BRICs: é hora de comemorar

 

Em frente e avante: líderes dos Brics já com a adesão da África do Sul

Por Carlos Magno Gibrail

Estamos diante de um início de ano pródigo em pautas jornalísticas: irresponsabilidade da Prefeitura de Guarulhos ao autorizar inauguração de novo templo às margens nada plácidas da via Dutra no dia primeiro. Voracidade da mídia social no gozo do câncer de Lula e no destempero de Luana Pirovani e Elio Gaspari cobrando o atendimento no SUS para o ex-presidente. A cara de pau de Kassab ao dar nota máxima à implosão fracassada do Moinho Central. O escancaramento da parcialidade pelo novo presidente do TJ de São Paulo, Ivan Sartori, ao defender os dois meses de férias exclusivamente para a magistratura. A priorização da mídia em geral da perspectiva à retrospectiva, diferentemente de anos anteriores. Tendência que escolho para abordar o futuro dos BRICs, de acordo com a maior autoridade no assunto. O seu criador, Jim O’Neil.

O’Neil, presidente da gestora de recursos do Goldman Sachs, em 30 de novembro de 2002 criou o termo BRICs para representar uma expansão que previa para o Brasil, a Rússia, a Índia e a China, estimada em 14% do PIB global, e constatada agora em 19%. Passaram de US$3 trilhões para US$13 trilhões. Projetou a China igualando a Alemanha, mas a China dobrou e é a segunda do mundo. O Brasil poderia superar a Itália, mas alcançou-a e passou a Grã Bretanha, e é a sexta.

Entusiasmado com o acerto do sucesso imaginado e concretizado a mais, escreveu sobre os próximos anos. E o próprio O’Neil em artigo para o Estado de domingo ressalta alguns pontos de seu livro The Growth Map (O Mapa do Crescimento). Os BRICs com 8% de aumento do PIB contribuíram nestes últimos 10 anos para o crescimento global de 3,5%, pois os países desenvolvidos tiveram apenas 1,5%. Nesta nova década, os BRICs terão crescimento de 7% contra 5% dos demais países. Este mercado em desenvolvimento será importante também para os desenvolvidos, e marcas fortes internacionais como Louis Vuitton e BMW já se aperceberam desta oportunidade. Muitas outras deverão seguir o mesmo caminho.

Na área financeira poderá haver maior participação dos BRICs na movimentação e na decisão, o que trará mudanças no sistema global. Com inclusão de moedas e recursos destes países. É bom lembrar que até 2015 os BRICs terão um PIB igual ao dos Estados Unidos, a maior economia do mundo. O Brasil, como se sabe, já passou de devedor do FMI a credor.

Caberá também ao Brasil uma posição confortável, principalmente nas commodities, pois o aumento de preços propiciará desenvolvimento na inovação tecnológica, tornando sua produção mais eficiente e evitando providencialmente uma pressão sobre os até então abundantes recursos naturais.

Desejamos que Jim O’Neil mais uma vez acerte. E não precisa repetir a goleada, basta vitória simples.

Carlos Magno Gibrail é doutor em marketing de moda e escreve, às quartas-feiras, no Blog do Mílton Jung

4 comentários sobre “BRICs: é hora de comemorar

  1. A inauguração do Templo no dia 1 de janeiro onde milhares de pessoas estão indo ou voltando pela principal rodovia de SP é lamentável. Falha da Prefeitura de Guarulhos que autorizou e falha dos agentes de trânsito que não souberam lidar com a situação é pior ainda. Despreparo total. Um agente de trânsitço de Guarulhos disse: “Não esperávamos essa multidão de pessoas”. Será que não tinha rádio, celular, internet para pedir reforços? Os ônibus fretados fizeram a festa estacionando nos acostamentos da Via Dutra. E multa que é bom nada. No Brasil, as pessoas ganham as coisas no grito porque a ausencia da autoridade é visivel. Enquanto isso, Kassabe, Alckemim e vários vereadores de Guarulhos estavam na festa de inauguração. Estavam lá não porque são adeptos a esse Templo, mas estavam lá de olho nos possiveis votos desses fiéis. Hj temos vários vereadores defendendo seus interesses. E com certeza na câmara de Guarulhos tem muitos vereadores ligados a esse Templo. Por isso talvez foi autorizada a inauguração no feriado e os ônibus e motoristas de carros particulares que estavam nesse evento não foram multados. É uma pena que cada um dos vereadores defendam seus intertesses, porque o interesse do Povo ninguem defende. É lamentável que a Prefeitura dê autorização para construção de um espaço que trará grandes numeros de pessoas próximo a uma via tão importante. E como em SP, todos querem construir próximo as marginais Tietê e Pinheiros. Todos falam que a Z.Leste deve ter incentivos para que grandes eventos ocorrarm na região para o desenvolvimento da área e dos moradores. Mas ninguem que investir lá. O Itaquerão só foi pra lá porque na região central não tinha um terreno disponivel. Por que não construir esse Templo na Z.Leste? Iria geral emprego, e o comercio iria faturar muito com essa quantidade de gente frequentando o templo. É igual a feira da madrugada no Brás. Por que não construir uma enorme feira com estacionamento, restaurantes, hoteis na Z.Leste? Mas não querem construir no Brás onde esse fretados tumultuam o trânsito.

  2. Para politicos, pobre, religiosos principalmente estes os politicos estão na cola ad eternum, dá voto!
    Ai permitem a construção até do coliseu no meio da Avenida Paulista se for o caso
    Tanto é que S Excia Governador esteve presente na inauguração do tal templo, e é catolico praticante!
    De onde vem tanto dinheiro para comprar um templo deste tamanho, comprar horario por seis milhões de reais nas TVs?

  3. Daniel Lescano comentário 1
    Uma das propostas de urbanização é para criar regiões completas de moradia, trabalho e serviços. Ideia a qual tenho algumas dúvidas, pois até agora tudo que se tem feito é em benefício da incorporação de mais e mais construções. Será uma grande brecha para desrespeitar as raras áreas residenciais.
    Diante disso como permitir a construção de um enorme templo?Ainda mais próximo a estrada das mais movimentadas do país?

  4. Armando Italo, comentário 2
    O Tutty Vasques, em sua coluna de ontem, chamou de chuchuzada à preocupação dos amigos do governador Alckmin quanto aos parabéns que enviou pelo Twitter ” o belo evento evangélico” que, no domingo parou a Via Dutra por seis horas e isolou o Aeroporto de Cumbica. Chuchu total.
    Para a mais alta autoridade envolvida no problema foi um desastre politico a pressa em bajular potenciais eleitores. Da próxima vez antes de parabenizar é melhor se informar. Se fosse na mídia o pessoal da produção seria punido. Se fosse no mundo corporativo idem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s