De estação

 


Por Maria Lucia Solla

O Vento vem agitado, gritando, assobiando um ritmo inquietante. Sem tentar interpretá-lo, percebo seu som e sua intensidade com meu corpo inteiro, o dia todo. Vento descabela, desarruma, desalinha, desarranja, destelha, desmantela, desatina, descalça. E a gente, faz o quê? Escancara-se e deixa que ele vire tudo de cabeça para baixo, fazendo arte, criancice, ou se fecha, se tranca, se esconde na saia da mesmice.

Independentemente da opção humana, o Vento chega trazendo a Primavera, como sempre fez. Cumprindo a missão sem fazer caso do papel, da escrivaninha desgarrado, no chão; sem se dar conta do desalinho que ficou para trás. Na mesa, na vida, no coração.

E ela vem entrando. Anunciada por ele, vai chegando linda, colorida, vestida de domingo. Primavera é Yin, feminina. Primavera traz novos e adormecidos amores, e põe em ebulição os humores.

No Tempo dela. É tempo de acordar a semente adormecida, e é tempo de plantar, de rasgar a terra e a fecundar, de novo e de novo. Ao menos, sempre que ela chegar. Ela é madeira, é a lenha do Verão. É nele que ela se inflama. No fogo dele. Na sua chama. É tempo bom para começos e recomeços; para se agarrar a mais uma chance de amar. É tempo de se cuidar, na hora de se alimentar. Acabado o Inverno, a lareira não precisa mais de tanta lenha; não há muito para esquentar. E, antes que eu me esqueça, especial atenção ao fígado, é muito bom oferecer. É tempo de limpar e não de empanturrar a víscera que gerencia nossas emoções viscerais. É tempo de acreditar em você, de olhos fechados e coração esbugalhado.

Seja muito bem-vinda, Primavera!

Maria Lucia Solla é terapeuta, professora de língua estrangeira e realiza curso de comunicação e expressão. Aos domingos, escreve no Blog do Mílton Jung

17 comentários sobre “De estação

  1. Meu pensamento, vento, corre o mundo em um instante. Ignora que o coração tem compasso.
    Malu, janelas param o vento embora ele as façam bater! É possível impedir que ele entre, mas não o pensamento. E a mão que escreve, treme.
    Quando eu quis parar o pensamento, acabei com os piores deles “atrapados” bem a minha vista. Demorei pra entender que barrar o vento e o pensamento, abafam casa e alma.
    Na minha casa, as janelas sempre estiveram bem abertas e o vento corre! Era só na minha mente que algumas janelas estavam fechadas.
    Estavam.

    Bom domingo minha querida. E obrigado.

  2. Ola Mke Lima
    No inverno, fexhamos as nossas portas e janelas.
    Ficamos em em nossos lares no quentino e no aconchego dos nossos.
    Quem nem ursos em quase estado de hibernação.
    Até que chega a primavera!
    Vamos abrir as nossas janelas, portas e as nossas mentes para que os ventos que prenunciam a chegada desta bela estação, possa arejar os nossos lares, mentes e corações.
    Possa dar uma limpesa em “nossas casas” levando, soprando para fora tudo o que ficoi “trancafiado” nos dias frios, cinzentos.
    /e bem vinda a primavera!
    Bjus e bom findi

  3. A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega…. e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores (Cecília Meireles).
    Bem-vinda – Primavera!!!
    Querida Malu, só uma pessoa com uma sensibilidade muito especial para nos lembrar que ainda temos uma chance quando esperamos após um inverno frio a mais bela e colorida estação.
    Beijos, te admiro muito…

  4. Malú,

    Essa madrugada acordei com o vento batendo na janela do jardim de inverno, claro perdi o sono.

    Tive tempo para notar como o vento zunia lá fora, como as telhas de acrílico se contorciam com a força dele.

    Aquele negócio que a Karen trouxe da Bahia não parava de bater!

    Aquele negócio são aquelas pedras dependuradas por fios de nylon que que todo turista faz questão de comprar e trazer para bater umas nas outras e incomodar os vizinhos. Tudo bem mas ela não é mais turista naquela terra!

    Vai entender porque trouxe aquilo!

    Lendo seu texto entendo a maneira que a primavera achou de avisar-me que está entre nós.

    Como é uma estação que eu gosto muito, também digo:

    Seja muito bem vinda primavera!

  5. Maryur, Sérgio, Armando Ítalo, Dimas, Cristina e Cláudio!

    Obrigada pelo sorrisão estampado na minha cara! Ele não desmancha, nem querendo. Quanto mais eu tento, mais ele abre.

    E eu precisava dele.

    Cheguei de Extrema, depois de 3 horas na estrada, para andar um trecho que normalmente levaria 1 1/2, mas os detalhes sórdidos não vou jogar nos ouvidos de vocês.

