Avalanche Tricolor: bons motivos para comemorar

Bragantino 1×0 Grêmio

Brasileiro – Bragança Paulista, SP

Geromel Foto de Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Voltar a perder e passar mais um fim de semana dormindo na zona de rebaixamento evidentemente não justifica o título que precede esta Avalanche. Mesmo que espremendo o olho como faz o míope que insiste em não usar óculos e forçando a vista para enxergar melhorar aqui e acolá, o resultado foi mais uma vez péssimo, além de vir acompanhado daquilo que costumo chamar de “sorte de perdedor” —- se é para dar uma coisa errada, fique tranquilo, é aquela coisa que vai errar.

Resignado com os fatos em campo e chuleando para que o destino nos reserve alguma surpresa em breve, confesso, não fui dormir de cabeça quente, como dizem por aí quando o time da gente tem pouco a nos oferecer. Antes mesmo de a noite de sábado se encerrar, já estava diante da televisão mais uma vez e torcendo pelos brasileiros na Olimpíada.

A festa começou nas braçadas rápidas de Bruno Fratus, e sua medalha de bronze nos 50 metros livre da natação. Que alegria, que sorriso, que vibração … e que beijo mais gostoso aquele que deu e recebeu da Michelle. Sem contar o tipo “sincerão” nas entrevistas, que se já incomodou, também já fez rir e nos fez sentir o quanto foi significativa a vitória na piscina.

A balada se estendeu pela madrugada —- na batida do funk carioca e do soul brasileiro —, sob a maestria do DJ do torneio de vôlei olímpico. E haja repertório para sonorizar uma partida sem fim com a que deu mais uma vitória ao time masculino do Brasil. Tão inacabável quanto incrível. Mesmo que a classificação já estivesse garantida, quem quer perder um só ponto desta seleção vitoriosa? 

Rebeca Andrade Crédito: Miriam Jeske/COB

Fez frio durante todo o fim de semana e quando acordei ali pelas 4 e meia da manhã, os termômetros marcavam qualquer coisa que beirasse o insuportável, aqui em São Paulo. Um café quente e a tela do computador sintonizada nos canais olímpicos rapidinho esquentaram o início deste domingo. Antes mesmo de o céu clarear, a festa da noite e madrugada estava de volta nas corridas, saltos e corrupios de Rebeca Andrade. Que menina é esse, heim !?! Com 22 anos ainda tem jeito de guria da escola e fala marcada pela humildade, mesmo diante do feito gigante que nos proporcionou ao conquistar a medalha de ouro, na final individual do salto.

Se já havia nos feito chorar prata, agora as lágrimas foram de ouro. Enquanto me debulhava diante do computador, ela abraçava e era abraçada pelo técnico e adversárias com a serenidade de quem tinha cumprido o ritual que lhe foi destinado nos esportes: treinar, sofrer, doer, correr, saltar, girar e aterrisar para a glória olímpica. Uma maturidade para competir que contrasta com seu ar infantil e bem distante da deste torcedor veterano e atleta frustrado de múltiplos esportes.

Ah, por falar em veterano. O restante do domingo, mesmo com o sono dos maldormidos, foi de curtir a alegria de saber que tenho amigos que ainda insistem em me manterem como amigo. Uma gente querida que durante todo o dia, por telefone, presentes, mensagens e redes sociais me enviou generosos e imerecidos parabéns por ter completado 58 anos de vida. Ao lado da família — apenas o núcleo mais duro da casa, porque somos adeptos ao não-aglomerar —-, comemorei a passagem do mais difícil de todos os anos de vida, seja por  motivos que você, caro e raro leitor deste blog, tem vivenciado, também, seja pelos demônios que seguem com assento cativo no cérebro de cada um de nós.

Sou muito grato por todos que me fortaleceram mais um pouco, neste fim de semana, em que encontrei muitos bons motivos para comemorar. Agradeço a Deus por este dia.

E, como dizem os repórter descuidados com os lugares-comuns, a festa não tem hora para acabar, porque amanhã, 5h45 da manhã, tem Baile Na Favela, em Tóquio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s