Criatividade de paulistano substitui faixa de segurança

 

Criatividade na falta da faixa de segurança

Para reclamar da falta de faixa de segurança, um paulistano pichou o asfalto na esquina das avenidas Miguel Stefano e Jabaquara, zona sul de São Paulo. Com uma faixa branca de calçada a calçada e um “Cadê”, curto e grosso, acompanhado do ponto de interrogação, ele conseguiu algo inesperado para quem está acostumado com o desrespeito de motoristas na cidade. De acordo com a ouvinte-internauta Karina Mendes Francisco, os carros assim que se aproximam da esquina, respeitosamente, param antes da faixa branca. A criatividade deste cidadão anônimo talvez seja a alternativa para a demora da CET e das subprefeituras em resolver o problema que está, inclusive, sendo investigado pelo Ministério Público.

19 comentários sobre “Criatividade de paulistano substitui faixa de segurança

  1. cópia do email que enviei a CBN ,voz do cidadão:
    Hoje eu estava em um onibus que ia da Lapa Para o Hospital das clínicas, 817-C às 18 horas e pouco, quando o mesmo parou no farol entre a Aurélia e a Heitor Penteado. Permaneceu parado durante meia hora, tempo durante o qual o farol abriu e fechou várias vezes, até que todos os passegeiros começaram a reclamar, gritar ” o que está acontecendo’ perguntavam alguns. O motorista respondeu, que permanecia parado em frente ao farol porque os carros que vinham da Cerro Corá obstruíam o tráfego de tal modo que quando chegava a vez em que o onibus poderia avançar, ele sempre parava sobre a faixa de pedestres e então era multado por um guarda da policia civil que permanecia na calçada , pronto para multar o onibus, que já havia sido multado por este, sempre o mesmo, policial umas três vezes. O interessante é que o policial não auxiliava em nada o trânsito, não tomava atitude nenhuma para que os carros que vinham da Cerro Corá do outro lado da pista, dessem espaço para o onibus trafegar. finalmente devido as reclamações e pedidos o onibus passou, e não é que acho que foi multado, pois precisou parar sobre a faixa de segurança, ainda que parcialmente? mas todos vimos o policial anotando algo na caderneta dele.. Mais pasma fiquei quando ouvi de um passageiro que aquela mei hora que ficamos esperando, havia sido pouco , compardo com outro dia em que o onibus permaneceu parado cinquenta minutos!!! e ainda descreveu como os passageiros xingaram o policial.. que , sendo o mesmo, teve a mesma atitude de hoje . Um absurdo desrespeito com nós, cidadãos que utilizamos meios de transporte e faixas de segurança.

  2. Em dezembro de 2009 fiz uma solicitação de sinalização para a rua Zequinha de Abreu, no Pacaembu – SP, rua onde passa o famoso Trolebus – MACHADO DE ASSIS – CARDOSO DE ALMEIDA.
    Recebi a seguinte resposta da CET:

    Referente ao protocolo C4659843

    Sua solicitação está sendo tratada no processo acima.
    Oportunamente, comunicaremos os resultados da análise. Solicitamos que aguarde um posicionamento sobre a questão.
    Companhia de Engenharia de Tráfego – CET
    Departamento de Atendimento ao Munícipe – DAM

    No dia 17 de março de 2010 recebi a seguinte resposta:

    Em atenção ao solicitado informamos que após vistoria realizada no local, foi elaborado projeto de sinalização horizontal, o qual atende ao solicitado.
    O projeto será executado segundo as disponibilidades orçamentárias da Companhia.
    Companhia de Engenharia de Tráfego – CET
    Departamento de Atendimento ao Munícipe – DAM

    Estamos no dia 6 de maio e até agora nada!

    Não vou nem falar de outro pedido que fiz referente sinalização para rua Ferdinando Laboriau. Esse, feito em dezembro de 2009, protocolo: C465985, NUNCA RECEBI RESPOSTA.

  3. Sinalizar as ruas da cidade êles não sabem.
    Mas multar “as escondidas”………………sabem fazer com uma perfeição de dar inveja.

  4. Criativa a manifestação, sem dúvida. Só não podemos esquecer que a rua é um patrimônio público, e pichá-la é crime. Se as autoridades são ineficientes e incompetentes, temos que mudar a situação. Tomar a iniciativa de ações que não nos compete ou fazer “justiça” por conta própria e como bem entendermos, logo faria-nos depender muito do bom-censo de todos, de cada indivíduo, o que não me parece ser uma boa idéia, pois correríamos o risco de logo estarmos apontando dedos na cara daqueles que não aceitamos ou não entendemos, condenando-os à fogueira por bruxaria!

  5. Em todas as reuniões do CONSEG que participei e esteve presente o representante da CET nós ouvimos a seguinte desculpa:

    – Não temos verba!

    Minha opinião: Esse Alexandre de Moraes é incompetente! Pior que isso é não ter coragem de exigir do prefeito melhores condições de trabalho para essa companhia.

  6. Eduardo Miranda, o brasileiro é acomodado, fica reclamando sentado no sofá vendo o BBB esperando que alguém ou o governo resolva os seus problemas. Parabéns para quem fez a faixa, isso é cidadania pois ele pode ter salvo algumas vidas com esse “crime” como você descreve.
    Para de ser passivo-chato e reconheça as atitudem que mesmo contra a regra fazem tornar o mundo melhor.

  7. Olá Milton,

    Fui eu quem mandou a foto: Karina Mendes Francisco.
    Fiquei contente de você ter publicado aqui. Vamos ver quanto tempo a faixa ‘oficial’ vai demorar, mas eu achei bem legal essa atitude que tiveram de pintar uma provisória. Pena que não achei o responsável pelo ato no mínimo muito criativo. Muitas vezes a gente reclama e nada faz, aí alguém com mais atitude vai e toma alguma providência, acho muito estimulante!

    abraço!

  8. Eduardo Miranda,

    Concordo com Walter Fernandes e com a autora da foto, Karina Mendes Francisco. Esta manifestação não é uma pichação de vandalismo. É uma forma criativa e bem-humorada de prestar um serviço de interesse público onde faltou a ação do órgão responsável.

  9. Muito bom!!

    Criativo, simples, poderoso.
    A rua é patrimônio público, concordo. O que esse cidadão fez foi simplesmente pensar nisso.
    O público somos nós, a rua é nossa, e a “faixa” pensou no bem-estar das pessoas.

    Cada vez mais estamos mostrando que a gente que faz as coisas. Que nós podemos e queremos tomar em nossas mãos muitas das coisas que hoje ficam esquecidas, como lixo.

    Esse pichador tem um espírito público superior ao de muitos estadistas!

  10. O “pixador” foi muito criativo!
    Se não agirmos desta forma, a exemplo “do pixador”, apesar de tal ação ser supostamente considerada como crime por alguns, dano ao patrimonio publico, etc. reclamar para a prefeitura, DSV, etc, comprovadamente de nada adianta recorrermos, reinvidicar nossos direitos legais, a politicos, administradores, prefeitura, sub prefeitura, pois, para tais, não passamos de meros contribuintes, números.
    TÁ CERTO O “PIXADOR!”
    E com uma boa dose de humor inteligente.

  11. Pois é. “A Prefeitura/CET não faz”, “não tem verba”, “não tem compromisso”, seja qual for o motivo, ficar sem faixa é que não dá. Enquanto isso ficam os pedestres dependendo do bom-senso dos motoristas para atravessar adequadamente as ruas? Bem, quem mora em são paulo sabe que é difícil contar com isso. Antes com uma provisória do que sem nada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s