    Chego em casa, Extrema-mente cansada, e encontro vocês aqui na sala. cada um dizendo coisas mais incríveis do que o outro. Os poetas aflorando, os corações se abrindo e generosidade jorrando. E dá pra parar de sorrir?

    E então:

    1. Quem consegue enxergar vida,alegria e esperança, onde quer que seja, é porque os tem, aflorados da alma, e assim os pode reconhecer. Como você, Maryur.

    2. Sérgio, pode começar a fechar um pouco as janelas da casa, à medida que as internas vão se abrindo. 50X50, no verão está bem. No inverno ou chegaria em 10X90! rs

    3. Armando Ítalo, você, pela aviação deve ter certa intimidade com o vento, não?

    5. Chance sempre, Dimas, sempre! Só “ouvir” o nome de Cecíclia Meireles aqui na nossa sala, me deixou emocionada; ainda mais o que você diz. Obrigada, viu?

    6. Cristina, e por falar em Vento… você já assistiu ao filme Chocolate? Se não assistiu, assista porque tenho a sensação de que você vai gostar muito.

    7. Cláudio, ah, se mais pessoas percebessem! Ou melhor dizendo: ah! quando mais e mais pessoas perceberem!! O coração deve estar convidado a todas as situações. Sempre!

    Beijos a todos, bom finalzinho de domingo, e boa semana,
    ml

  6. Olá Malu,

    Impossível me desligar da primavera. Todas as manhãs quando acordo, tenho ao meu lado uma flor de 1,77m que desacordada, mais parece uma rosa recém desabrochada. È muito bom ver a vida como um campo florido refletido nos coloridos olhos de minha amada. Que ao ler isso, certamente ficará ruborizada.

    Minha flor Malu, depois de ler seus invernos, É muito bom saber que os ventos da primavera lhe floriram corpo, mente, coração e letras.

    Beijos
    Boa semana

  7. DE ESTAÇÃO
    O trem vem agitado, apitando um ritmo inquietante. Agarrado na porta, o vento descabela, desarruma, desalinha. E a gente faz o que ? Continua agarrado na porta.
    E de estação em estação a gente chega até a Julio Prestes.
    Carlos Albino

  8. A primavera é muito importante na minha vida…logo que as cigarras começaram a cantarolar aqui em Stna de Parnaíba, lembrei do festival de música que ganhei ao 9 anos, no colégio Reynaldo Porchat-Lapa-SP…e começava assim…"Chegou a primavera, tão linda, tão bela…e o sol e a chuva com ela./…os pássaros a cantar, e o dia a raiar…tudo é tão lindo na primavera"…Obrigado Maria Lucia por me trazer tão boas recordações….Vc é d+!!!!

  9. beto,

    que bonito!

    Ela, sua Primavera particular, não só ficará ruborizada, como vc diz que vai; ela vai se sentir realizada, como se sente toda mulher quando além de olhada é vista, quando além de ouvida é escutada. A gente toma forma e sente que está viva, na plenitude, através do olhar do amado.

    Parabéns!
    Que os ventos da Primavera possam nos florir, todos!

    beijo e super boa semana,
    ml

  10. Carlos Albino,

    adorei a tua adaptação do meu texto em poesia explícita do cotidiano.

    Segundo Lavoisier: no mundo nada se cria, nada se perde; tudo se transforma.

    Seja bem vindo sempre, e obrigada pela visita.

    beijo e boa semana,
    ml

  11. Oi malu
    Para quem voa e quem veleja, tem sim “uma certa afinidade”, com os ventos.
    E de certa forma necessita deles para voar, velejar.
    Mas tem momentos que os ventos nos pregam peças e dai “acoisa lá em cima” pode ficar feia.
    E exemplo de passarmos por turbulencias inesperadas e as CAT.
    Clear Air Turbulence.
    Por isso é que pilotos, marinheiros devem conferir as cartas de ventos antes de voar e zarpar.
    Bjus
    Armando Italo

  12. Malu,
    Estamos a poucos passos de entender que as limitações impostas pela natureza a nossa espécie, são na verdade o elo que ela usa na sua alquimia para nos ajuntar, misturar genes, idéias e fortificar . De lembrar que tempo não é dinheiro nem coisa alguma que não, tempo mesmo. Pelo menos não sempre.
    Que dentro de casa e sozinhos no carro é que corremos riscos. Nunca abrindo a porta ou dizendo obrigado, por favor.
    Há quem acredite. Há Cláudios, Malus, Miltons, Massaos, Ítalos, Betos, Maryurs, Marias, Marios, Anas, Simones, Betos, Dimas, e mais uma mão cheia de esperanças que encontro todas as manhãs de domingo.

    Bjo.

Deixe uma resposta para beto Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s