Mundo Corporativo: os erros mais comuns que levam ao fracasso do negócio

 

Assumir a culpa de todos os erros ou sempre por a culpa nos outros? Ter objetivos errados ou não ter objetivo nenhum ? Afinal, quais são os erros mais comuns que levam ao fracasso na carreira ou nos negócios ? Sobre este assunto nós entrevistamos o consultor de empresas e CEO do Grupo Triunfo, Sher Soares, no programa Mundo Corporativo da rádio CBN. Dentre as muitas estratégias que impedem o profissional de alcançar o sucesso, Soares chama atenção para a necessidade de se agir com equilíbrio, conhecimento e segurança nas tomadas de decisão: “frases prontas como ‘onde é que eu errei’, ‘eu sempre faço isso errado’, ‘eu não levo jeito para isso’ acabam tendo um efeito psicológico devastador dentro de nós mesmos, afetam a nossa auto-estima e quando afetam nossa auto-estima afetam a nossa auto-confiança e se afetam a nossa auto-confiança nos deixam inseguros e se nos deixam inseguros, nos tornam frágeis em determinadas posições”. Na entrevista, Scher Soares também conta detalhes sobre a participação dele no processo de transição cultural dentro do grupo Telefonica.

 

 

O Mundo Corporativo vai ao ar às quartas-feiras, 11 horas, no site da CBN, com participação pelo e-mail mundocorporativo@cbn.com.br e pelo Twitter @jornaldacbn. O programa é reproduzido aos sábados, no Jornal da CBN.

3 comentários sobre “Mundo Corporativo: os erros mais comuns que levam ao fracasso do negócio

  1. Sou ouvinte assíduo de suas entrevistas. Gostaria de fazer uma observação com relação à legenda empregada nessa entrevista com o Sher Soares.
    No meu caso, tenho audição perfeita. Porém, nos casos de deficientes auditivos fica comprometida a entrevista, haja vista o texto estar em desacordo com a pronuncia em certos trechos.
    Contudo, parabenizo a CBN pelo alto nível de sua programação e pela excelente performance de seus profissionais.

  2. Acrescentaria à lista comentada dos erros, a questão do capital inicial. Acredito que o capital próprio que deve contemplar o investimento inicial, o capital de giro e alguma reserva, além de não ser retirado do fluxo de caixa remuneração da operação antes do retorno do capital.
    De todos os empreendimentos que participei, o sucesso veio sempre quando houve capital próprio inicial. O insucesso, embora sempre acompanhado de vários erros, pode ser creditado principalmente a insuficiência do capital inicial. Que também pode ser lido como excesso de otimismo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s