Com que terno eu vou ?

 

terno2

Dora Estevam

Para as marcas nacionais, a moda masculina da próxima estação já está garantida. Das mais tradicionais que trabalham com terno (paletó, colete e calça) às casuais com suas coleções no estilo alfaiataria moderna – aquela que você pode misturar paletó com outras roupas. Tem moda para todos os gostos. Paletós com dois ou três botões, calças largas ou ajustadas ao corpo.

O editor de moda da Playboy Fernando de Barros diz que “um guarda-roupa inteligente deve sempre conservar o terno”. No livro O Homem Casual (Mandarim, 1998), ele já explicava que as variações de cores das camisas e os diferentes tipos de gravatas criativas, o tornariam menos formal. Casual ou não, o terno é necessário no guarda-roupa masculino.

As produções são as mais diversas: um jovem pode fazer o look blazer+camisa+jeans. Outro, usar paletó+malha+camisa+calça (de veludo, por exemplo). O blazer com jeans é uma sobreposição versátil e bem equilibrada entre os informais. Executivos que precisam de ternos para os grandes negócios – tipo multinacionais, mercado financeiro -, têm de combinar camisas claras com gravatas listradas. Belíssimos ternos com sapatos sociais, ficam perfeitos.

Cada vez mais as pessoas reparam na maneira como as outras se vestem, o que não dá é para julgá-las pelas roupas. Bill Gates não costuma usar ternos para trabalhar, cantores de rappers ficaram bilionários com camisetas, bermudas e correntões brilhantes. Para enriquecer não precisa de terno. Depende do seu talento. A roupa traduz e molda o seu estilo. Enquanto a moda vai lhe dizer para qual caminho seguir em termos de criatividade.

Robert-Pattinson-GQ-robert-pattinson-4822514-352-480

O mesmo cantor de rapper quando se tornou bilionário começou a gastar milhões em ternos luxuosíssimos e abandonou a velha roupa. O ator britânico Robert Pattinson (foto acima), astro da série de filmes de vampiros Crepúsculo, foi eleito o homem mais bem vestido do ano pela edição britânica da revista masculina GQ. E ele só tem 23 anos.

O homem que está habituado a usar paletó e gravata para trabalhar dificilmente usaria outra roupa menos formal. Em 2005, o Japão foi invadido por uma onda de informalidade decretada pelo governo. Os funcionários de escritórios teriam que deixar seus paletós e gravatas em casa, com objetivo de diminuir o consumo de energia e a emissão dos gases que provocam o efeito estufa. Pois com o calor insuportável no País, aumentava ainda mais o número de aparelhos de ar-condicionado ligados. Houve enorme resistência e muitos diziam que não se sentiam confortáveis sem a formalidade dos ternos. Aí o governo lançou a campanha “Cool biz”, impondo aos ministros e parlamentares a mudança de hábito. Esta não havia sido a primeira campanha japonesa, no passado houve um precedente desencorajador para a iniciativa. Em 1994, o então primeiro-ministro Tsutomu Hata criou a roupa batizada de “terno para economizar energia”, que consistia em um paletó com as mangas cortadas na altura do cotovelo. Poucas pessoas seguiram o exemplo (ainda bem), e o governo de Hata durou apenas 64 dias.

Executivos japoneses no verão

Os senadores brasileiros são mais conservadores ainda. Em 2008, a proposta do senador Gerson Camata (PMDB) de acabar com a obrigatoriedade do paletó e gravata nas dependências do Congresso Nacional foi rejeitada. “Eu estou inscrito no grupo dos que acham que não chegou a hora de abrir mão do paletó e da gravata”, disse o então presidente da Casa, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), na ocasião.

E você já decidiu com que terno vai em 2010?

Dora Estevam é jornalista e escreve sobre estilo e moda aos sábados no Blog do Mílton Jung

10 comentários sobre “Com que terno eu vou ?

