De saudade

 


Por Maria Lucia Solla



Ouça “De Saudade” na voz e sonorizado pela autora

Minha comadre me escreveu. A gente se gosta muito, mas dá para contar nos dedos as vezes que nos vimos nos últimos muitos anos. Moramos a mais de mil quilômetros uma da outra, e temos nossas vidas. Ela queria saber mais sobre mim. Tem saudade. Eu também.

então foquei
olhei para mim com mais atenção
no embalo da energia forte
que está por toda parte
da esperança e vontade de ser melhor
que dá para sentir no ar

em menos de um segundo
encontrei em mim o mundo
você ele ela eles elas

tateando meu rosto
longe do espelho
reconheci pai mãe filho irmão
parente amigo
o que sonhei viver
os sonhos que vivi
e nos meandros da lembrança
me perdi

Vi meus erros que brotavam, acredite!, da mesma fonte de onde jorram os erros de todos; de afetos e desafetos, de povos de todas as terras. Cheguei o mais perto que pude da fonte de onde jorravam alegrias. A multidão se apinhava de tal modo que morria por um punhado, no afã de viver delas. Em volta dos meus acertos havia poucos; matavam a sede e o calor lá, onde apodreciam erros velhos, decadentes, que eu já descartara, e os que ainda estão estampados na minha cara.

chorar
escolhi sorrir
dizer
preferi calar

foi quando senti que as fontes eram interligadas
a que te faz chorar e a que te deixa contente
a que te faz olhar para trás
e aquela que ilumina o caminho à frente

senti impulso de gritar, bradar, alardear
quando percebi o brilho brincalhão de uma estrela
que me mostrava um caminho
confiante e curiosa segui
e foi então que vi
claramente
que a água de todas as fontes tem uma só origem

saí então da terra da lembrança
e voltei ao presente
de onde
por muito tempo
eu estive ausente

Maria Lucia Solla é terapeuta, professora de língua estrangeira e realiza curso de comunicação e expressão. Aos domingos, escreve no Blog do Mílton Jung.

24 comentários sobre “De saudade

  1. Querida comadre.
    Primeiro li, depois escutei esse lindo texto através de tua voz. E assim te senti mais perto, reconhecendo em tua voz tão doce aquela sensação de acolhimento que a tua amizade sempre me proporcionou.
    Abraço muito carinhoso.

  2. vera,
    minha comadre tão querida!

    Vou te contar do diálogo entre meu neto joão pedro e eu, há uns quatro ou cinco anos. Ele é o segundo filho do Paulinho, você sabe, e mora no sul de minas gerais. A gente não se via fazia uns dois meses. Fui até lá e, no momento da minha chegada, notei que o jp estava ressabiado, e a coisa era comigo. Sempre muito carinhoso, ele escapava de mim e me olhava de longe,com as sobrancelhas contorcida e o bico duro!

    Aos poucos, ao longo da manhã, fui chegando nele, até que ele, neste rápido pingue-pongue, se revelou:

    – Que foi, pequeno, a vovó está feliz de ver você; eu tinha saudade.

    O rosto dele se iluminou um pouco, mas o bico não amolecia.

    – Você não tinha saudade da vovó?

    Aí ele lançou mão de seus poderes e olhou pra mim. Sucumbimos.

    -Vó, eu fui na tua casa e você nem olhou para mim e nem falou comigo.

    Meu pai, pensei, em que meandros dos teus mistérios se deu esse encontro? Só entendi quando, em vez de tentar compreender, aceitei e me entreguei ao mistério.

    – Ô, meu amor! a vovó ama você muito! Se eu não falei contigo é porque eu devia estar tão envolvida no meu trabalho, que não percebi tua chegada, mas acredita que eu também às vezes venho até aqui e você não me vê.

    – Verdade, vó?

    – Sim, meu anjo.

    E a gente se deu mais um daqueles abraços que dispensam palavras, e ele me deu um daqueles sorrisos que me fazem refém de bom-grado.

    Às vezes a gente não vê, né vera comadre?!

