Avalanche Tricolor: na vida e na competição

Grêmio 2×0 Ceará

Brasileiro — Arena Grêmio, Porto Alegre

Diego Souza em foto de Lucas Uebel/Grêmio FBPA

“Domingo eu quero ver o domingo passar

Domingo eu quero ver o domingo acabar”

Com Titãs na cabeça. E a angústia no coração. Assim tenho levado meus domingos adiante. No divã virtual da terapia, retomada na  pandemia, tento descobrir a saída para a dor que me toma o domingo. De nada adianta saber a causa, se desconheço o remédio. E sem analgésico, lá se vai mais um dia. Busco no futebol a distração para essas horas. Desta vez, quis o calendário me dar um alento logo cedo. Quando a bola começou a rolar, a erva do chimarrão ainda queimava na água quente — e olha que a levo para a fervura quando ainda está no alvorecer. 

Tenho sido reticente quanto ao que podemos fazer. Quase que negando tudo aquilo que forjei nesse tempo que me dedico a torcer. Não sei se uso dessa artimanha para forjar uma blindagem no coração sempre a espera de uma decepção. Nem sei se assim estou apenas desperdiçando os instantes em que a vida tem alegria para me oferecer e com esse comportamento eu não faço por merecer. 

Sei que é assim que a banda toca e o jogo se joga. Quando o adversário nos pressiona, prevejo que o pior vai acontecer: ou desvio no zagueiro ou vacilo do goleiro ou juiz no exagero. Se chegamos no ataque, olho só de revesgueio, porque já antecipo que daquele lance quando muito sai um escanteio. 

Foi então que o destino resolveu me fazer um agrado. 

Ainda no primeiro tempo, como se disposto estivesse de calar meu ceticismo, protagonizou através de Rafinha um passe profundo para Alisson, que em cruzamento colocou Diego Souza em condições de cabecear para as redes. E se dúvida ainda houvesse quanto a lição que o destino pretendia me dar, neste domingo, não me deixou esmorecer mesmo após sofrer com o risco de assistir ao gol de empate. Operou mais um lance vitorioso. Dessa vez pela direita, com Vanderson cruzando alto o suficiente para Diego Souza —- sempre ele —- raspar a cabeça na bola e dar a Ferreirinha o direto à redenção. Ele que sofreu de Covid, de lesão e de indecisão, bateu forte para confirmar a vitória.

No apito final, somamos três pontos importantes diante da sofrência desta temporada. Uma vitória que confirma a esperança de torcedores e comentaristas de que este será o returno da retomada. Fiquei feliz com o resultado — claro que sim. Sem nenhuma ilusão, sempre com medo da frustração. E na expectativa de que ainda vai aparecer uma solução. Na vida e na competição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s