Mulher trabalhadora, homem ciumento

 

Por Dora Estevam
Tais e Marcos, Viver a Vida

É impressionante como ainda tem muito homem que não deixa a mulher trabalhar fora. As promessas são sempre as mesmas: fique em casa e eu te darei tudo.

A mulher que fica em casa se dedica aos filhos, casa e marido.Esquece que dentro dela tem um potencial que aos poucos se esconde, perde espaço. Sem trabalhar, sem pensar, sem se motivar; no mínimo o cérebro atrofia Depois de alguns anos – quando a vida a dois já está desgastada pela rotina – a mulher tenta se recolocar no mercado. O resultado você pode imaginar, enormes e várias dificuldades.

A menina, 22 anos, engravidou aos 17, resolveu quebrar a rotina, enfrentar o marido e procurar emprego. Encontrou: um mês depois, incomodado com as saídas da esposa, o marido exige que ela deixe o emprego. Sim, para ela trabalhar tem todo um ritual de beleza e arrumação que incomoda o sujeito.

A outra pula de casa em casa. De 40 em 40 dias está numa casa diferente porque o marido é quem sempre decide, a palavra é sempre dele: saia para cuidar das suas filhas.

Na Paraisópolis, comunidade popular de São Paulo, no Dia Internacional da Mulher, a porta da floricultura estava cheia de homens. A florista ficou na expectativa de boas vendas, mas, nada aconteceu. Eram somente maridos falando mal das mulheres, relata uma moradora.

São empregadas domésticas, babás, faxineiras, vendedoras….

Todos estes casos são de pessoas, de mulheres que moram na Paraisópolis e segunda-feira passada não tiveram o que comemorar.

Do outro lado do universo – o lado fantasioso – também existe um machista que não aceita a condição da mulher exercer a profissão dela. Eu falo do personagem Marcos, que tem José Mayer como protagonista, da novela “Viver a Vida”, da Rede Globo. Helena, a modelo, esposa, [mega-über] famosa fica entre o casamento e a profissão.

O empresário Marcos é o tipo que dá tudo pra mulher, do luxo ao glamour. Mas impede a moça de exibir a liberdade que conquistou há anos, com muita luta.

O que explica este comportamento? Que machismo é esse que acontece em todas as camadas sociais?

Sabemos que com a revolução sexual a mulher deixou de ser Amélia e conquistou o mercado de trabalho. Há mulheres com altos cargos nas empresas, mulheres que ganham uma fortuna, que dirigem grandes corporações. Há um mercado todo voltado para elas. Sem dúvida, enfrentaram e enfrentam um longo caminho para a conquista da dignidade pessoal, social e profissional.

A mulher é capaz de dar conta do recado, sim, cuida da casa, dos filhos, do marido, do trabalho, e ainda sobra tempo para se cuidar, se tratar – esteticamente falando. Sem contar as muitas que estudam sem parar, mestrado, doutorado, o que exige muito tempo de leitura.

Nada contra as que preferem ficar em casa, nada contra as que optaram por exercer as tarefas domésticas. Sei que esta opção exige muito trabalho delas, além da conta, muitas vezes.

Falo é dos homens ciumentos que impedem o crescimento profissional e intelectual da mulher, que exigem que ela fique em casa por puro machismo.

O Dia Internacional da Mulher foi criado para lembrar a morte de mulheres que, em frente a uma fábrica em Nova York, lutaram pela redução da carga de trabalho para dez horas, equiparação de salários com os homens e tratamento digno no ambiente de trabalho.

Foi-se o tempo em que as mulheres eram criadas para procriar e embelezar o marido. No século 19, as mulheres eram consideradas probleminha para a sociedade; hoje, o probleminha pode ser você, homem ciumento.

Dora Estevam é jornalista e escreve no Blog do Mílton Jung aos sábados sobre moda e estilo de vida

11 comentários sobre “Mulher trabalhadora, homem ciumento

  1. Tenho a impressão que este tipo de comportamento não é o mesmo em todas as classes socio econômicas. Ou seja, com mais conhecimento o homem tende a perceber que a liberdade da esposa é fundamental para um bom casamento.
    No caso de “Viver a Vida”, Marcos é rico mas pobre de conhecimento. Como se percebe, longe de ser um intelectual. É rudimentar, grosseiro e mandão. Além de compulsivo sexual. Definitivamente não é um real admirador do sexo feminino. Apenas um consumidor.
    Em todo o caso, a sociedade ocidental neste aspecto está ainda anos luz adiante de paises asiáticos, como a referendada CHINA, que descompassa a natureza eliminando bebês meninas.