    Amo você,
    ml

  3. “saí então da terra da lembrança
    e voltei ao presente
    de onde
    por muito tempo
    eu estive ausente”

    Malu, vou seguir sua rima:

    Parei!
    Pedi um misto quente
    Entre uma mordida e outra
    E o fiapo de pão no dente
    Me veio à mente
    Quando era adolescente
    Isso me deixava contente
    Simplesmente
    Depois do cinema
    Ou do batente
    Lendo textos
    Do Antonio Contente
    Ou beijando o cangote
    Da menina caliente
    O passado não é recente
    Mas é permanente
    Faz parte deste ente
    Que também é misto
    E tem o beijo quente
    Não há frieza
    Que eu não esquente
    Quem duvidar
    Que se apresente
    Quem me achar convencido
    Não esquente
    Faça como eu
    Pegue no batente

    Acabei de escrever isso de repente, em uma sala cheia de gente. Aqui estão meu passado, meu futuro e meu presente. Iguais ao misto quente. Graças a Deus tenho parente. Uns me amam mais e outros menos, e estão sempre comigo. Não poderia escolher melhor presente!

    Beijos e bom começo de novo ano!

  4. Oi amiga de repente deu uma saudades danada de outros tempos , outros Natais , em especial daquele que passamos juntos aqui em POA , as 2 familias todas , muitos já não estão mais , muitos já não são mais , e o ciclo da vida andou , a roda girou , e apenas alguns sólidos serão para sempre !
    Feliz Aniversário , bjs e Saúde e Paz Maryur

  5. ESTIMADA MARIA LUCIA,
    FELIZ NATAL.
    QUE VOCÊ CONTINUE SENDO ESTA PESSOA GENEROSA,CULTA,INTELIGENTE,A BRASILEIRA QUE MELHOR FALA,ESCREVE O INGLÊS QUE CONHEÇO.
    UM BEIJO DOS AMIGOS DE SEMPRE,
    FARININHA E VIVI.

  6. Alpha India,

    você não dá ponto sem nó, e deve estar falando de alguém querido por você (porque vc defende os teus queridos com unhas e dentes!) que não andava muito querido no círculo por onde passeava.
    Mas é assim.

    O bom mesmo é quando a gente percebe que a opinião dos outros não nos faz, e nem somos nós que fazemos a opinião alheia. Ela se forma independente de nós, a partir da caraminhola do outro.

    Sacou, mano?

    beijo,
    ml

  7. maryur querida,

    tenho muito para sentir saudade e muito para esconjurar!
    mas no fundo e na superfície é assim mesmo, e não há o que lamentar, mas muito para celebrar.
    E hoje é dia.
    Obrigada, minha amiga, pela lembrança!

    beijo,
    ml

  8. Farina, Vivi!

    Privilégio meu ter vocês sempre, e ainda, na minha vida!
    Nos adjetivos que generosamente você escolheu para mim ficou faltando SORTUDA!

    Amo vocês e quero poder merecer a amizade de vocês, sempre.

    beijo,
    ml

  9. Pelo que li nos comentários vc é aniversariante.

    Parabéns!

    Desligo meu verso displicente e lhe ligo na musica incidental de Felix Mendellsohn e o talento da Sarah Chang. Este é meu presente:

  10. Prima linda, saudade é o sentimento de quem ama e não consegue estar perto, por isso só pessoas especiais podem sentí-lo.
    Deixei p/comentar hoje para aproveitar e te desejar toda a felicidade do mundo neste seu novo ano de vida.
    Que Jesus ilumine seu caminho e seus pensamentos para que possamos ter ótimas leituras nos domingos pela manhã.
    Com amor
    Maga

  11. Magutcha, prima minha,

    meu pai, teu tio, sempre dizia que cada um tem o que merece; cada vez que me dou conta das pessoas que povoam o meu universo, me sinto grande merecedora. Você certamente está na turma da primeira fila.

    Obrigada pelo almoço, pelo carinho, pelo aconchego.

    Hoje meu coração está literalmente em festa e quero aproveitar tudinho, até o fim, e até o ano que vem.

    beijo,
    ml

  12. Olá Maria Lucia
    Bom dia
    Peço sua permissão para deixar esse texto , sobre a Saudade ,somando as belas palavras que você escreveu no seu espaço no blog de Milton Jung..

    De que você tem saudade?

