Avalanche Tricolor: A fera está solta

Maxi Lopez faz o primeiro com a camisa do Imortal (foto: Grêmio.net)

Grêmio 6 x 1 São José

Gaúcho – Olímpico

O São  José foi o segundo time a morar num pedacinho de corações gremistas e colorados. Se não era verdade, tratava-se, pelo menos, de  santa mentirinha. As novas gerações já não cultivam esse hábito e, com mais razão, os profissionais dos dois times, haja vista, por exemplo, a goleada aplicada pelo Grêmio no Zéquinha. A propósito, procurei pela Avalanche Tricolor no teu blog e não a encontrei

Quase como um puxão de orelha, chego em casa após a meia-noite e leio esta mensagem na caixa de correio, assinada pelo ouvinte-internauta  que se identificou apenas pelo primeiro nome, Pablo. Tinha razão da bronca, logo na noite em que o Grêmio faz uma apresentação como esta pelo Campeonato Gaúcho por que haveria de abrir mão desta coluna mantida há mais de ano e escrita sempre após os jogos do Imortal. Escrita, algumas vezes (poucas, por sinal), com imensa dor no coração.

Compromisso profissional me tirou de casa antes do término da partida. Fui participar do programa Quarta Viva, apresentado pelo professor e vereador Gabriel Chalitta, na TV Canção Nova. Aproveitei para falar da campanha Adote um Vereador, conversei sobre a responsabilidade do jornalista diante do cidadão, e a importância da palavra, entre outros temas. Antes de mim, na mesma cadeira, esteve Heródoto Barbeiro que falou da experiência (enorme, por sinal) dele na comunicação, e desfilou conhecimento e simpatia.

Foi, aliás, no bate-papo com o Heródoto, antes do programa se iniciar, que fiz minha última consulta na internet para confirmar o resultado da partida do Grêmio contra o São José. “Santo o quê ?”, perguntou o professor. Minha explicação não foi tão precisa quanto da mensagem reproduzida na abertura deste texto, mas me parece que ele não estava muito interessado mesmo. Queria apenas ironizar mais uma conquista do tricolor.

Confesso que não fiquei surpreso com o placar final. Ao sair de casa, o Grêmio vencia por 4 a 1 e o primeiro tempo sequer havia se encerrado.  Goleada que se iniciou aos 21 segundos de jogo (recorde do ano), quando em um ataque fulminante Tcheco completou para as redes. Em seguida, viriam os gols de Léo, Jonas e Jonas.

Fábio Santos, soube depois, fez o quinto. Mas lamento mesmo não ter tido a oportunidade de assistir ao sexto gol, o primeiro de Maxi Lopez vestindo a camisa do Imortal, que saiu do banco para levantar a torcida, conforme leio na imparcial cobertura do portal Grêmio.net. Sem tempo para procurar o gol na internet me delicio com o poder da imaginação. Vejo a bola disparar dos pés de Souza na cobrança de falta com velocidade suficiente para tornar impossível a defesa do goleiro adversário que a solta na área quando surge o argentino, cabeludo, visão aguçada e faro de gol;  a bola se apresenta a ele e Maxi, educadamente, atende: Muito prazer, eu sou a Fera !

2 comentários sobre “Avalanche Tricolor: A fera está solta

  1. Estás desculpado,Mílton. Tinhas um compromisso inadiável ontem à noite. Hoje,porém,usando até text saído do e-mail que te mandei,compareceste com a “Avalanche Tricolor”,aliás,criativo como sempre. Não perdi nada por esperar. Te aconselho a dar um jeito de assistir ao primeiro dos muitos gols do Maxi López com a camisa do Imortal:foi gol de centroavante,sempre pronto pra concluir.

  2. Avalanche tricolor: quando os torcedores gremistas descem correndo os degraus da arquibacanda para comemorarem um gol do seu time e ficam se encoxando junto ao alambrado ou mureta do estádio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s