Ao Belluzzo, sem carinho

 

Por Carlos Magno Gibrail

Como avô e economista, chego à conclusão que os últimos dias não tem sido os melhores para ostentar estas condições.

Sarney (dono do Mar, do Maranhão, do Pará, do Senado e da maior cara de pau) o avô que apóia o nepotismo, Mercadante (economista tratadista da irrevogabilidade) revogou o irrevogável e Belluzzo (economista bom de bola, mas nem tanto de contas) conseguiu errar em 200 bilhões uma conta de 288 bilhões do Mantega, mandou publicar no Globo, mas não assessorou o assessorado Giannetti, que hoje chora os 200 bilhões a pagar e a “quebra dos exportadores”.

Eis aqui a fala de Belluzzo retratada no jornal O GLOBO há dias, antes, portanto do almoço com o Ministro da Fazenda na sexta feira:

“Em abril de 2007, a pedido de um grupo de exportadores – a Belluzzo e Associados Ltda. e a LCA Consultores Associados – realizaram um estudo sobre os valores do Crédito Prêmio de IPI, chegando ao expressivo valor de R$ 69,7 bilhões. Tomando-se em conta uma margem de erro de 20% para cima ou para baixo, este valor pode oscilar entre R$ 55,8 bilhões e R$ 83,7 bilhões.

Chama a atenção particularmente a cornucópia de cifras absurdas apresentadas em editoriais e matérias editorializadas: R$ 288,0 bilhões, nem R$ 208, nem R$ 280, mas R$ 288 bilhões. A unanimidade em torno dos valores do Crédito Prêmio de IPI permaneceu inabalável nas manchetes e artigos que circularam nos últimos dias nas várias cidades brasileiras: R$ 288,0 bilhões. Diante de retumbante unanimidade, deveríamos, no mínimo, destinar um pouco de atenção – e curiosidade, por que não – para a fonte que alimentou nossos formadores de opinião: o terrorismo anti-exportador e anti-nacional”.

O economista sofismou, pois ignorou que os 288 bilhões foram calculados e extensivamente publicados pelo Ministério da Fazenda, o que explica a unanimidade, além de confundir incentivo com subsidio o que gerou o grito do GATT.

É bom lembrar que os exportadores tiveram incentivos de todos os lados: eliminação dos impostos diretos, Befiex, investimentos do BNDES em modernização, empréstimos favorecidos através de ACEs, etc. etc. Foi com esses incentivos que os exportadores contribuíram, em cinco anos, para a formação do maior volume de reservas de nossa história.

Dizer que o não reconhecimento do crédito-prêmio é o mesmo que lutar contra as exportações é uma forma de terrorismo que fica bem em campos de futebol, mas não se justifica em questões técnicas como essa.

O veto do presidente Lula, seguindo a decisão do STF ainda não dá sossego, se atentarmos aos interesses e as armas envolvidas.

Aqui, verdadeiramente, o nosso país nunca antes teve tal montante em risco para pagar.

Como presidente do Palmeiras, o economista deve ter noção do absurdo destes números, pois mesmos os originais calculados por ele, 55, 88 ou os 288bilhões da Fazenda, estão muito distantes dos “modestos” 14 bilhões para a COPA 14.

Carlos Magno Gibrail é doutor em marketing de moda, economista, avô, escreve às quartas no Blog do Mílton Jung e ainda assim dá conta do recado.

20 comentários sobre “Ao Belluzzo, sem carinho

  1. Bom dia Dr. Carlos,

    Em um de seus felizes artigos que tratava sobre o assunto (288bi), inocentemente escrevi: Isto é obscuro e complicado.

    Agora temos o “inexpressivo” valor de R$. 69 bilhões com +/- 20% de margem de erro, podendo este valor oscilar entre 55,8 e 83,7 bilhões de reais.

    Cornucópia ou não, essa abundância de valores continua sendo assustadora.

    Não sou formador de opinião, nem terrorista anti-exportador e anti-nacional. “Sou apenas um rapaz latino americano sem esses bilhões no banco”. Isto não é divino e muito menos maravilhoso.

