Novas estações ainda não aliviarão metrô

 

Linha Amarela do Metrô de São Paulo

A entrega das duas primeiras estações da linha 4-Amarela do metrô não será suficiente para amenizar a situação daqueles que se aglomeram nas plataformas e enfrentam dificuldades par embarcar nos vagões nos diferentes ramais do sistema. A inaguração será nessa terça-feira e a nova linha que funcionará em sistema de teste durante as próximas semanas ligará a avenida Faria Lima, no Largo da Batata, até a Avenida Paulista. Para que os primeiros resultados sejam percebidos será necessário que a extensão da linha ocorra ao menos com a abertura de mais duas estações – Butantã e Pinheiros – o que deve ocorrer até o fim do ano.

Novo modelo de concessão e tecnologia avançadas são marcas da linha 4-Amarela, conforme destacou em entrevista o secretário estadual de Transportes Metropolitano José Luis Portela. O novo trecho deverá ser percorrido em pouco mais de 6 minutos, o que oferecerá enorme ganho principalmente para os passageiros de ônibus que hoje perdem de 20 a 30 minutos, apesar da existência de um corredor exclusivo.

Para conhecer as novidades que estarão disponível acompanhe aqui a entrevista com o secretário Portela que foi ao ar, nesta terça-feira.

5 comentários sobre “Novas estações ainda não aliviarão metrô

  1. A parceria público-privada é viável, desde que, a população não sofra com mais impostos.
    É certo que o metrô pela primeira vez será comandada por setor privado, e não terá condutor operando. Entretanto,
    o que não entendo, é que os estado financia a obra com 70% dos recursos oriundos dos impostos pagos pelos contribuintes, e ainda assim, 100% da arrecadação das tarifas ficarão com as empresas privadas.

  2. Milton,

    Futurista a Linha Amarela, não? Lembrou-me o seriado O Túnel do Tempo. Deve ser mais segura que as demais linhas.

    Espero que esta linha não seja igual à Linha Verde, que foi entregue à população em vésperas de eleição, sem estar concluída e sem os recursos de conforto e ventilação das linhas mais antigas. Os primeiros trens com ventilação da Linha Verde foram entregues em 2009, 18 anos após a sua inauguração.

    Abraços,

  3. Não acho que os paulistanos pobres, que correspondem a maior parcela da população, e certamente ao maior percentual de usuários do Metrô, tenham motivos para comemorar essa inauguração. Depois de quase 7 anos de obras, a população recebe somente DUAS estações, as quais servem a uma região de São Paulo já vastamente atendida pelo transporte público? É pouco, é pouquíssimo!!!
    A propaganda que o Governo do Estado de São Paulo está fazendo dessa miserável inauguração é revoltante!!! É uma afronta a todas os paulistanos, que todos os dias são amassados pela super lotação nas estações e trens do Metrô. Nós queríamos a Linha Amarela funcionando integralmente, mas teremos que esperar até 2014, afinal 7 anos não foram suficientes!!!
    Quero ainda lembrar que a Linha 4 Amarela não é marcada apenas pelo novo modelo de concessão e uso de tecnologia avançada, ela é marcada principalmente pela terrível morte de mais de 7 pessoas no acidente ocorrido em 2007 na região de Pinheiros. A propósito, os culpados já foram punidos???

  4. Meus caríssimos colegas do blog.
    Notaram como neste ano estão acontecendo inaugurações, uma seguida da outra?
    Porque não acontece o mesmo durate todo o mandato dos governantes?
    Inaugurações devem ser constantes e transporte publico é um direito do cidadão e dever do estado.
    Portanto senhores governantes, nada mai do que a sua obrigação.
    E estão fazendo muito pouco!
    Basta ver o numero de quilometros de metro construido em são paulo em comparação a outros países.
    Extensivo a todo tiupo de transporte publico existente, precário ainda, muito precário na Cidade de São Paulo.
    O teatro, a piritecnia, que fazem quando inauguram algo é realmente de impressionar até o Senhor Spok.
    Como êle dizia:
    Fascinante!

  5. É indispensável viabilizar a expansão da linha 4-amarela do Metrô para a cidade de Guarulhos, a segunda mais populosa do estado de São Paulo, pois tal medida além de contribuir para descongestionar as linhas 1-Azul e 3-vermelha, visto que a cidade está situada a nordeste da cidade de São Paulo, na região metropolitana, também facilitará o acesso ao aeroporto de Cumbica, atendendo ainda a bairros das zonas leste e norte de São Paulo ainda não servidos pelo metrô como o Pari, Vila Maria e Parque Novo Mundo, além de importantes centros comerciais da cidade de Guarulhos, como o Internacional Shopping/Dutra/Itapegica, o centro de Guarulhos e o aeroporto de Cumbica.

    Além disso, existe o projeto da linha 17-ouro que ligará o aeroporto de Congonhas à estação Morumbi da linha 4-amarela, o que permitirá a conexão na mesma linha aos dois principais aeroportos da região metropolitana de São Paulo, atenuando o grave problema da mobilidade urbana na cidade de São Paulo e em vias importantes como a Rodovia Presidente Dutra.

    O trem de Guarulhos é um projeto complementar que atende a uma parcela específica da população guarulhense que mora nos bairros mais afastados de Parque CECAP e Jardim Presidente Dutra, pois o traçado da linha sequer passa pelos principais centros comerciais da cidade de Guarulhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s