USP vai punir vítima pra evitar roubo de bicicleta

 Cadastrar ciclistas e apenas permitir a entrada de quem tiver em mãos uma carteira de identificação são as maneiras que a USP encontrou para reduzir o número de roubos de bicicleta dentro da Cidade Universitária, na zona oeste da capital paulista. Foram três bicicletas roubadas em dezembro, além de uma série de violências que vão desde acidente de trânsito a furto e roubo.

Para os demais casos, a coordenadoria do Campus a USP não tem uma solução aparente, pois admite que faltam vigilantes para atender toda a área da universidade. De acordo com estatísticas oficiais da USP, ocorreram 29 furtos qualificados e 11 roubos no mês de novembro (último mês em que as estatísticas foram publicadas). Desde setembro, o número de casos de violência registrados tem aumentado na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Por exemplo, em novembro de 2008 ocorreram 61 registros contra 84 em 2009.

Ouça as justificativas do coordenador do Campus da USP Antonio Marcos Massola, em entrevista ao CBN SP

Restringir o acesso de ciciclistas no campus para evitar roubos de bicicletas é inverter os papéis e punir às vítimas.

10 comentários sobre “USP vai punir vítima pra evitar roubo de bicicleta

  1. Se a USP é a UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, por que não colocar ali a policia de são Paulo ? Na minha opinião deveriam haver bases da policia militar dentro do campus, com rondas. Afinal ali é uma cidade e toda cidade deve ser protegida pela polícia, caso contrário acaba sendo dominada por bandidos e traficantes, assim como esta atualmente. A USP é do ESTADO e deve ser protegida pelo ESTADO.

  2. Mas é um tal de um joga paro o outro que não é mole.
    Não é má ideia cadastrar os usuários proprietarios de bikes que pretendem dar suas pedaladas pelo campus da USP.
    Porém:
    Não basta somente essa iniciativa por parte dos nossos governantes, da USP, prefeitura de São Paulo e governo do Estado.
    Em se tratando de USP X Governadores do Estado de São Paulo “que mandam na USP”, X Prefeitos, leia-se, prefeitos da cidade de São Paulo e o prefeito da Propria USP.. sempre foi assim.
    A USP sempre pareceu a um petroleiro desgovernado!
    Todos querem mandar, comandar o grande petroleiro, leia-se USP, mas ninguem é e está devidamente habilitado, capacitado para tal.
    E quem acaba pagando o pato sempre será o povo, o usuário que paga extorsivos impostos para manter o estado de São Paulo, cidades e a USP.
    E agora?
    Como disse o comentarista anterior
    Porquê não tem policiais em numero suficiente no campus da USP então, sendo que a USP, “pertence ao estado de São Paulo?
    Qual a justificativa palusível, ou melhor desculpa que o nosso governador nos dará agora?
    Se a USP está dentro da cidade de São Paulo, não poderia a prefeitura de São Paulo em parceria com a prefeitura da USP juntamente com o governo de São Paulo, dispor da guarda municipal no campus também?
    Afinal pagamos impostos no estado mais caro da federação para quê então?
    Vale lembrar que dentro do campus da USP tem a academia de policia.

  3. “Punir a vítima” no caso seria um ato que demonstraria a incompetência da instituição, assim como seria uma medida ineficaz.
    Não acho que a polícia seria a única solução para o caso nem a mais adequada, pois seria apenas uma solução momentânea, supõe-se que em uma instituição do tipo da USP deveriam ser feitos projetos de pesquisa que visem saber os motivos (já bem sabidos dos furtos/assaltos) assim como ações educativas entre outras, que seriam soluções eficazes e efetivas mesmo que demandando um prazo maior.

  4. Restringir o acesso não vai evitar que mais roubos aconteçam. Pelo contrário: quanto menos ciclistas, mais insegurança para eles, que podem ser tanto atletas em treinamento quanto estudantes e funcionários utilizando a bike como transporte.

  5. Bom como tudo nesse país está fora de ordem a muito tempo
    continua ” A BANANA COMENDO O MACACO”
    é assim qeu vejo….
    Vergonha…..
    PAIAKAN Z/S

  6. Faz tanto tempo que as coisas estão fora do lugar que se um ET chegasse a terra por aqui, certamente pensaria que o resto do mundo é louco.
    Polícia dentro da universidade? Exercito nas ruas?
    Pessoas presas dentro de casa e crianças na rua, correndo da polícia feito as que na escola, correm quando da a hora do recreio.
    E faz todo sentido. Pra muita gente faz todo sentido.
    Dentro da maior e mais importante universidade do país, é exatamente como na escola pública da periferia. Alunos aprendem e replicam o que está ali. Na minha opinião, ou a gente para com este modelo ou logo depois da carteirinha e da polícia do estado, vamos ter que escalar a repressão ao crime com o aparato de guerra. Quem sabe a USP não vira de vez um quartel?
    A culpa é nossa, mas é também de quem governa e decide. Decide mal. Decide errado. Pensa em amanhã e depois de amanhã quando muito. Usa o dinheiro público pra fazer propaganda de si e não cuida do aparato público que custou o trabalho e os impostos de nossos pais e avós.
    Ainda bem que os ETs chegam a terra sempre pelos States.

  7. 3 bikes roubadas em dezembro e 1 em Janeiro não é a realidade. Moçada, é importante fazer um BO no caso do roubo. Nenhuma ação é tomada pela policia sem que isso apareça nas estatísticas. Os malandros vão fazer a tal da carteirinha e pedalar em horários e locais restritos ? Onde poderemos treinar ? Alguma sugestâo ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s