    Se continuarmos assim, mais interessados nos olhos da “pantufa”, nossos olhos continuarão a serem furados e, o Belchior não volta mesmo. (risos)

    Abraço!

  2. Assistindo o ocorrido ontem em Heliópolis lembrei-me o que disse o comentarista Gilberto (aquele que é o advogado do Pref. Kassab na CBN) ontem, à respeito dos pobres coitados dos Jardins, que são “obrigados” a guardarem 50mil reais debaixo dos colchões. A CBN já está a cara da rede globo.

  3. Carlos. Seu artigo é brilhante. Realmente estamos à deriva nesse país com tantos políticos e assessores “bem intencionados” cuidando dos interesses da Sociedade. Com a sua permissão, vou passá-lo para os meus contatos e espero que eles façam os mesmos.
    Um abraço
    Nelson

  4. Caro, Claudio Vieira, pois é, o que você achou dos comentários da Folha de Sao Paulo, a farra na Receita Federal de Lina Vieira ( fiquei na dúvida é sua parente?)segundo levantamento, o número de dispensas remuneradas entre agosto de 2008 e maio de 2009 foi o dobro das aprovadas na gestão anterior de Jorge Rachid.Acho que isso explica as demissões em cascata.

  5. Caro Alexandre!

    “Velho” parceiro de debates no blog!

    Não, ela não é minha parente, más como meu sobrenome vive sendo citado pela imprensa no meio de bandalheiras, não me espantaria em nada se eu acabasse sendo apontado como culpado por esses desmandos na receita federal.

    Uma pena que não podemos acreditar em tudo que lemos e também não podemos ignorar aquilo que nos apresentam.
    Uma coisa é certa não sendo azul e não sendo vermelho temos muita chance de cuidar melhor do nosso país

    A verdade deve ser dita longe de partidos podemos delatar esses poceiros que fizeram do patrimonialismo seu ganha pão na máquina pública.

    Me ajude a fiscalizar!

  6. Meu caro Carlos Gibrail
    Até Deus duvida sobre o que acontece na política e politicos no Brasil
    Isso não tem fim?
    E “nóis” aqui embaico como ficamos senhores?
    Uma verdadeira vergonha, descalabro o que vem acontecendo.
    Sem mais comentarios
    Pior que êles não estão nem ai e ainda riem da cara de todos.

  7. Pois é, esse assunto, com esse valor absolutamente sulreal para a realidade de qualquer país hoje, está pipocando apenas na calada na mídia brasileira. E como isso é perigoso! Se com toda a pressão da mídia (opinião pública) o Sarney, Mercadante, Marcos Valério, Severino Cavalcanti, Collor, Palocci, etc. continuam fazendo falcatruas, roubalheiras, bandalheiras e outros tantos atos ilícitos e/ou indecentes, imagina se não colocarmos esse assunto no megafone!!! R$ 288 bi dá para encher o bolso e os olhos de toda a gangue de Brasília!

  8. Claudio Vieira, quanto ao números o estranho é centrar o ataque ao fato dos adversários estarem apontando com unanimidade os 288bilhões. Será que desconhecia que a cifra é oficial e publica emanada do Ministério da Fazenda?
    Puro sofisma e desvio de prumo para confundir a platéia.Uma mancha.

    Abraço

  9. Prezado Professor Nelson Barrizzelli, obrigado pela participação.
    Comentários de GRIFES como a sua valorizam em muito este espaço.
    A expressão GRIFE,referente ao seu nome, ouvi recentemente na academia, e não foi na “alvi-verde”, foi num mestrado stritu senso.

  10. Claudio Vieira, é isto mesmo, fiscalizar.
    Estou com uma dúvida sobre uma possivel inversão.
    Steve Jobs acha que 80% das pessoas são idiotas.
    No caso do Sarney não sei se ele pensa que 80% do eleitorado é idiota ou se realmente o idiota é ele.Em caso de idiotice avançada, pois acostumado a escrever romances literários talvez esteja mesmo em alfa.
    Já se apoderou do MAR, talvez também da TERRA.
    Meu caro, impossível aceitar a permanência dele no Senado.