  1. Se anlisarmos todos os casos citados, podemos chegar à conclusão que todos os esforços de mudança foram infrutiferos.
    É que predomina sempre o estilo de cada um, advindo do seu comportamento.
    O processo “My Fair Lady” pode ocorrer apenas quando a pessoa, embora viindo de classe menos abastada já traz um comportamento condizendte com hábitos tradicionais de se vestir.
    Ermirio de Moraes, um dos mais ricos do Brasil é um desastre para se vestir. Embora sempre de terno e gravata.
    Vanderlei Luxemburgo exibe terno e gravata à beira do gramado , mesmo com temperatura de 40o. Provávelmente deve ir ao teatro de chuteira.
    David Bowie , cantor é uma elegância permanente.
    Steve Jobs, rico e gênio, não tira o tenis, e mais, obriga a todos que trabalham com êle a não usar sapatos.
    No âmbito da moda a imposição é dificil mas regras são bem vindas. Mesmo porque existem pessoas que se não houver limites os ultrapassarão..
    ,

  2. Ola Dora

    Trabalhei em uma grande corporação coligada a uma fabricante de aeronaves americana, subsidiária
    Fabricante também de autopeças, para automoveis, caminhões, tratores, onibus, trens, maquinas industrtiais, para usinas de açucar, uma emrpesa realmente versátil e lucrativa e com qualidade de vida.
    Produzia!
    Durante os vinte anos que atuei nesta empresa, executivos, diretores, gerentes, vendedores, pessoal da área administrativa e tecnica não usavam a armadura, farda, o terno, paleto e gravata.
    O uso do uniforme, da armadura, era utilizado a não ser somente em condições e ocasiões realmente consideradas especiais,.
    A empresa era considerada uma das lideres do ramo,
    Até que um dia, por volta do ano de 1987 depois de vinte anos toda a diretoria, gerentes, foi substituida por novos "e promissores jovens executivos",
    Muitos executivos que sairam da empresa aposentaram-se, outros foram trabalhar em empresas concorrentes, outros morreram.
    Esses jovens e engravatados, devidamente uniformizados executivos detentores de titulos dos mais diversos, pos graduados, mestrandos, doutorandos, MBA, chegaram na empresa com o gaz aberto, utilizando termos em inglês, tipo feedback, vamos ter um meeting hoje a tarde, brain storm, entre outras bobagens.
    Vendedores, tecnicos que trabalhavam na empresa a mais de dez vinte anos, internos e os externos, que atendiam clientes, industrias, fazendas, construtoras, cias aéreas e no campo, foram obrigados pelos novos, "sábios e experientes" jovens promissores executivos, nada contra os jovens por favor, a deixarem os seus tenis de lado, as calças jeans, camisetas polo ou lacoste e outras do tipo, e tiveram que passar a usar vestimentas sociais.
    Novas normas, novas condutas, novas posturas, "nova filosofia" de trabalho, para todos regras mais rígidas foram sendo criadas e implantadas.
    Resumindo:
    No ano seguinte os resultados antes obtidos pela empresa e por suas anteriores equipes cairam para menos de trinta por cento e a empresa teve que ser desativada.
    A maioria dos funcionários antigos foi convidada para atuar na concorrencia nos mesmos moldes anteriores da antiga administração e as concorrentes estão ai fortes no mercado.
    Um outro caso, uma empresa alemã com escritorios situados na Avenida Paulista, decorados bem ao estilo corporativo, na base do preto e cinza, todos engravatados, obteve melhores resultados quando a diretoria e executivos foram todos substituidos por pessoas e profissionais com visão voltada mais para o ser do que para o ter, mudaram as instalações para um grande, ensoladrado, arejado sobrado situado no alto de Pinheiros, aboliram definitivamente a armadura e a farda, e hoje a empresa que por sinal presto serviços está a todo vapor, mais rentavel, mais dinânimca. principalmente mais saudável sobre vários aspectos.
    Bastam conferir a metodologia e filosofia empregada por Ricardo Sermler, Bill Gates, os proprios executivos que dirigem a Goolge, um ex presidente da VASP que perambulava pelos hangares, normalmente vestido de modo simples, elegante, sem terno, Comandante Rolim amaro, sempre sorridente, o vi vestido muitas ocasiões trajado também de forma simples, nada de paleto e gravata.
    Quando tenho que ir a São Paulo infelizmente, passo pela avenida paulista no horario do happy hour, noto um grande numero de executivos, vestidos com carissimos, ternos, porém a maioria já em elevado estado etilico.
    Será que são e estão felizes?
    Basta parar um pouco, alguns minutos somente ao lado destes jovens "promissores" executivos, potenciais candidatos a derrames, AVCs, a ataques cardiácos, stress, depressão, ansiedade, entre outras doenças psicossomaticas e discretamente ouvir as suas conversas depois que ingerem uma certa quantidade de alcool e começam a "soltar a franga" para conferir os seus estados de espírito, no que se refere a realizações, qualidade de vida dentro e fora das corporações, familar, etc.
    Agora pergunto:
    Só a vestimenta?

