De descuido

 

Por Maria Lucia Solla

 

Solla

 

dorme sentinela
atentada
ignora meu desatino
me larga me solta
me esquece
malvada

 

faz ouvido de mercador
ao meu grito
deixa pra lá meu jeito aflito
shhhhhh
quieta
fecha os olhos e dorme

 

me deixa perdida
liberta
ferida
aberta

 

deixa que o sangue jorre
na carne
na essência
que a dor aumente
que ensurdeça o mundo
num grito indecente

 

escancara meu peito
deixa livre a loucura
do meu sentimento
que já nem sei
honestamente
se sou eu que sinto
ele
ou se é ele que sente
eu

 

Maria Lucia Solla é professora de idiomas, terapeuta, e realiza oficinas de Desenvolvimento do Pensamento Criativo e de Arte e Criação. Escreve no Blog do Mílton Jung

4 comentários sobre “De descuido

  1. Vera, querida, que enorme saudade.
    Minha comadre gaúcha!
    Que bom saber que você continua ‘na escuta’.

    Teu afilhado vai ficar feliz com o beijo

    Obrigada pelo carinho,
    lu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s