  11. Armando Italo, talvez estejamos diante de algo kafkiano.
    De tanto considerarem o eleitorado idiota, eles mesmos tenham assumido a idiotice total, a tal ponto que através de um processo de metamorfose estejam na plenitude . Idiotas full time, idiotas para sempre.Esquizofrenicos totais.
    Socorro, é preciso tirá-los de lá.

  12. André, além da saida pelo voto, para efetivar a saida desta turma ou turba de hoje em Brasilia, há uma que só a imprensa poderia dar.
    Por que as bases não poderiam sair de Brasilia e portanto acabar com o espaço dado aos politicos de lá?
    Sabemos que há um problema de custos, pois base de imprensa em Brasilia garante sempre espaço prenchido na midia.
    Entretanto é uma possibilidade. Fechar o espaço para essa turma que nos faz sentir senis ao extremo.
    O envelhecimento da turma do poder não incomoda, o que incomoda é o seu envilecimento.

  13. Meu caro Alexandre, mas admitir namorado de neta, é descomunal.
    Tornar isto público e não haver punição é transcendental.
    Permanecer tudo como antes depois de mais de dezena de acusações é inadimissivel .
    Na Fazenda esta questão das dispensas remuneradas é grave, mas o que dizer de atos secretos? Chega até a ser infantil. É nivel de fantasia esquizofrênica. Vamos brincar de esconderijo, de pirata. Melhor brincar de médico.Como aquele que levou anos para que se tomasse alguma providência ,embora pleno de evidências.

  14. Pois é caro Carlos
    Os politicos, ao longo dos tempos, gerararam o Caos e parece que o prorpio caos irá colocar as coisas em seus lugares
    Tomara
    Mas até quando temos que suportar tanta sacanagem, desmandos, uso indevido do dinheiro publico, corrupção a lei do Gerson?
    Nunca antes, na historia presenciamos isso tudo com tamanha dimensão
    Só ver as estatisticas
    Se bem que não dá para confiar em estatisticas ne?
    Abraços
    Armando Italo

  15. Caros Carlos e Armando,

    Gostaria muito de estar errado. Mas, o povo que vota naquele povo do senado e adjacências, continuará votando nos mesmos pelos mesmos motivos que sempre votaram. O Srs. bem informados que são, sabem quais são os motivos. O povo que está no Senado dificilmente saíra de onde consideram suas casas sem esquecer de suas pastas com nomes de suplentes e “currículos” dos que serão beneficiados: De pretendente da netinha a filho rebelde do vizinho.

    O povo considerando esclarecido, esta em uma “sinuca de bico” : Quem atualmente tem o perfil digno do voto deste povo?

    Um conhecido me fez uma divertida frase: A urna eleitoral funciona como caça níqueis. Sempre iremos perder.

    Até mais cavalheiros

  16. Caro Beto
    Certamente vai ser muito dificil tirar “certos alguens” da politica em geral como pudemos observar os ultimos acontecimentos no Senado brasileiro & Cia Ltda.
    Parece que estão sentadsos em suas confortáveis cadeiras com supebonder!
    Só sairão de lá no voto
    Isto é:
    Desde que a populaçao mais carente seja e esteja devidamente esclarecida.
    Um aconchavo aqui, outro aconchavo ali e assim eles vão permanecendo, mamando nas tetas do povo brasileiro a exemplo deste artigo.
    São todos farinha do mesmo saco!
    Feijão da mesma panela.
    Abração
    Armando Italo

  17. Armando Italo, com.19
    Conforme me expressei acima , começo a pensar no processo de Kafka, ou no médico e o monstro.
    A questão do Sarney , em principio acreditava que ele considerava que todos nós fôssemos idiotas.
    Agora já estou duvidando, talvez a moléstia o tenha acometido.
    A metamorfose ocorreu.
    Envilecimento total, sem chances de cura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s