Avalanche Tricolor: orgulho, humildade e sabedoria ajudarão a encarar as prioridades

 

 

Grêmio 0x1 Corinthians
Brasileiro – Arena Grêmio

 

 

0_35144783630_eae15f660e_z_l

Edilson em foto de LUCAS UEBEL/GrêmioOficial

 

 

Estouravam foguetes e gritavam a vitória quando eu estava chegando à zona norte de São Paulo. Era lá que encontraria um dos meus filhos que, horas antes, havia conquistado bom resultado no cenário do esporte eletrônico – ainda bem, pois assim tive motivos para comemorar neste fim de semana. A distância entre minha casa e o local em que o time dele vive rendeu mais do que os 45 minutos do segundo tempo, o que me dividiu a atenção neste fim de tarde de domingo: parte do jogo na TV, outra no rádio – aliás, que saudades me deu de Pedro Carneiro Pereira, Armindo Antonio Ranzolin e, claro, das narrações que ouvia do pai na Guaíba de Porto Alegre.

 

A comemoração da torcida adversária, que ecoava no início da noite, às margens da Rodovia Dutra, sinalizava a importância que esta dava ao jogo e o respeito que tem pelo Grêmio. Respeito que construímos até aqui com o futebol qualificado e intenso imposto a cada partida, mas que não apareceu com a mesma eficiência neste domingo.

 

As maiores chances de levarmos vantagem no placar surgiram no primeiro tempo, mas, curiosamente, a maior de todas veio exatamente no segundo, quando desperdiçamos pênalti. E se sequer fomos capazes de empatar com um pênalti a nosso favor, que o resultado sirva de ensinamento para as próximas partidas. Tenho certeza que será, pois temos um grupo maduro para absorver derrotas, aprender com elas e dar a volta por cima.

 

Primeiro de tudo, tirar da cabeça esta história de final atencipada. Nada se decidiu hoje à tarde, por mais que a vitória caísse muito bem para encararmos a maratona de competições que temos pela frente. Só de Brasileiro são mais 28 rodadas e 84 pontos a serem disputados. Acreditar que o campeonato lá no fim do ano será o mesmo desta primeira parte e não considerar os tropeços naturais que ocorrem no meio do caminho, é esquecer as temporadas passadas disputadas em pontos corridos.

 

Segundo, nada que ocorreu neste domingo deve ou pode impactar nossos objetivos. Nesta semana temos Copa do Brasil e logo ali vamos disputar a Libertadores, e sabemos bem que esta é a nossa prioridade. Portanto, cabeça erguida, orgulho com o que fizemos até agora, humildade para identificar as fraquezas e sabedoria para melhorarmos a cada jogo. Renato haverá de saber fazer tudo isso.

7 comentários sobre “Avalanche Tricolor: orgulho, humildade e sabedoria ajudarão a encarar as prioridades

  1. Vi muitos gremistas reclamando do Marcelo Grohe. São cegos, chatos, ou não entendem nada de futebol. Nosso goleiro nos salvou inúmeras vezes, inclusive ontem no primeiro tempo. Mais chateado eu fico com quem tem a missão de fazer gols, do que defendê-los. O Luan ontem conseguiu me tirar do sério. Sei que é nosso melhor jogador, mas tem dias que não é nada ruim ser substituído, até pode fazer bem. Se Renato o tivesse tirado antes do pênalti, certamente outro bateria e, talvez, convertesse (Edilson, Ramiro, não sei). Mas antes do pênalti ainda, Luan teve outra chance clara e chutou em cima do Cássio. O campeonato está só começando, e nossa prioridade é mesmo a Libertadores. Duro é aguentar piadas de corintianos com pouca ou nenhuma humildade. Se aqui está ruim, imagino para você, Milton, aí em SP… hehehe

    Vamos em frente, o Grêmio tem muito a comemorar e conquistar ainda! Não será essa derrota que vai nos abalar.

    Abs

    • É muito mais fácil enxergar a falha do goleiro em um lance que o meio campo vacilou e a defesa deixou três jogadores deles chegarem com velocidade a área.

    • Oi, Thereza obrigado pelas suas palavras… os dois times jogam um bom futebol e merecem o destaque na tabela. Mas bem que o Grêmio podia ter vencido essa em casa

  2. Milton, a tempos temos saudades destes narradores citados e do “estilo Guaíba” de fazer rádio, não só esportivo, mas no geral!
    O GRÊMIO, o GRÊMIO, o GRÊMIO…quando tudo se espera, fica-se sem dormir e a semana começa péssima…
    Abraços

    • Fazia tempo que não ouvia pelo rádio uma partida de futebol. E sinto falta da precisão na narração daquela turma, apesar de termos gente boa por aí. Porém, a maioria faz mais do mesmo e esquece da informação.

  3. Milton. Você me fez relembrar grandes narradores de futebol. Entre eles e grande Minton Ferreti Jung, a quem também acompanhava nos notíciarios dá Rádio Guaíba. Saudades. Agora o acompanho na CBN. Parabéns pelo seu trabalho. Ah! Como gremista, concordo com você. Ainda vamos amargar derrotas. Mas o Grêmio é mesmo imortal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s