Cidade Inlcusiva: Preconceito infantil

Bullying é expressão inglesa reproduzida no Brasil, sem tradução, para caracterizar o abuso moral e mesmo físico cometido geralmente entre crianças e jovens. O alvo costuma ser meninos e meninas que por qualquer motivo não se encaixam no esteriotipo dos demais alunos: é mais baixo, mais alto, mais gordo, mais magro, mais cabeludo, mais tímido e mesmo mais inteligente. Seja lá qual for o motivo, estas crianças são vítimas de preconceito.

Imagine, então, se um desses jovens tem alguma deficiência. É cadeirante, usa muleta, é anão, ou manca, apenas para citar algumas das dificuldades que podem enfrentar. De acordo com o comentarista do quadro Cidade Inclusiva, Cid Torquato, o nível de agressão é ainda maior contra a pessoa com deficiência.

Para coibir esta ação, as escolas estaduais receberão um manual contra o bullying que deverá ser usado por diretores, coordenadores pedagógicos e professores das escolas. A intenção é capacitar estes profissionais contra o problema.

Fica a expectativa de que o manual não sirva apenas para preencher a prateleira dos professores e passe a ser exercitado por toda a comunidade escolar, com a convocação dos pais para que discutam também este crime cometido contra crianças (e por crianças).

4 comentários sobre “Cidade Inlcusiva: Preconceito infantil

  1. Finalmente, o Bullying passa a ser a alvo de algum tipo de política pública. Até agora, grande parte dos casos segue sem registro ou reeducação do agressor e atendimento do agredido por leniencia de professores, muitos dos quais encaram a violência escolar como “normal” – sem avaliar os possíveis traumas a serem gerados.

  2. Até qdo as autoridades irão fechar os olhos para essas ações de Bullying? Nas faculdades, existe esse tipo de conduta, disfarçada de “Trote”. Se algum academico ousar não participar dessas condutas,irão ficar “marcados” pelo resto do curso, pois os veteranos irão discrimina-los pela faculdade. Sabe, vira uma” bola de neve”.

  3. Mas nem tudo esta perdido: No ultimo domingo, presenciei uma turma grande de jovens, tatuados, com piercing’s, vestimentas alternativas, cavanhaques, barba por fazer, tenis surrados, etc; alguns até, com latas de cerveja na mão, em frente a uma escola municipal na região do Ipiranga. Para muitos, iria acontecer uma grande arruaça, com consequências imprevisíveis. Mas estes jovens, sacaram de suas sacolas e porta-malas de seus carros, aparelhos de som, latas de tintas e pinceis. Fizeram um show de Rock, grafitaram os muros da escola, com desenhos e mensagens positivas e, ao termino da tarde, recolheram seus materiais e foram embora. Foi constatado que, este ato foi idéia de uma jovem moradora do bairro que, propos o ato a seu grupo de amigos, e o fizeram no dia seguinte, sem interferência de Ong’s, e orgão públicos. Apenas boa vontade e sentido de cidadania.

  4. Não julguem pelas aparencias
    É por ai.
    Sigasm o exemplo.
    TEm muito por ai que anda super bem vestido, mauricinhos e patricinhas que não prestam para absolutamente nada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s