De vida, ora!

 

Por Maria Lucia Solla

 

 

Hoje falávamos de testamento. Não em tom fúnebre, mas analisávamos a ideia do temido documento, administrativamente. Bem interessante. E nos demos conta, mais uma vez, de que nadamos num mar de tabus. Eu, tu, ele, ela, nós vós, eles e elas também.

 

É estranha a vida! Surpreendente, inexplicável, intraduzível e imprevisível. Quando, depois de nos equilibrarmos na crista da onda até cansar, levamos um caldo de um ondão que nos faz perder o rumo e nos leva a nocaute, de cara na areia, passamos por períodos mais longos e frequentes de afastamento das costumeiras relações e da atividade rotineira, procurando um rumo que ainda nem se delineou. Fazemos isso não porque não queremos dividir as dores, mas porque não faz bem viver e reviver tantas vezes a fio acontecimentos difíceis e suas consequências reais e prováveis. Queremos evitar que um monstro se apodere de nós e que nos corroa ossinho por ossinho, até o final. Assim, reportamos os eventos catastróficos o mínimo possível e colecionamos descobertas.

 

Agora, depois do caldo é preciso retomar o fôlego e vomitar os retalhos de emoção que insistem em penetrar, uma a uma, cada unidade que compõe os nossos corpos. Se não respeitarmos a quarentena até que a respiração volte, e que os batimentos cardíacos reencontrem seu ritmo, sucumbimos. É preciso tirar a areia dos olhos que embaça tudo. É preciso respeitar o ritmo da vida, mesmo que ele mude com uma rapidez de nos deixar tontos.

 

A vida é indizível como Deus, porque ela é Deus. Nós somos Deus. Nós todos, de filósofo a iletrado, de durão a apaixonado, falamos, falamos, escrevemos, fazemos poesia, cantamos e dançamos, choramos e nos fechamos, sorrimos e nos enamoramos, mas ninguém chega perto de aprisioná-la nas masmorras da definição.

 

A vida não é para ser definida, explicada, dissecada. A vida se entrega para que nos entreguemos a ela. É para ser vivida, usufruída nos seus humores variados. E nós, só o que temos de fazer é embarcar e aproveitar a viagem. Simples assim.

 

Pense nisso, ou não, e até a semana que vem.

 


Maria Lucia Solla é professora, realiza oficinas de Desenvolvimento do Pensamento Criativo e de Arte e Criação. Aos domingos escreve no Blog do Mílton Jung

10 comentários sobre “De vida, ora!

  1. Pois é Mike Lima

    “Tem dias que “de noite” não é mole não”

    Deixe a vida me levar, avida leva eu……………..

    Para completar uma boa chuvinha caindo para dar uma aliviada na poluição que faz arder nossos narizes, olhos, garganta, etc

    Pena que é bem no feriado

    E sem cavok!

    Bjus e um excelente feriado

    Esperamos que o chec c da sua aeronave da vida termine logo e volte aos vôos “pela ai”

  2. Alpha India,

    é isso! E sabe que já começo a voar? Voos curtos e cuidadosos, mas já sinto os motores roncando, com fome e sede de levar a aeronave para curtir ventos mais fortes, emoções mais explícitas.

    Obrigada pelo carinho de sempre,

  3. Sim, Farina,

    a gente já passou por muitos deles, continua encontrando um ou outro pelo caminho, mas sabe o quê? Me dá ainda maior vontade de viver tudo que eu ainda tenho para viver, fazer tudo que ainda tenho pra fazer (feito a panqueca americana que vou fazer de café da manhã), aprender tudo o que couber em mim, e hoje que eu não só sei o que é que eu não quero, mas que sei o que quero também, a garra é ainda maior!

    beijo na Vivi e ótimo finzão de semana,

  4. Viva a vida…
    Viva a vida…
    Viva a vida que Deus me deu!

    É preciso ter consciência,
    que sem Ele eu não sou eu!

    Beijos cheios de Vida!
    Pi

  5. Para quem tem um relacionamento saudável com o espírito não existe diferença entre um atestado de óbito e uma certidão de nascimento , creio eu .
    Nesta nossa viagem temos muitos tropeços pelo caminho e seres desconectados da Luz que nos afastam um pouco a Paz e a Harmonia .
    Mas , mesmo depois de um nocaute ao receber moléculas de ar restauradoras e confortantes a pergunta é : ” Aonde não está o Divino ? ” .
    Adoro seus textos e lhe pergunto porque você não coloca micro contos no Twitter ?
    Abraços de admiração.

  6. Rosângela, é verdade… certo, errado, bom, ruim, pode ser tudo tão diferente pra você e pra mim, em momentos diferentes de cada um. Lindo jogo de montar. Arregaçar as mangas e viver!

    e eu faço coro com você. Onde não está, se até aquilo que não é, é Ele?

    Obrigada pelo teu carinho e pela sugestão. Micro contos? Hum… vou guardar a ideia em mim. Vamos ver no que dá

    Beijo e aproveita o feriado de sol!

Deixe uma resposta para ROSANGELA MASCARENHAS DE MENDONÇA Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s