido pelo Sebrae, que você assiste acima.

 

Veja  aqui outros vídeos sobre empreendedorismo.

Empreendedorismo: identifique o alcance do seu negócio na internet

 

 

A internet tem oferecido oportunidades diversas para empreendedores, mas não pode ser vista como a salvação de todos os negócios. É preciso identificar o potencial da sua ideia e o perfil do público que pretende alcançar.

 

Falei sobre o tema durante o Papo de Professor, do Sebrae, diante de uma das perguntas selecionadas: “existe uma teoria que diz que qualquer negócio na internet prospera. O que você acha disso? como os clientes da internet estão em todos lugar e em lugar nenhum, como fazer para conhecê-los?”

 

A resposta completa você encontra no vídeo acima.

 

Para assistir a outras questões relacionadas ao empreendedorismo, clique aqui.

Empreendedorismo: se a sorte existe, faça com que trabalhe a seu favor

 

 

Empreendedorismo não é uma lance de sorte: é oportunidade criada. Portanto, encontradas as condições para desenvolver sua ideia não espere que o dinheiro caia do céu, identifique as condições do mercado, tenha sensibilidade para entender o desejo dos clientes e execute-a com precisão. Somente assim o fator sorte – se este existir – vai lhe ajudar.

 

Durante o Papo de Professor, do Sebrae, uma das questões que surgiram foi em relação aqueles empreendedores que embora tivessem todas as informações contrárias para abrir um determinado negócio, investiram contra a maré e se deram bem.

 

Na resposta que você assiste no vídeo acima, conto uma experiência pessoal que me permitiu dar passo importante na vida profissional: contei com algumas coincidências, mas se não estivesse bem preparado para aquele momento, nada teria acontecido.

 

Para conhecer esta história, clique no vídeo acima; para ouvir outras questões sobre empreendedorismo, clique aqui

Empreendedorismo: como empreender com pouco dinheiro

 

 

Saber buscar e gerenciar os recursos para viabilizar uma ideia costuma ser decisivo para os novos empreendimentos. Nestes tempos bicudos, a captação de dinheiro tem de ser cuidadosa e exige conhecimento do empreendedor, pois muitas vezes ao não identificar as fontes mais apropriadas coloca seu negócio em risco.

 

Um dos temas que surgiram no Papo de Professor, do Sebrae, foi a possibilidade de se empreender com poucos recursos, diante da crise econômica. No vídeo acima cito alguns caminhos onde você pode buscar este dinheiro e chamo atenção para o fato de que pouco dinheiro pode ser visto como fonte de inspiração, apenas exigindo mais criatividade.

 

A boa notícia é que, depois de já ter gravado esse vídeo, entrevistei para o Mundo Corporativo da CBN, o economista Marco Gorini, co-autor do livro “Captação de recursos para startups e empresas de impacto”. De acordo com Gorini, as dificuldades econômicas de alguns setores não têm impedido que investidores coloquem dinheiro nas boas ideias que surgem no mercado.

 

A entrevista vai ao ar em breve, na rádio CBN, e pode ser conferida no Facebook da CBN. O livro é ótima dica a você que pretende se estruturar e conseguir auxílio financeiro.

 

Veja outros vídeos sobre empreendedorismo do Papo de Professor, do Sebrae.

 

Empreendedorismo: 4 passos para planejar seu negócio diante da crise

 

 

Diante da crise econômica, muitos empreendedores se vêm levados a diversificar seu negócio em busca de alternativas que façam aumentar seu rendimento. E este foi um dos temas propostos no Papo de Professor, promovido pelo Sebrae: como fazer isso sem perder a eficiência e a qualidade?

 

Partindo da premissa que empreendedorismo envolve inovação e riscos, não podemos apenas esperar que a crise nos atropele. É necessário buscar caminhos viáveis, a partir do próprio negócio que já realizamos.

 

Para planejar seu negócio neste cenário, proponho quatro passos:

 

  1. Identifique os fatores que impactam seu negócio e quais fatores seu novo negócio vai impactar.
  2.  

  3. Determine o seu limite, até onde seu produto pode chegar, qual o alcance do serviço que você presta.
  4.  

  5. Antecipe-se e mapeie os imprevistos que possam surgir no seu caminho
  6.  

  7. Jamais tire o foco do que mais importa: o cliente

 

A resposta completa você assiste no vídeo acima.

 

Aqui você assiste a outros vídeos nos quais respondo perguntas sobre empreendedorismo

Empreendedorismo: como usar a comunicação para ajudar no seu negócio

 

 

Falamos em vídeos anteriores sobre a importância das redes sociais para construção da marca da sua empresa e do seu negócio. O tema da importância da comunicação para o seu sucesso porém é muito amplo.

 

Muita vezes você não terá a proteção das redes para se comunicar com clientes e parceiros. Essa relação terá de ser feita olho no olho e vai depender da sua capacidade de transmitir a mensagem desejada. Lembrando sempre que comunicação não é o que eu diga mas o que você entende.

 

Uma das perguntas feitas no Papo de Professor, promovido pelo Sebrae, chamava atenção para este tema: quais as dicas que daria aos jovens que têm dificuldade de se expressar e precisam da comunicação como ferramenta?

 

A resposta para esta pergunta você vê no vídeo publicado neste post.

 

Aqui, você assiste a outros temas discutidos no Papo de Professor.

Empreendedorismo: micros têm mais agilidade e independência para driblar a crise

 

 

Falamos em vídeo anterior sobre a informalidade e os riscos que provoca no seu negócio. Uma das opções que tornaram a regularização da sua prestação de serviço acessível foi a criação da figura jurídica do microempreendedor individual, o MEI, que trouxe para dentro do sistema legal cerca de 6 milhões de pessoas, desde que foi criado há seis anos.

 

No Papo de Professor, promovido pelo Sebrae, conversei com os participantes sobre como incentivar o microempreendedor individual a encarar este momento de crise econômica no Brasil. A resposta você assiste no vídeo acima.

 

Aproveito para lembrar que ainda nesta semana, o Sebrae, abriu inscrições gratuitas, para quem pretende sair da informalidade e ter acesso a diversos benefícios, inclusive direitos trabalhistas. O curso à distância “MEI – Microempreendedor Individual” pode ajudá-lo nesta tarefa.