Avalanche Tricolor: obrigado por nos fazer acreditar que sempre é possível

 

Grêmio 1 x 0 Atlético PR
Campeonato Brasileiro – Arena Grêmio

 

15202959172_8a4afc760d_z_l

 

Poderia começar esta Avalanche agradecendo a Barcos que sozinho dentro da área, em meio a forte marcação adversária, matou a bola no peito, deixou-a correr para o chão e, de virada e de direita, a despachou para dentro do gol. Lance típico dos grandes atacantes. Lance que se espera de um goleador como o Pirata. Uma espera que, às vezes, pode levar mais de 90 minutos, como na noite desta quarta-feira. Quem se importa de esperar. Se esperamos até o fim é porque temos esperança. E Barcos dentro da área é sempre a nossa esperança, mesmo que antes a bola tenha escapado-lhe do pé, tenha sido chutada para fora ou sequer tenha sido alcançada pois ele ficou preso entre os zagueiros.

 

Poderia agradecer a Fernandinho que pela segunda partida seguida deu assistência para o gol salvador. Assim foi contra o Flamengo. Assim foi contra o Atlético do Paraná. E que sempre seja assim. Hoje, ele já havia corrido muito, às vezes mais do que devia; havia carregado a bola, nem sempre pelo caminho mais fácil; havia desperdiçado oportunidades raras contra uma defesa bem estruturada. E esses desperdícios podem ser fatais. Mas Fernandinho também não desiste. Sempre tem a esperança de que é possível fazer mais. Estava na intermediária quando o ponteiro do relógio (eles ainda têm ponteiros?) passava dos 46 minutos do segundo tempo e a paciência do torcedor parecia ter acabado. Desde lá, mandou a bola pelo alto e a colocou no peito de Barcos – o resto você já leu no parágrafo anterior.

 

Poderia agradecer, também, a Marcelo Grohe. Se nos últimos jogos, comemoramos vitórias (e mesmo empates), muito disto cabe ao nosso goleiro que tem feito defesas fundamentais, como quando, com uma só mão e à queima roupa, conseguiu evitar o gol na cabeçada do adversário, ainda no primeiro tempo. Marcelo sempre espera o momento certo para agir. Assim como esperou a hora de se transformar em titular absoluto e admirado do Grêmio.

 

Quero, porém, agradecer mesmo é a Luis Felipe Scolari. Nosso técnico completou apenas um mês no comando do time, reconstruiu uma equipe, mostrou coragem ao fazer substituição no primeiro tempo (ainda que sua coragem não tenha sido retribuída pelo substituto), usou de todos os artifícios para manter o time com a cabeça no lugar apesar do desespero do torcedor e, mais uma vez, aos gritos, ao lado do campo, orientou o caminho do gol. Nem mesmo os erros constantes de alguns dos seus escolhidos, tiraram-lhe a esperança de que a vitória chegaria. No momento de maior tensão, pediu calma a cada um dos jogadores e transmitiu-lhes a certeza de que seriam retribuídos.

 

Felipão nos trouxe de volta a certeza de que, independentemente da qualidade do futebol apresentado, o time jamais deixará de lutar e acreditar. Nos fez recuperar a esperança, o espírito da Imortalidade que marca a nossa história.

 

Por isso e muito mais: obrigado, Felipão!

5 comentários sobre “Avalanche Tricolor: obrigado por nos fazer acreditar que sempre é possível

  1. Perfeito Caro Milton. Acredito que todos verdadeiros Gremistas compartilham com o seu sentimento. Agora não podemos nos contentar com o que produzimos se quisermos chegar mais longe. Alguns jogadores, nem vou falar do Giuliano pois acredito que ainda é muito cedo e precisamos ter paciência, tais como o Ramiro me parece estranho a sua manutenção no time. Tenho a impressão que em seu contrato deve haver uma cláusula que impede o treinador, qualquer que seja ele, de deixá-lo no banco. Não é possível. Mas que hoje foi de lavar a alma e relembrar dos velhos tempo foi!!!

  2. Danier

    Nossos volantes, ambos, erraram muitos passes, atrapalhando a transição da bola para o ataque e expondo o time ao perigo do contra ataque.

    A lateral direita está mal resolvida.

    O jogador que deveria ligar o meio de campo ao ataque não funcionava.

    Lá na frente havia apenas um frenético Dudu, tentando salvar a lavoura.

    Barcos estava isolado entre os zagueiros.

    Nossos erros não passam despercebido por Felipão mas ele não deixa de tentar e nos fazer acreditar.

    Este é o mérito do time.

  3. Bom dia Milton, temos que agradecer a todos esses que você falou por mais uma vitória. Mas ao contrário do jogo com o Flamengo, ontem foi difícil de assistir. Foi de doer ver o Ramiro ERRAR tudo e permanecer no time. Não desarmou ninguém, não acertou nenhum passe, nada fez de útil. Ver novamente o Dudu se esforçar muito, mas sem nenhuma qualidade na conclusão. Mais uma vez ERROU TODOS os escanteios. Porque é ele que ainda bate ???? E ver novamente o Giuliano ser um zero a esquerda. Vamos aos trancos, e com Felipão tendo sorte de campeão…Enquanto isso lá em Salvador ….

  4. Adilson,

    Com relação ao Ramiro a resposta está no meu comentário acima. Certamente no contrato dele existe uma cláusula que garanta a sua titularidade sob quaisquer circunstâncias. Os problemas são muitos mesmo mas não podemos negar que o time está com mais pegada e que a mão do Felipão está fazendo a diferença. Vamos acreditar!

  5. Quem não se dá por satIsfeito ao ver o Grêmio jogar e se aproximar do G4, que peça aos deuses do futebol que nos conservem subindo na classssificação.. Quando o futebol do Imortal Tricolor,aos poucos,começa a engrenar sob os olhos atentos do Felipão,alguns ainda se mostram insafeitos. Me desculpem,mas sugiro que deem uma chegadinha no Beira-Rio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s