Foto-ouvinte: Varal na Praça da Sé

 

Fosse das mãos de artista renomado, as roupas estendidas na escultura seriam descritas como intervenção. Por ter sido ação de moradores de rua exercitando o bom hábito da limpeza, transformou-se em depredação do patrimônio público. A imagem é de Hélio Bertolucci Jr, ouvinte-internauta da CBN que compartilha suas fotos no Flickr.

12 comentários sobre “Foto-ouvinte: Varal na Praça da Sé

  1. Eu sempre falo que nao so nosso governo mas o povo carente de cultura, o povo nem sabe de quem e esta obra de arte, e sabem porque,, A midia radio e tv e ate internet, insistem em divulgar a arte em forma de musica, teatros, filmes de cinema, sempre escuto comentarios sobre pixadpores, sobre as bundas do axe, assuntos sobre pirataria, mas se esquecem que a arte tanto da escultura tal qual a pintura jamais sao comentadas, estamos sem nosso salao de artes digo aquele que foi nobre ha mais de trinta anos sem ser realizado, e com pouco se pode fazer um nobre salao. mas nosso governo so tem verba pra esta merda de salao do futebol que de cultura eu prova que nao tem nada , verba pro dia do acaraje, como fez aquele idiota do ministro gil, entao tem pessoas que acha que cultura e so musica , tv, filmes e esquece do mais nobre salao que ja teve em sampa, somos uma classe desprevilegiada neste pais os verdadeiros pintores sao fantasmas que estao nos museus e nos pintores vivos estamos transparentes para a midia, a midia nao conhece as historias dos genios que estao vivos, entao tomara que estes camelos continuem depredando as artes pela cidade, pois so assim elas aparecem na midia…alguem ai sabe quem e gilberto geraldo, dijalma urban, evaristo dos anjos, angelo di lucas, h, beckerini, fadel, haybara, terto, nao sabem? ha poxa a cultura entao pra voces e so bundinhas depiladas,,,

  2. Ja que e patrimonio publico nao deveria estar sem protecao , pois a cultura de higiene do povo e precaria , e estes ai sabemos que nao tem cura, mas facil fazer o que janio fez aqui no museu do ipiranga, engradou tudo so assim acabou com estrupos e depredacoes que aqui ocorriam,,,salve janio ,,,saudades,,,

  3. Ola Catia
    Bom dia!
    E assim São Paulo com os seus 12 milhões de haitantes vai se degradando de forma assustadora, impiedosa.
    Moradores de rua, desempregados, desocupados, viciados, noias, drogados, doentes, alcoolatras, etc espalhados pela cidade inteira, favelização, curtiços chegando nos bairros nobres.
    Responsabilzar a quem pergunto?
    Veja a foto
    Acontece em plena nobre Vila Nova Conceição, numa das arborizadas ruas atraz da Escola Martim Francisco.
    http://img142.yfrog.com/i/100809101444.jpg/
    E não é de hoje que a “favelinha” da foto está lá
    Faz tempo.
    E ainda tem sempre algum espertinho na calada da noite despeja entulho, até moveis velhos.
    Em quanto isso a prefeitura e e sub prefeitura………………..
    Abraços
    Armando Italo

  4. Parabens Catia pela materia, e aproveitando este espaco tao cultural e pedindo permissao para o sr Milton, quero dar minha palavra como indignacao , a esses monumentos espalhados pela cidade, pois sabemos que se tratam de obras de artista de uma certa mafiazinha , pois sao belos sim e claro, massssss, quanto aos contratos pelos quais eles foram adquiridos tenho muitas duvidas, tambem sou escultor e tentei doar para o parque da aclimacao uma de minhas obras que acabou nao sendo aceita pois eles iam acabar recuperando aquela do Ianelli que tinha sido roubada lembram, bom se nao lembram nao faz mal voces nao tem culpa de sempre saberem de tudo, mas quanto as obras espalhadas pela cidade, sai do bolso do contribuinte, como estes shows de musicas , teatros e outros , mas e suspeita a lavagem de dinheiro pois , sempre sao os mesmos personagens , e olha que sao personagens que cobram alto , sei de uma cantora que cobra 450 mil reais para se apresentar por 2 horas no maximo, e ae sera que ela traz retorno a cidade de sao paulo,,, poxa cade o salao de artes,,,sera que terei de pagar do meu bolso e fazer aqui no atelier,,, cade a lei rouanet, sera que ela so patrocina bundinhas…

  5. Cadê a polícia? Esse local do centro tem sempre uma cabine da polícia. Eles não estão lá para manter a ordem? Vejam como a própria polícia degride sua imagem.
    Isso é muito triste.

  6. Eu estava com o Bertolucci e com o grupo no dia no dia em que ele tirou esta foto, a situação é complicada e arriscada para que tem de passar pela praça, ainda mais quando sozinho. Só nos arrsicamos porque o grupo era grande.

    Por se tratar de um cartão postal da cidade (será ?) deveria ser um local bem mais cuidado e policiado (contamos 01 ou 02 policiais nas redondezas).

    Bom, isto é SP !!!!

  7. Penso que não precisaríamos nem de polícia e muito menos de grades, enquanto estratégias de violência e aplicação de medidas punitivas se, anteriormente a adoção desses métodos, tivéssemos o que poderíamos chamar de educação patrimonial. Nosso sistema educacional não nos ensina a visualizarmos nossas cidades, nossos lugares de moradia… Também ( e aí há uma série de implicações políticas e culturais) não nos ensina a visualizar os conflitos e ingerências resultantes das gestões/governos e seus reflexos nas vidas de "pessoas comuns", ou seja, nós. Não, de maneira nenhuma, as escolas, em sua grande maioria, ainda não fazem isso. Caberia, aqui, a pergunta: de onde surge tanto descaso para com o patrimônio público e tanta inércia por parte da população ?

  8. Na verdade o problema essencial da Praça da Sé, ao meu ver, foi desde o início sua concepção urbanística dura, cheia de muretas de concreto e escadarias, típicas da arquitetura do período da ditadura militar, que também construiu a Praça Roosevelt que tem problemas urbanísticos bem semelhantes, aliás.

  9. para ser boa ao visitante a cidade deve ser agradável primeiro ao morador. Apresentamos São Paulo aos turistas e quando observam a diferença de tratamento entre o Largo do Paissandu e a Avenida São Luiz, fica difícil explicar. Precisamos urgente de banheiros públicos fixos, de bancos para sentar, ocupar o Centro com música, com muitas flores e de setores que cuidem dessa questão social. Dar comida na rua então, nem pensar! Só vai perpetuar a situação.
    Parabéns pela chamada dessa matéria!

  10. A praça foi fechada em 2006 e reabriram em 2007 ainda inacabada e "gastaram" mais de 4 milhões de reais. Não sei o que fizeram de obra, retomaram as fontes, abriram-se alguns portões do metrô, fizeram um lodaçal para não invadirem as fontes e bancos anti-moradores de rua. Nada adiantou. É preciso ocupar a praça, realmente baixar aquelas jardineiras para que se possa ver a praça de todos os angulos. Este era o projeto.
    Quem sabe se colocassem pontos de ônibus não estaria mais interessante, afinal, a Praça da Sé sempre teve este propósito.
    Polícia tem, mas nao fazem nada.

  11. É nessas horas que entramos em conflito… Os moradores de rua que precisam manter sua Higiene… e o patrimônio que sofre com a depredação. Cabe aos líderes terem consciência e darem oportunidade para essas pessoas sairem das ruas…. e também fazerem a manutenção patrimonial.

    ótima foto… parabéns…
    JUH

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s