Arquivo Guaíba faz homenagem a Milton Ferretti Jung, que completaria 85 anos

De uma crônica que jamais havia ouvido, de gritos de gols inesquecíveis, de narrações que contam a história da humanidade e de histórias que foram contadas na minha intimidade —- o programa Arquivo Guaíba, que foi ao no sábado, dia 31 de outubro, me fez reviver as mais diversas passagens do pai pelo rádio brasileiro —- foram 60 anos dedicados e respeitando o microfone, dos quais quatro na rádio Canoas e os demais 56 na Guaíba.

A homenagem se deu pela passagem do aniversário de Milton Ferretti Jung que completaria 85 anos, no dia 29 de outubro. Como você sabe, caro e raro leitor deste blog, o pai morreu no ano passado, no dia 28 de julho. Assim, aproveito a generosidade de Luis Magno e da equipe de profissionais da rádio Guaíba que relembraram alguns dos momentos da carreira dele para reproduzir o programa aqui entre nós,, nesta segunda-feira, dia 2 de novembro, dia que dedicamos aos mortos que permanecem na nossa memória.

Antes de clicar no arquivo para ouvir o programa, me permita dizer muito obrigado aos profissionais que se dedicaram a fazer esta homenagem e aos ouvintes que sempre se referem ao pai com muito respeito e carinho:

O programa apresentado pelo jornalista Luis Magno foi criado em maio deste ano e explora o rico arquivo de áudio que a rádio Guaíba ainda preserva no prédio da rua Caldas Junior, centro de Porto Alegre. Vai ao ar aos sábados à noite, tem produção de Pedro Alt, edição de Davis Rodrigues, com José Moacir Bittencourt responsável pelos arquivos.

2 comentários sobre “Arquivo Guaíba faz homenagem a Milton Ferretti Jung, que completaria 85 anos

  1. Milton, fui um ouvinte do seu pai desde que me conheço por gente. Parece que temos idades muito próximas (sou de abril de 1961). Na época morávamos ainda em Canoas (Chácara Barretos, em frente ao Hospital Nossa Senhora das Graças), hoje em SP, já há 30 anos. Ouvia a Guaíba no colo de meu pai (“Am Schoss meines Vater” em alemão). Ouvíamos o Correspondente Renner e os jogos da dupla Grenal. Ouvir o Milton era duplamente agradável, pela memorável e perfeita voz e também porque éramos todos gremistas. Poderia escrever muito sobre minhas lembranças de seu pai, o espaço não permite. Abraços tricolores e parabéns pelo eterno Milton Young, seu pai! Erno Müller (eom.muller@gmail.com).

    • Erno, obrigado por compartilhar essa vivência que você e seu pai mantinha com o meu através do rádio. Aproveito para lembrar algumas coincidências: a primeira rádio que o pai trabalhou do a Rádio Canoas (que na realidade tinha estúdio em Porto Alegre); e minha mãe era Müller, como sua família. Chamava-se Ruth e morreu em 1986. Saudades!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s