Derrube os muros que dividem a cidade

 

Nesta sexta-feira, lancei o Blog Adote São Paulo em parceria com a revista Época SP, da Editora Globo. No espaço que será atualizado semanalmente, estarei dedicado à capital paulista, sempre pautado pelo tema cidade e cidadania. Na apresentação do novo Blog – que será mantido juntamente com este espaço que tenho na CBN – a indicação de que sou um gaúcho que “não se incomoda de ser chamado de cidadão paulistano” não é retórica, é realidade.

Acompanhe um trecho do primeiro post ou vá direto ao Blog Adote São Paulo“:

Há 20 anos cheguei em São Paulo de mala e sem cuia para trabalhar como repórter na TV Globo. Era a sede antiga da emissora, de cara com o Minhocão, cercada por todo tipo de poluição – visual, aérea e sonora – que se misturava ao estresse deste estreante. De tirar o fôlego.

Vindo de Porto Alegre, cidade que tem o pôr-do-sol no cartão postal, logo percebi que meu maior incômodo era a falta de horizonte na capital paulista. Prédios tomavam conta do cenário diante da janela de minha casa em Pinheiros. Um dia, cansado, escapei até a Cidade Universitária em busca do ponto mais alto e a oeste possível e lá fiquei até o dia ir embora e o sol desaparecer. Foi um prazer só.

Conto minha primeira história de São Paulo porque esta me ensinou lição importante para quem pretendia morar em definitivo por aqui: a cidade nos sufoca, mas se nos esforçarmos, acreditarmos e lutarmos encontraremos nosso horizonte.

É curioso como me identifiquei com a capital paulista. Por acaso e por escolha, minha vida profissional sempre esteve voltada para as coisas desta cidade. A estreia neste blog e o seu nome de batismo apenas ratificam este destino e dão sentido a trajetória de cidadão paulistano que iniciei em 1º de janeiro de 1991.

E como tal, dou-me o direito de alertar a todos que aqui moram sobre comportamentos que considero impróprios para quem sonha em melhorar a qualidade de vida no ambiente urbano.

Nesta semana, duas notícias mostraram como o medo pauta nosso cotidiano. Na praça Vinícius de Morais, vizinha do Palácio dos Bandeirantes, a subprefeitura do Butantã, com apoio de parcela dos moradores, constrói um muro de cimento. Na Assembleia Legislativa, deputados aprovam lei que obriga as agências bancárias a esconderem seus clientes atrás de biombos.

Para ler o texto completo acesse aqui.

3 comentários sobre “Derrube os muros que dividem a cidade

  1. Milton
    Os muros que estão sendo construidos são apenas mais um desmando cometido pela prefeitura de São Paulo

    Aproveito-me deste espaço para trancrever o relato postado no meu blog feito pela arquiteta e urbanista Suely Mandelbaum, depois de lutar para tomar ciencia sobre o que vem acontecendo com a rua Sta Efigenia por exemplo

    Segue relato
    novo comentário sobre a sua postagem “SANTA IFIGÊNIA: A Rua do Comércio Paulista desde 1…”:

    Armando Italo: a sua sugestão de tombamento da Santa Ifigênia é excelente e deve ser levada adiante por todos nós.
    O bairro Santa Ifigênia está em perigo de destruição pela Prefeitura de São Paulo, em proveito dos especuladores imobiliários – em lugar de cuidar da cidade o que é a obrigação da mesma Prefeitura. Após inúmeras tentativas mal sucedidas de verificar estudos, finalmente consegui acesso e efetuei em 01/02/2011, na Secretaria de Desenvolvimento Urbano, vistas do processo do Projeto Urbanístico da Nova Luz . Encontrei no Projeto “Preliminar” tabelas de valores de imóveis drasticamente sub-avaliadas a razão de 1/10 a 1/20 do valor do mercado dos imóveis residenciais e comerciais respectivamente. Ora, os terrenos baratíssimos avaliados não existem na região do projeto, ou seja, só existem no relatório da Prefeitura e foram usados como premissa do projeto! Gostaria de saber quem será responsável frente ao futuro concessionário que certamente assumirá, via o Judiciário, responsabilidade financeira dos 9/10 a 19/20 restantes frente a estes valores equivocados assinalados no processo: será o Consórcio Concremat/Cia City/FGV/Aecom? Ou, será que os representantes do Executivo e do Legislativo que aprovaram as leis serão pessoalmente responsáveis com os seus bens? Se for a Prefeitura, entendo que o prejuízo atinente a este projeto é inaceitável para o contribuinte paulistano. Portanto, considero imprescindível que cadastramento e pericias sejam feitas para cada unidade de imóvel residencial e comercial da região de forma transparente junto ao Judiciário, com a participação de cada proprietário, e as tabelas de valores sejam ajustadas aos preços de mercado atuais e reais; considero imprescindível que os valores reais sejam usados como premissa corrigida do Projeto e como premissa para o estudo de viabilidade econômico-financeira previamente à licitação do Concessionário Urbanístico – o qual precisa ser protegido também. A única alternativa viável é a anulação das leis municipais 14917 e 14918 da Concessão Urbanística pelo Executivo e pelo Legislativo.

    Suely Mandelbaum
    Arquiteta Urbanista

    Postei novos comentarios em refencia no meu blog
    http://www.blogdoaitalo.blogspot.com

  2. .
    Ainda acredito, apesar dos fatos, que nós seres humanos – cidadãos, poderemos ainda assim, melhorar o Futuro, mesmo tendo as coisas piorando e piorando…

    Mas são diversas ações que temos que fazer, todos os dias todas as horas…

    Todo lugar ou qual quer lugar, é uma brecha para cultivarmos idéias prosperas, porém entendento que para tal, é necessário empenho e determinação para fazer mudar…

    Realmente entender, que todos, TODOS, SEM DISTINÇÃO TEM OS MESMOS DIREITOS, aqui neste palneta “Terra” !!!

    Tenha um ótimo fim de semana!!!
    .
    ass: Douglas The Flash
    .
    V22x2dc1V@@x226Fev111507ISabTcOliM14fj51505

    .
    http://eujafuiprejudicadoporservicospublicos.wordpress.com/
    .

  3. Milton, além dos muros e biombos que vc comentou, nos bancos por exemplo existe um apartheid social. Quem tem grana e cartão 5 estrelas nem fica na fila. Tem um caixa exclusivo para esses clentes em todos os bancos. Quem fica na fila horas e horas é pobre. Quem tem grana toma cafezinho com gerente e tem caixa a sua disposição. Ele liga e diz: passo tal horário para sacar minha grana. Quando ele chega é tratado a pão de lô. O resto tem que depender das autoridades para ter segurança ou se esconder atrás dos biombos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s