    Abraços e bom final de semana.
    Armando Italo

  3. Dora,

    Minha etnia é: Negro, português/árabe e italiano. Portanto, sou uma “brasa mora”! Sendo assim, com este calor estou dando preferência ao linho e, como sou “carecão”, bonés e chapéus de panamá são meus parceiros. -Panamá: preferidos de meu sogro polonês calvo.

    Seguindo seus conselhos, adquiri um chinelão de couro. (eu disse chinelão, não cuecão)..hahaha!

    Ah! Lã fria, Jeans, Sarja e camisetas com tecido de qualidade; sempre fizeram parte de meu guarda-roupa. Evito tecidos sintéticos.

    Estamos no verão. Falaremos sobre roupas de outono?

    Bom, terno escuro sob-medida e uma bela camisa branca, não faz mal pra ninguém durante o ano inteiro, mesmo sem gravata!

    Abraços

  4. O uso obrigatório de terno cria situações constrangedoras. É o caso de profissionais de segurança. Usam terno e gravatas pretas sobre uma camisa quase branca não levando em consideração o desconforto e a falta de agilidade que a roupa gera, principalmente porque costumam trabalhar ao ar livre, com sol na cabeça, nas costas, no corpo que queima. É a falsa elegância, citada em mensagem do meu Xará que citou o caso do técnico Luxemburgo.

  5. Lendo os comentários acima, principalmente do Sr. Armando e do Sr. Carlos, faço as seguintes ressalvas ao artigo:

    Vcs. já viram meio-grávida, meio-virgem, meio-covarde, etc.?

    Certas coisas não podem ter e não existe meio termo.

    O bom senso deve prevalecer. No caso do Sr. Carlos, esta mania pode até colocar em risco a própria vida. Que lindo morrer com um balaço do bandido por falta de mobilidade ou por insolação causada por uma vestimenta inadequada. Alias, para qualquer segurança deveria ser o padrão militar, até mesmo porque o visual já INTIMIDA o meliante.

    Quanto ao comentário do Sr. Armando mostra claramente que a empresa que preserva a individualidade do funcionário tem um ambiente mais afável. Corroborando isto, acho que no mínimo vc. como uma pessoa culta assistiu “9 to 5″…

    Como ultimas considerações, citada em relação aos “meios(!)” acho que se é para ser formal e conservadora. deve-se se seguir ao pé-da-letra, começando pela foto, visto que uma barba por fazer em um traje esportivo é jovialidade, em traje social é puro DESLEIXO e falta de cuidado, mostrando a personalidade da pessoa.

    Os modelistas tentam criar algo diferente e sempre acabam caíndo no exagero, para não falar no ridículo. Como a moda social é formal, formal deverá ser. E em ocasioões especiais, para não se tornar banal. Não é a roupa que faz o profissional. É a sua capacidade, criatividade e sobretudo personalidade.

    Atualmente aplica-se um ditado da minha vó e saudosa mãe:

    “POR FORA, BELA VIOLA; POR DENTRO, PÃO BOLORENTO!”

    Resumindo: na minha lista dos meios agora vai ter o “meio-social”…

    Mulheres que se vestem como menininhas de barriga de fora, tão “out”, ‘ Tão Britney… Homens ou com a aparência desleixada ou então tão feminilizada que nem mais sabemos o que é…

    É a roupa escondendo a incompetência de certos profissionais. Já está na hora da mode ajudar a produtividade, não atrapalhar mais este mundo caótico.

  6. Oi, Dora!!
    Ainda bem que sou mulher! Não conseguiria usar terno e gravata nesse nosso clima tropicalientíssimo!!!!! O Sílvio é quem sofre, se bem que só de vez em quando….
    De qualquer forma, o terno dá um certo charme em qualquer visual!!! Mas, convenhamos, tem que ser “O” terno, né?? Nada de terno à la Mário Fofoca!!!
    Bjs
    Mônica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s