Avalanche Tricolor: É sempre especial

 

Corinthians 3 x 2 Grêmio
Brasileiro – Pacaembu


Falei com você, caro e raro leitor, por mais de uma vez, sobre a importância do Gre-Nal na emoção do torcedor. Uma vitória, como aquela do fim de semana passado, anima qualquer um. Um resultado negativo (deixe-me bater três vezes no tampo da mesa, antes de continuar escrevendo) leva muita gente, lá no Rio Grande do Sul, a ficar em casa no dia seguinte. É melhor desligar o celular e não ler o jornal de esportes. Desde que deixei Porto Alegre, em 1991, a distância do clássico e a probabilidade menor de se deparar com um torcedor colorado na rua ou na redação trazem um certo alívio. Em compensação, novas rivalidades surgiram no meu dia a dia. E a com Corinthians é, sem dúvida, a maior delas. Seja pelo histórico dos dois times, que têm DNA parecido, acostumados a grandes reações e performances heróicas (as tais raça e determinação); seja pelo fato de ambos terem disputados finais memoráveis como aquele que deu o título de campeão da Copa do Brasil, para o Grêmio, em 2001; seja pela quantidade de colegas e amigos corinthianos.

O dia seguinte de uma partida contra o Corinthians é especial, para o bem ou para o mal. Haverá sempre um ouvinte disposto a brincar (alguns não sabem fazer isso de maneira bem humorada, infelizmente) ou um colega pronto para falar – nem sempre estão lá quando têm de ouvir. Por isso, essa quinta-feira vai ser daquelas, apesar de tudo que ocorreu em campo, e me refiro aqui às injustiças cometidas pelo árbitro, muito mais por fraqueza do que por malvadeza. Nenhuma justificativa convencerá o vencedor de que houve equilíbrio de forças em campo e a vitória ocorreu por uma interferência indevida. É do futebol. É dos torcedores do futebol.

Independentemente disso, cabe ao gremista, nesta hora, além da humildade para reconhecer que houve um vencedor (e o que mostra o placar), a tranquilidade de que aos poucos o time volta a jogar bola, mesmo com suas várias carências, em especial no ataque. E admitir que não se pode querer tudo. No domingo, já ganhamos o Gre-Nal, em Porto Alegre. O que pode ser melhor do que isso, mesmo quando se vive em São Paulo e se está rodeado de amigos corinthianos?

A foto deste post é do site Gremio.Net

9 comentários sobre “Avalanche Tricolor: É sempre especial

  1. Milton….e meu Corinthians ganhou do seu Grêmio…..sempre que dizem Grêmio me lembro de você….e da Abigail!!!
    Diga para ela sobre mim….João Augusto….depois conte me….você vai ficar surpreso com minha pessoa..abraços e saudações corinthianas…rsrs

  2. Acho que o Grêmio perdeu justamente porque ganhou o Gre-Nal.

    Sempre que o Grêmio está mal, atropela o Corinthians. Contradição que nunca entendi. Coisas do futebol… Ou coisas de família: um irmão que tenta ajudar ao outro. Curiosamente, eles agem como dois mosqueteiros, o qual é mascote de ambos: “um por todos, e todos por um”.

    Mas, felizmente (ao menos para mim), o Corinthians reverteu (ao menos melhorou) essa situação nos últimos anos.

  3. O Grêmio está guardando as forças para o campeonato mundial!
    Dia 12 tem o Miss Universo, e nós, gremistas, temos chances de pegar a coroa!
    Vai Grêmio!! Vai Priscila!

    O time jogou bem, me surpreedi surpreendentemente com alguns jogadores..
    Acho que temos time para ficar entre os 16 primeiros!

  4. Mílton,para quem mora em São Paulo e convive pacificamente com corinthianos,palmeirenses,são-paulinos,santistas,teu texto saiu bonito. Já eu,que habito em Porto Alegre,tenho de manifestar minha preocupação,especialmente,com os árbitros do Gre-Nal e esse que apitou no jogo do nosso time contra o Corintians. No de domingo,o soprador de apito sonegou-nos dois pênaltis e só marcou o terceiro por medo ou por acesso de vergonha. Nessa quarta,outro soprador de apito assinalou penalidade máxima inexistente. Não fosse isso,e a partida teria terminado em empate.´Dois incompetentes ou mal-intencionados em sequência é dose pra mamute! Mas tens razão,Mílton,quando salientas que o Grêmio, aos poucos,volta a jogar bola. É um consolo para quem necessitou enfrentar dois assaltantes.

  5. Concordo com o Milton Pai; apenas gostaria esclarecer que, ao contrário do que foi publicado pela mídia esportiva, o Corintians terminou o jogo com 10 e não com 9!!!

  6. Milton, eu comemoro o “retorno” do Grêmio; do time de espírito valente e vencedor que conhecemos bem.
    Agora, em tempos sombrios de politicagem cartolar, acho um exagero tantos erros contra o Imortal em tão pouco tempo.
    Dá medo e margem para várias teorias da conspiração, não acha?
    Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s