Mudança

 

Por Abigail Costa

Estou com essa palavra na cabeça não é de hoje. Mudança.

Acordo pensando em mudar. Trocar de lugar, de cor, de assunto, de conceitos, de opiniões.

Aí, parece aquela coisa quando você decide trocar de carro. De repente ele aparece sempre na sua frente, ao seu lado, estacionado… Ali, da mesma cor, modelo. E você tem a impressão que as ruas estão tomadas do que te encanta.

Tem acontecido com a palavra mudança. Músicas, conversas com amigos e, principalmente, quando é um desejo seu.

Ninguém escreve ou determina: a partir de amanhã serei outra pessoa, vou caminhar pela esquerda e não pela direita. Com fulano vou me comportar assim ou assado. Tá, pode até ser por uns dias. Só que nesse caso o interessante é ir devagar, ao que realmente interessa.

O poema já diz, não interessa a velocidade da mudança e sim onde você quer chegar.

Buscamos… sim no plural, por mais organizado, amado, pós-graduado ou curso fundamental incompleto, buscamos a mudança para se alcançar o equilíbrio. Difícil, às vezes pesado, mas é desse jeito mesmo. Um passo de cada vez.

Custamos a executar a lição de casa. Elas (as pessoas) não mudam por nossa causa, nós é que temos que mudar … não por elas, mas por nós mesmos.

Qual a graça disso? Tenho no mínimo algumas centenas de motivos – Calma! Vou te poupar dessa leitura -, digo apenas um “qualidade de vida”.

Já que conheço a resposta, já que sei que não vou me agradar, eu mudo. Pulo a pergunta. Não deixo de questionar, só não quero a mesma postura.

Não sofremos.

Um amadurecimento gostoso. Uma mudança necessária.

Tudo tem que começar aos poucos sem querer mostrar para o outro que “tá vendo, agora é do meu jeito. Não é isso, falo de uma mudança pra melhor.

Na vida isso acontece naturalmente.

Não é do dia pra noite que acordamos cheios de rugas, pele flácida! Tá louco? Já imaginou a situaçao diante do espelho? Aos poucos. É assim que ando mudando.

Se é bom? Outro dia, numa visita rápida ouvi um baita elogio de uma das pessoas mais importantes da minha vida. Não encontrava a mamãe há pelo menos quatro meses. Hoje, ela mora longe de mim.

Numa frase dita pela minha irmã, ganhei três estrelinhas num boletim que não tiro da bolsa.

– A mamãe falou que você está tão mudada! Até parece outra pessoa.

Então estou no caminho certo, minha irmã.

Em tempo: estou aqui ouvindo bombas e alguns gritos. Um deles, meu velho conhecido: meu marido feliz com um gol do time dele…. Tá aí, algumas coisas não se pode mudar.

Abigail Costa é jornalista e às quintas-feiras escreve no Blog do Mílton Jung sempre propondo mudanças para você, para mim, para ela e para todos que acreditam ser possível mudar para melhor.

7 comentários sobre “Mudança

  1. Ola Malu
    Pois é:
    Tudo no universo está em constante movimento
    Tudo se transforma
    E “nóis” tb.
    Quantos aspectos eu tb passei por diversas transformações
    Melhor eu ficar quieto senão………………………
    Até a porcaria do Rwindows Vista aqui utilizado por mim pouquissimas veses, e quando é acionado, somente como laboratorio, testes, cobaia, se transformou hoje de uma hora para outra
    E não é virus, falta de atenção, mau uso, etc de minha parte pq trabalho com informática e sou “besta tester” para alguns softwares ainda Alfa e Beta.
    E não consigo mais acessar uma pá de programas.
    Viva o linux
    Esse é dificil se tranformar a não ser para melhorar somente.
    Bjus
    Armando Italo

  2. QUERIDA BIG

    ADORO LER E OUVIR AS TUAS PALAVRAS PERANTE OS FATOS DA VIDA,SEMPRE PRÁTICA PORÉM SEM PERDER O LADO POÉTICO O QUE ME SERVE COMO UMA INSPIRAÇÃO!!!QUANDO TENHO O PRAZER DE PASSARMOS ALGUNS MOMENTOS JUNTAS É POSSÍVEL COMPREENDER AINDA MAIS AS TUAS PALAVRAS E COM MUITA VONTADE DE COMEÇAR ALGUMAS MUDANÇAS!BEIJOS

  3. Big querida Vc sabia que já mudou a vida de muitas pessoas hoje? Já pensou que vc muda o dia de muita gente? Com toda sua ternura e sabedoria em lidar com as coisas vc me ensina muito.mudanças são importantes e tida quinta feira você muda nossas vidas nossas atitudes com seus ensinamentos Obrigada por ter mudado

  4. Olá Abigail, muito interessante o seu texto, gostei mesmo. Sempre fico me perguntado porque deixar as coisas como estão, porque não mexer em time que esta ganhando, porque não tentar, trocar, refazer, reescrever. Creio que o medo do erro é tão grande, ainda que inconsciente, que acabo deixando de lado boas oportunidades de experimentar.
    Aos poucos me convenço que preciso perder o medo de errar. Aliás, devo até aproveitar essa hipótese, curtir o erro, saber que ele pode vir e ser um instrumento de ajuda. Devo não dar tanta importância a possibilidade do erro e simplesmente tentar, mudar sem medo de errar, sem medo de ser feliz, eu sei que é clichê, mas cabe muito com o momento.
    Forte abraço.

  5. Vou usar aquela profunda frase, conhecida de todos: “quem fica parado é poste”.

    Parece piada ?

    Bom é a gente se questionar.

    Quem se questiona, só vai pra frente.

    Você é um bom exemplo disso, sempre com algo novo, sempre ensinando.

    beijos

Deixe uma resposta para lucia jung Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s