Tucano critica “Adote um Vereador”, em São Paulo

Adote um VereadorIncomodado com o monitoramento feito pelo “padrinho” Angel Brizante que aderiu a campanha Adote um Vereador, o tucano Souza Santos usou seu tempo no plenário da Câmara para criticar a ação cidadã. Leia a bronca do vereador no texto transcrito do site do legislativo:

Souza Santos (PSDB) disse não concordar com a campanha “adote um vereador”, pois, em sua opinião, “se querem o ‘adotar’ que venham conhecer o seu trabalho”. E mais: “não adianta me criticar pela internet sem saber o que faço aqui dentro. Venha ao meu gabinete, conheça o meu trabalho antes.”

O que deve ter causado tal irritação no vereador foi a avaliação publicada no Blog Adotei Souza Santos na qual Angel Brizante informa que a partir de consulta no Diário  Oficial do Município e o site da Câmara “verifiquei que o vereador NÃO APRESENTOU NENHUM PROJETO de lei no mês de Abril…..Também nas atividades parlamentares: Nenhum pronunciamento, nenhum requerimento. Ou seja: Nenhuma Produção Legislativa … mas os gastos… devem ter acontecido… aguardo a publicação p/ comparar!”.

A prevalecer a ideia de Souza Santos na próxima eleição só votará nele o eleitor que comparecer na Câmara e visitar o gabinete dele. Os demais não terão capacidade para avaliar a produção legislativa.

Vai faltar voto, vereador.

9 comentários sobre “Tucano critica “Adote um Vereador”, em São Paulo

  1. O problema de certos parlamentares é achar que não têm de dar satisfações à população. Gostaria de propor ao Angel Brizante que tente localizar algum impresso ou outro material de campanha do nobre vereador e veja se pelo menos ele etá cumprindo com suas promessas de campanha. Parabéns a todos os padrinhos e ao Milton pela iniciativa.

  2. Como integrante do Projeto do “Adote um Vereador”, também não concordo com um monte de coisas na Câmara, assim como a presença do senhor aí. Más até aí……………….

    Agora me dirijo, com todo respeito, aos eleitores que democraticamente votaram no senhor. Peço à eles que o avaliem melhor.

    Analisando a sua presença na Câmara estamos informando que o senhor não tem agregado nada de valor à cidade, pelo contrário só tem dado gastos aos nossos bolsos.

    Como cidadãos e eleitores comuns podemos sim avaliar, investigar, comentar,criticar, opinar, elogiar, escrever, digitar, mandar um fax, telefonar, debater, postar na internet, fazer sinal de fumaça……..enfim somos representados pelo senhor na Câmara.

    Como vê caríssimo vereador, a sua opinião quanto ao projeto é apenas a sua opinião, pode “chiar” à vontade.
    Não venha dizer ao POVO paulistano o que devemos fazer, cuide da sua vereança pois seu “afilhado” o Angel Brizante, tem reprovado produtivamente.

    Na minha opinião o cidadão e eleitor Angel Brizante é muito consciente e exerce o seu papel na cidadania e lamento muito não ter adotado um vereador como eu o fiz

    Ele não é meu amigo, não janto na casa dele, não tenho o MSN dele, nem sequer o celular e não preciso, más para o trabalho que me dispuz a fazer na Câmara Municipal, ele tem se portado como um legítimo representante do POVO.

    Para finalizar de onde o senhor tirou essa conclusão que:

    “se querem me ‘adotar’ que venham conhecer o seu trabalho”. E mais: “não adianta me criticar pela internet sem saber o que faço aqui dentro. Venha ao meu gabinete, conheça o meu trabalho antes.”

    Onde isto está escrito?
    Está na constituição?
    Por acaso agora o senhor cria leis de conduta fiscalizatória?

    O cidadão e eleitor não é obrigado a ir no seu gabinete coisa nenhuma.
    Não se irrite vereador é nosso dever fiscalizá-lo de onde nós (POVO) acharmos melhor e o senhor apenas contribuir.

    Aproveite e tome umas aulas de comportamento com o meu afilhado o Vereador Marco Aurélio Cunha que entendeu muito bem onde queremos chegar com o nosso projeto.

    http://adoteidrmarcoaureliocunha.blogspot.com/

    Boas aulas.

    Claudio Vieira.

  3. É, este quer continuar com o de sempre.
    Depois de eleito deitado em berço esplêndido!
    Fiscalização é obrigação e exercício de cidadania.
    Informação para nós, eleitores, cidadãos e carentes de honestidade.
    Voto não é cheque em branco.

  4. Claro que o Tucano critica a iniciativa adote um vereador
    Sabem porquê?
    Porque está incomodando a muitos outros coleguinhas “da mesma escolinha”
    E assim quanto mais amiguinhos ao seu lado mais “conseguirão” permanecer em berço explendido!
    Vergonha os nossos politicos.
    Com poouquissimas excessões que dá para contar nos dedos.
    Vamos fiscalizar sim
    A cidade inteira!