    Aceleram-se as lembranças e as coisas, positivas ou negativas deixam marcas.. .Nuvens de romantismo e de nostalgia invadem algumas mentes humanas deixando respostas quase inexplicáveis!
    Ataufo Alves, compositor descreve a sua saudade em música . Fala do sentimento de um tempo que lhe deixou recordações . De uma professorinha que lhe ensinou o be-a-bá, e ainda perguntava :” onde andará Mariazinha o meu primeiro amor onde andará?”
    E você . do que tem saudade? Lembre-se de que o passado é sala de visita onde os pensamentos divagam, mas não pode acompanhar nem permanecer para sempre sentado no sofá da existência. Temos que sair para os novos espaços da casa no caminho da vida.Pessoas que ficavam adoentadas são aquelas que não externavam os seus sentimentos. Ao colocá-los para fora , desvendam-se os mistérios da dor emocional e curavam-se
    Carl Jung advertia aos seus pacientes em análise para o vivenciar o jogo do espelho. ”Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta-se”.
    _Responda uma pergunta para si mesmo e procure razão no seu íntimo para a sua resposta chave.Que pensamento divaga em sua mente quando lembra de suas experiências de vivenciadas em sua juventude? São pensamentos de saudade paralisante ou pensamentos que trazem mensagens de um tempo real de sua existência? Afinal, eles originaram em sua mente e ficaram em suas lembranças , foram processados pela experiência de vida, e fazem parte do seu currículo pessoal. São partes integrativas de sua vida, conteúdos históricos de sua realidade .
    O passado é sala de visita onde os pensamentos vagueiam. Com o passar dos anos a memória realçada pela experiência e maturidade , entenderá a linha do tempo entre o ontem e o hoje, enfim, desperta no presente a tão conhecida Saudade .
    Para os especialistas em assuntos emocionais as lembranças de coisas agradáveis ajudam a reviver no tempo algo de positivo, como também as desagradáveis fazem mover fortes emoções. . Entretanto, se elas forem processadas com uma alta dose de emoção paralisante, é improdutiva!
    Para quem está no passado sempre acha que a modernidade acelera a vida de muitas pessoas, aumenta a preocupação e subtrai o sentido de tranqüilidade e adiciona a violência.
    Assim muitos vasculham a mente para retirar lembranças dos tempos que vivenciaram. Criticam o hoje e sofrem com o amanhã. Entretanto, esquecem que é na adaptação que reside o genes da sobrevivência .. Não é o mais forte, nem o mais inteligente, nem o mais sábio, quem sobrevive mas, o que se adapta melhor no ambiente que estiver inserido.. A garantia contínua da existência de todos os seres vivos é o processo de adaptação.. Adaptar-se a seu momento é ser sábio. Entende o momento do outro e com isso observa melhor à vida..
    “Minha alma prepara-se para encontrar aquele que sabe fazer perguntas “
    Pergunte a si mesmo de que você tem saudade?
    Dos bondes nas tardes de domingo, dos bailes de carnavais das músicas nas festas de Hi-fi ou discotecas ?Saudade dos encontros com os amigos em tarde ensolarada, dos tombos pelas calçadas de seu bairro com a famosa perna-de-pau, dos carrinhos de rolimã , das pipas ou papagaios?
    _Quantas lembranças!!!! Quantas saudades!!!!
    Hoje, um outro momento marcado por outras modernidades musicais diversificam a mente da juventude. Os encontros têm outros significados, mas é preciso entender e ajudá-los no entendimento desse momento. Por que tudo passa, num futuro próximo será formulada essa mesma pergunta?!
    Do que você tem Saudade?.

    Luciah Rodriguez

  13. Semana passada, você dormiu sobre o meu comentário e, dessa vez, fui eu quem ficou sem palavras.
    O texto é lindo e não precisa de acréscimos!
    Eu também sou uma pessoa muito desligada do presente e, muitas vezes, ao tentar corrigir isso, me enrolo todo por achar que a pressa de fazer tudo aqui e agora vai compensar os pensamentos que viajam pros outros tempos.
    Nas minhas últimas viagens sem tempo e nem espaço, percebi que isso só ajuda a confundir tudo.
    Beijos

Deixe uma resposta para Ezequiel-SP Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s