  2. Olá Dora
    Os “machões” a exemplo do personagem da novela o tal de Marcos, na minha sincera opinião devem ser possuidores de algum tipo de disturbio mental, sofrem de insegurança, são eternos carentes afetivos, egoístas.
    Outros porém ainda parecem que vivem na idade da pedra, sêres atrazados, ignorantes, burros.
    Por outro lado, li recentemente um artigo, matéria de um engenheiro que perdeu o seu emprego, por causa “da sua avançada idade” , cincoenta anos, enfrentou grandes dificuldades para recolocar-se no mercado formal de trabalho durante uns dois anos.
    A esposa, alta executiva de uma multinacional, teve que sustentar a casa nos anos que o marido permaceu desempregado.
    E em quanto o engenheiro permaneceu desempregado, hoje corretor de imoveis, cuidou plenamente da casa, passou a ser “dono da casa”, cuidou dos filhos, numa boa.
    O que tem de “machão” por ai na fossa, enchendo a cara em botecos, lamentando e ainda tentando descobrir sobre porque as suas mulheres o puseram para fora de casa………………………………..

  3. Oi Armando, é verdade, quando o homem tem a cabeça no lugar tudo acontece sem problemas, flui bem o relacionamento, com a família e com os amigos. Belo exemplo, este.
    Abraço e bom final de sábado.
    DE

  4. Dora, querida
    A revolução tem que vir das próprias mulheres. Não dá pra esperar que esta geração de homens, educada por mulheres machistas, entenda o valor da liberdade e da igualdade.
    Temos a responsabilidade de passar adiante importantes valores. Marcar nosso espaço e deixar claro que concessões, em nome da relação, não significam submissão aos desmandos masculinos.
    Beijo grande.

  5. Boa Tarde, Dora.

    Sob meu ponto de vista, homem que se diz e age como machão pode o fazer pelos motivos elencados acima por Armando Ítalo ou pior ainda,por prazer em atrofiar o desenvolvimento da mulher, por temer a concorrência, ou ainda, para poder dar suas escapadelas com segurança, vez que a esposa por comodismo faz vistas grossas por lhe ser conveniente e vantajoso sob os mais diversos aspectos; isso em todas as classes sociais, caso contrário não haveriam tantos casos de abuso sexual de menores dentro de seu próprio lar com conivência da mãe da (o) menor.

  6. Ola
    Mas não podemos nos esquecer que existem também muitas “Amélias”.
    Totalmente dependentes e subordinadas dos “maridões machões”.
    Supostas vitimas.
    Apanham, sofrem, a vida inteira, mas não largam dos seus “machos”, porquê alegam que os amam, “não podem viver sem êles”, porquê sem êles como farão para sobreviver?
    Amor bandido.
    “Quanto mais apanho, mais gamo”
    Tipo mulher de malandro.
    Essas pordemos constatar nas várias camadas sociais.
    “Diga-me com quem andas, que te direi quem és”
    Porém, nada justifica agressões de qualquer tipo a mulher, a criança, ao idoso, seja lá quem for.
    Bom final de semana!
    Armando Italo

  7. OI Rosana,
    realmente, as mulheres precisam saber que elas podem e devem lutar contra este tipo de comportamento. A criação sem dúvida influencia muito, os exemplos começam em casa. Se o filho vê o pai lendo ele vai ler, se o filho ve que a mamãe trabalha fora ele vai se orgulhar dela. O que se resolve na infância fica para sempre na cabeça da criança.

    Querida, beijos e um ótimo Domingo.
    [Estou amando a sua coluna.]

  8. Oi Walnice,
    Eu acho complicado essa questão de homem não deixar a mulher trabalhar e a mulher aceitar. Como eu sempre trabalhei e mesmo depois de casada nunca parei, é difícil aceitar isso. O meu marido me dá força, aliás desde o começo da carreira, sempre entendeu bem os dolorosos plantões de redação. Então, quando vejo mulheres sendo dominadas desta forma eu sei que este não é um bom caminho pra elas. Já tive caso na família que não teve um final feliz, e não foi por falta de aviso. O problema é que você fala, dá um toque, avisa, tenta mostrar o caminho, e elas não entendem, ainda acham que você está com inveja da vida “boa ” que levam. Não é fácil!
    Abraço e boa semana.
    DE

  9. Dora: Misture seus artigos. Homens na cozinha e Mulher trabalhadora……O quê está acontecendo??? Essa inversão é o apocalipse? Não, sinal dos tempos: evolução, maturidade, divisão, compartilhamento, respeito!!!!!
    Não assisto a novela, mas é impossível não ouvir os comentários no dia a dia: José Mayer tem hiper concentração de glicose nas partes pudendas- não serve para nenhuma análise séria sobre o comportamento conjugal.
    Respeito é a chave de qualquer relação.
    P.S: Walnice aí em cima é Walnice Galvão? Se for : um beijo com muita saudade.

Deixe uma resposta para armando italo Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s