A realidade dos vôos virtuais

Por Armando Ítalo

Temos a nossa disposição na prateleira das lojas especializadas em softwares uma variedade enorme de games criados para nos proporcionar momentos de distração, abstração e lazer, que  podem se transformar em um hobby saudável ou prejudicial.Muitos jogadores preferem os games agressivos, de guerra, com tiroteios, policiais, aqueles nos quais o jogador atira virtualmente em algum alvo com o propósito de matar, ferir e destruir. Há, também, os games construtivos, que fazem bem a saúde mental e a personalidade do jogador, os que contribuem positivamente na formação, são  produtivos, didáticos e, como não, filosóficos.É sobre este tipo de game que vamos comentar. Em especial os simuladores de vôo.

Conheci a aviação virtual há 15 anos, apresentada pela minha mulher Adine. Passei a usufruir dos dois mundos da aviação, paralelamente, o real e o virtual. Iniciei-me em um velho computador de 32 MB de memória RAM e HD de 1 GB. Um computassauro da espécime Lentium que em lugar de memória tinha uma vaga lembrança.

Os primeiros simuladores de vôo surgiram em 1977 com a assinatura da subLOGIC Corporation. A Microsoft iniciou-se nesta aventura aérea, na década de 80, desenvolvendo e produzindo programas de vôo para computador pessoal, o Flight Simulator. Com o tempo cada vez mais os aficionados em aviação compravam o software. E o simulador foi sendo aperfeiçoado oferecendo ao “piloto” uma boa dose de realismo próxima a aviação real.

Para tanto, add-ons e acessórios foram criados por desenvolvedores no mundo inteiro e distribuídos gratuitamente aos pilotos virtuais em sites especializados como Flifgtsim ou Avsim. Aeronaves, cenários, sons, painéis, instrumentos, condições de clima permitiram que os vôos virtuais oferecessem mais realismo. Só faltam as sensações físicas e a força sentidas numa aeronave real. Em termos de vôo por instrumentos IFR nada  deve a percepção de quando estamos no cockpit de uma aeronave de verdade. Abordo de uma aeronave virtual voa-se em tempo e condições de clima real.

Tente os sites da VATSIM BR e da IVAO. Há possibilidade de voar on line em redes desenvolvidas para proporcionar mais prazer, satisfação e realismo ao piloto. Oportunidade para treinar, estudar, aprimorar-se, divertir-se, relaxar com o auxílio de profissionais da aviação real como pilotos, ex-pilotos e controladores de vôo. Tudo isso de graça e de maneira voluntária.

Assim. meus caros leitores, na aviação virtual, tive a felicidade de contribuir, ao lado de muitos outros pilotos que formam a turma dos Velhinhos.com, para que jovens prodígios – equivocadamente chamados de Nerds – ingressassem na sonhada e concorrida aviação real. Garotos que estão trabalhando em companhias aéreas mundo afora, pilotando aeronaves de verdade, atuando como engenheiros, formados em Ciências Aeronáuticas no ITA, na função de mecânicos, técnicos entre tantos outras atividades relacionadas ao setor. Recentemente soube de dois jovens que foram aprovados no concurso para controlador de vôo da ANAC.

Aproveite o que os games tem de melhor. E até o próximo vôo.

Armando Ítalo Nardi é ouvinte-internauta da CBN, piloto e apaixonado por aviação.