Google Street View flagra desrespeito ao transporte público

 

Faixas e corredores de ônibus são invadidos e a certeza da impunidade mantém esta prática. O que era de conhecimento dos brasileiros pode ser visto agora pelo mundo.

Invasão em corredor de ônibus

Por Adamo Bazani

O ônibus na era tecnológica. Não apenas pelos modernos equipamentos que contemplam controle operacional total das funções do veículo e desempenho do motorista, dispositivos de segurança ao frear, acelerar e para estabilidade, enfim bem diferentes dos queixo-duros, com volante pesado e marcha seca que não engatava se o motorista não cambiasse no tempo certo.

Aqui, minha atenção é para o fato de os ônibus também serem estrela no Google Street View, ferramenta de pesquisa da Internet que é a sensação do momento. Para quem gosta deste tipo de veículo, como eu, é uma fonte incrível de imagens, sendo possível conhecer os ônibus de várias partes do País.

Com um olhar mais crítico, é possível verificar, também, o desrespeito ao transporte público.

Como a cultura brasileira incute que quem tem carro tem poder e pode tudo, os poucos espaços dedicados exclusivamente ao transporte de passageiro acabam tomados pelos motoristas de caros de passeio. A própria CET estimou que, por mais esforços que faça para controlar os casos de abuso e invasões de faixas e corredores, apenas 30% dos infratores são punidos.

O que conhecíamos há muito tempo acabou se tornando acessível aos olhos do mundo.

Como bom busólogo, tive a curiosidade de procurar endereços de garagens, terminais e corredores. Imagens de carros no meio de faixas preferenciais, entre as imensas filas de ônibus, ficaram comuns no dispositivo da Internet.

Também como bom andreense, quis fazer uma pesquisa nas ruas do bairro onde moro. E encontrei mais imprudência contra os transportes públicos, desta vez bem debaixo do meu nariz. A cerca de 400 metros de casa, no fiml da minha rua, há o Corredor Metropolitano ABD, na Avenida Pereira Barreto, em Santo André. É um corredor segregado, onde as vias para ônibus são divididas por canteiros, jardins e muretas das demais pistas para carros.

Pois ao digitar o nome da avenida, me deparo com um carro, em primeiro plano, invadindo o corredor sem nenhum constrangimento.

Os corredores de ônibus também podem ser usados por ambulâncias, carros de socorro em geral e carros oficiais, sendo estes últimos recomendados que só se os utilizem em caso de necessidade urgente ou trânsito intenso nas vias comuns. Mas na foto do Google pode-se ver que o trânsito na Avenida Pereira Barreto estava muito bom para os carros.
A maior parte das políticas públicas de trânsito e transportes sempre foi voltada para o meio de locomoção individual. Se não bastasse isso, o dono do carro ainda se sente no direito de invadir o pequeno espaço para os transportes de massa. E as autoridades que deveriam dar o exemplo abusam no direito de ocupar esta área mesmo quando não haveria necessidade.

A multa para quem invadir corredor ou faixa exclusiva para ônibus é de R$ 127,90 por infração, rendendo a cada notificação cinco pontos negativos na carteira nacional de habilitação, o que está enquadrado em infrações consideradas graves.

A CET divulgou que entre 2008 e 2009 houve aumento significativo no número de multas em toda a cidade de São Paulo e a infração que mais cresceu foi justamente a invasão de corredores e faixas de ônibus que neste período teve um acréscimo de 150%, passando de 72.194 notificações em 2008 para 192.745 no ano de 2009.

Navegar pelo Google Street View torna bastante claro o tamanho desta irresponsabilidade e causa revolta em qualquer cidadão com capacidade de entender a importância do transporte de passageiro, como este cidadão-busólogo que lhe escreve.

Veja mais imagens curiosas descobertas por internautas no Google Street View

Adamo Bazani, jornalista da CBN e busólogo, escreve no Blog do Mílton Jung

8 comentários sobre “Google Street View flagra desrespeito ao transporte público

  1. É um absurdo! O cidadão que praticasse esse tipo de conduta deveria ter aula de cidadania. Já não basta o escasso investimento que o poder público aplica na mobilidade Urbana.

    É o famoso “jeitinho brasileiro” em não pensar no amanhã, usar somente o carro individual, a má educação no metrô…enfim: A má conduta vai desde o motorista domingueiro do bairro até o chefe de estado que só pensa no individual.

    Lamentável!

    Não podemos deixar esse assunto morrer após as Eleições. Obrigado Adamo

    Renato
    http://viatrolebus.blogspot.com/

  2. Se é assim nos corredores, em vias que não têm faixas “exclusivas” como a Radial Leste então… Ninguém dá preferência pros ônibus. NEM MESMO O PODER PÚBLICO, que privilegia o transporte individual na faixa reversível, quando poderia muito bem comportar ônibus semi-expressos (do centro até o metrô Carrão, por exemplo, ajudaria d+ um expresso no sentido contrário da Radial Leste).

  3. Inacreditável essa cena. Se fosse um carro da operadora Metra ou um carro oficial de emergência como Polícia, ambulância e corpo de bombeiros tudo bem, mas um carro de passeio ai não dá, é inadimissivel o descaso no transporte público mesmo. Mostre isso a Metra.

  4. Amigos Milton Jung e Adamo Bazani

    O problema de veiculos invadirem os corredores, faz parte da má educação de motoristas que precisariam passar por reciclagem até para lembrarem que corredor de ÔNIBUS é feito para ÔNIBUS.
    O trânsito do jeito que está, é o preço que pagamos com o despreparo de motoristas, as facilidades dadas por despachantes junto aos detrans, e ciretrans afora, eles deveriam de enfatizar as sinalizações.

    Com educação de trânsito, podemos mudar o retrato do trânsito que temos hoje e isso tem que ser feito de forma URGENTE.

    Amigos Adamo e Milton
    Não sei se vcs tem orkut, deixo esta foto na qual há uma matéria que é citado o corredor Celso Garcia.

    Abraços

    Marcos Galesi

  5. Desculpe, mas a julgar pelo movimento na via, não seria esse um dia de domingo (quando o tráfego nas faixas exclusivas de ônibus é liberado aos demais veículos)?

  6. O Eduado está coberto de razão. Os veículos particulares estão liberados a circular por alguns corredores :

    * diariamente, das 23 às 4 horas;
    * nos fins de semana, das 15 horas do sábado às 4 horas da segunda-feira;
    * nos feriados, da 0 hora às 4 horas do dia seguinte.

    Sou um cidadão que fica muito irritado com aqueles que desrespeitam as regras de trânsito. Meses atrás, no entanto, me deparei com um congestionamento monstro na Ayrton Senna, apesar de ter saído com muita antecedência de casa. Eu, que sou aeronauta, tinha que chegar a uma determinada hora para que o avião não saísse com atraso. Não tive outra alternativa a não ser trafegar pelo acostamento, rezando para que não encontrasse nenhum carro parado ou fiscalização, que poderia atrasar ainda mais a minha viagem.

    Até hoje fico com remorso desse ato desesperado.

Deixe uma resposta para Paulo Goya Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s