  5. A declaração do vereador é perfeitamente explicável afinal até agora eles eles nunca haviam sido fiscalizados pelo povo, melhor eles se acostumarem.
    Quanto ao comentário do nosso amigo Claudio Vieira, não sei se fazer elogios seja de bom tom, a ideia pelo que entendo é fiscalizar e não promover.
    Abraços
    Carlos Roberto

  6. “não sei se fazer elogios seja de bom tom, a ideia pelo que entendo é fiscalizar e não promover.”

    Caro, Carlos Roberto.

    Eu respeito sua opinião más não concordo com ela.
    Eu também acho que você poderia adotar um vereador e se juntar a nós. O que você acha?

    No assunto do post acima que se refere a crítica do vereador Souza Santos (PSDB) ao projeto como um todo, do “Adote um Vereador”, eu quiz apenas dar um exemplo.

    Assim como eu sei que o vereador Floriano Pesaro e José Police Neto também agem da mesma forma com seus “padrinhos”.

    Em nenhum momento eu promovi ninguém, mesmo porque minha fiscalização é voluntária, apartidária, impessoal, não recebo para isso, tenho minha empresa e vivo dela etc…

    No dia que visitei o gabinete, ninguém estava presente e não pode julgar o tratamento que recebi. Quem pode falar daquele dia, somente eu, a assessora e o vereador.

    Eu apenas quiz ressaltar o comportamento que recebi do meu “afilhado”, quando sabendo que eu era apenas um cidadão comum e eleitor me atendeu com educação, postura de homem público, bom anfitrião etc…
    Não tenho o celular dele, não sou amigo dele, não tenho seu MSN enfim….

    Dei apenas um exemplo, pois cada vereador tem sua opinião
    e liberdade de ação para agirem conforme sua consciência.
    O que eu não posso concordar e quero que fique aqui registrado que eu não quiz promover ninguém como você escreveu.

    Quem tem que achar alguma coisa é o eleitor do vereador Souza Santos que votou nele.
    Como eu já te vi, aqui pelo blog, eu agradeço mesmo assim sua opinião.

    Abraços.

  7. Não é minha intenção contrariar ou gerar desevenças, mas não posso me furtar a minha opnião (que esta mantida), temos que ser muito cuidadosos com nossas palavras, por que a mim deu a impressão de parcialidade. Como você, caro Claudio dependo apenas de mim, e faço sim minhas fiscalização, mas da minha forma o que é de meu direito também.
    Abraços a todos

  8. Caro Carlos Roberto, na minha opinião você não faz nada a não ser querer aparecer, estou dando a minha opinião ficar aqui escrevendo e julgando é fácil quero ver você dando a cara para bater como nós fazemos.

    Então meu amigo passa amanhã.

  9. Como integrante do projeto Adote um Vereador, vou discordar do nobre vereador . E vou me permitir discordar do Carlos também.
    Vou discordar por que a parcialidade a que se refere o Carlos tem haver e’ com a disputa político partidária pelo poder. Disputa esta, que se mostra perversa conosco, cidadãos comuns, obrigados a pagar pela farra de alguns de nossos representantes. A prerrogativa de julgar a quem elegemos e’ legítima, e’ democrática. Cobrar muito mais que mera explicação o luxo que ostentam alguns dos nossos representantes e’ dever de todos .
    A iniciativa de adotar um político e’ algo louvável, e deveria ser feita naturalmente por toda a gente que vota, e que seguido a isso deveria ficar nos calcanhares de seus escolhidos.
    Isto não acontece em parte por causa da súbita transformação de um candidato em “autoridade” quase um semi-deus; inatingível, cheio de popa e nove horas.
    Duvida disso? Vai lá na câmara e tenta falar com algum deles.
    Estou tentando que uma vereadora leia uma mensagem minha e depois de três tentativas frustradas ela nem sequer a recebeu. São três e-mails que retornaram com o rotulo de “não entregue”.
    Quando o nobre vereador diz, “venha ao meu gabinete e conheça o meu trabalho” eu respondo:
    Não preciso. Eu moro em São Paulo.
    Acaso alguém esta satisfeito com o retorno de algum imposto que pagou este ano?
    Quem sabe bem de parcialidade, e’ quem tem que submeter-se a um atendimento no posto de saúde, a escola pública, quem vai de coletivo quem vai de trem, quem tem que conviver com indignidade das crianças drogadas no centro. Nunca ouvi dizer de um vereador esperando a consulta médica no posto de saúde. Se eles fossem obrigados a servirem-se unicamente do aparato publico talvez não tivéssemos que adotá-los.
    Se tudo isso não bastar pra conhecer o trabalho da política em nossas vidas talvez tivéssemos que viver outra, dentro de algum gabinete lá na câmara de vereadores, uma visita somente seria muito pouco.
    Minha opinião, não fosse eu integrante do projeto, rigorosamente a mesma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s