Burocracia supera pedagogia

Por Sônia Alves
Ouvinte-internauta do CBN São Paulo

“Caro Mílton,

Ouvi quando você, em boa conversa com Sidney Resende, pronunciou a seguinte frase: “eu não sei o que acontece com a educação de São Paulo”, se referindo às péssimas notas dos estudantes no exame de avaliação da qualidade do ensino.

Pois bem, se me permite, eu tenho uma avaliação que, bom frisar, não é só minha, mas compartilhada com vários educadores de renome no país, qual seja, a educação no Estado de São Paulo sofre de falência, resultado de um programa educacional equivocado que priorizou a liberação de novas vagas em detrimento da qualidade do ensino. A política da aprovação automática (e não progressão continuada) visou matricular e empurrar série acima o maior número de alunos para dar satisfação a inúmeras cobranças de índices de analfabetismos e de falta de vagas, sem nenhuma preocupação com conteúdo pedagógico e com o aprendizado.

Essa foi, e está sendo, a política do PSDB em todos esses anos à frente do governo do Estado. E essa é uma visão que compõe todo o pensamento neoliberal, que tem na educação uma ferramenta de formação de mão-de-obra barata para o mercado de trabalho e que, portanto, oferece aos pobres uma escola pobre e não mais que isso.

Se compararmos, as medidas adotadas pelo governo Kassab, elas vão na mesma linha: esvaziaram os CEUS das atividades culturais e esportivas, transformando-os apenas num escolão, com a desculpa da dificuldade de articulação entre as secretarias envolvidas para implantação de atividades integradas.

Em outras palavras, a burocracia está acima das necessidades da população. Então, tira-se o acesso à cultura e aos esportes da comunidade, das crianças e dos jovens da periferia. Afinal, de acordo com os preceitos neoliberais, o estado tem que ser mínimo e a riqueza e o conhecimento para poucos. Essa é a lógica”.

Sônia Maria Corrêa Alves é economista e participa do CBN São Paulo por e-mail comentando os temas discutidos no programa.

8 comentários sobre “Burocracia supera pedagogia

  1. Não é possível que ainda discutam pedagios no centro da cidade de São Paulo. Na minha opinião falta um pouco de maturidade para estes “especialistas” no assunto.
    Enquanto não encararem o assunto com seriedade e verificarem que a unica solução é fazer do subsolo da cidade um verdadeiro “queijo suiço”, com mais metrô, nada vai ser resolvido. Somente assim, as coisas vão fluir melhor nesta cidade cheia de “especialistas”.

  2. Tudo certo como dois e dois são cinco. Realmente a educação no pais é um desastre, e não só em SP não, ou é? Ouvi dia desses no Pioto a Secretaria de Educação do RGS, e mesmo sendo o melhor ensino la, ainda é ruim. Mas eu acho otimo mesmo é quando a esquerda festiva, dos CEUS dos infernos e dos purgatórios e pedagógios da vida, acham que todos os males do mundo são as políticas neoliberais. Vamos todos para Cuba aprender espanhol e estudar medicina demartológica e quem sabe ortomolecular, agora com a nova revolução socialista de Raul Castro realmente teremos todos os males contra o neocapitalismo selvagem que aflige esse e outros paises.Vamos agora, ja que a dívida externa esta paga pelas políticas esquerdistas do Presidente do Banco de Boston opa, do Banco Central, o Lula Meireles e todos os males vão se resolver. Talvez a gente devesse por um Meirelles da Educação na Secretaria ou Ministério da Educação, assim fazendo um paralelo com a economia,se um cara de mercado deu certo, pode ser que num paralelo…

  3. Completamente de acordo com Daniel.
    Comecei a trabalhar essa semana na Paulista e moro em Santo Amaro. Fui de carro segunda e terça. UM INFERNO.
    Hoje, a conselho de colegas, vim de ônibus. E tive que me surpreender. Cheguei mais rápido.
    Resumo da ópera: se a cidade fosse estudada com seriedade e projetos mais responsáveis fossem implementados (como os corredores de ônibus, que apesar se detestar dona Marta, foram projetos da gestão dela), o cidadão seria encorajado a deixar os carros nas garagens.
    A questão transporte em SP precisa ser levada a sério.

  4. O que falta é interesse e vontade política para a Educação.
    Assim como o eleitor “invadiu” o congresso através de mensagens aos deputados e senadores na época do causo Renan, por que nós, paulistanos não pegamos nos pés dos nossos deputados e vereadores?
    Ah! Ia me esquecendo: pressão nos senadores de SP tb.

  5. Concordo com minha colega de Etapa e Puc, Sônia Alves, Com relação a aprovação de alunos automáticamente, e em alguns casos chegam a 5ª Séries sem estarem alfabetizados. Esta foi uma política de muitos anos e vários governos, inclusive do PT que foi governo na capital e não mudou a forma de “empurrar” os alunos para a série seguinte.

  6. Paulistanos, não adianta sonharmos com uma melhora significativa no transporte urbano porque a incompetencia dos nossos politicos aliado a falta de dinheiro inviabiliza qualquer solução a curto e médio prazo, acredito que uma solução imediata seria o rodizio com algumas mudanças mais radicais do tipo: ele valer para o dia inteiro, aumentar o número dos finais das placas para cada dia, incluir o sabado, etc. Não estamos conseguindo mais andar em SP inclusive aos sabados e só vai piorar, é necessário ser tomada medidas urgentes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s